Escolha uma Página

28/09!

As fotos desta matéria são de Marcelo Brandt/G1 e Alexandre Durão/G1.

O Rock chegou ao Rock in Rio 2019. No segundo dia, 28, o festival honrou com honra o estilo que dá nome ao evento. Para fã nenhum botar defeito, o rock dos anos 90 levou o público na Cidade do Rock ao delírio. Com um dos dias mais bem estruturados do festival, trazendo bandas de épocas próximas, de um estilo muito parecido, agradou do início ao fim da noite.

Conhecido por misturar atrações de estilos diferentes, o Rock in Rio foi muito feliz na escolha de seu repertório do dia 28. As atrações pareciam sincronizadas e foi uma verdadeira homenagem ao rock’n roll.

Palco Sunset

Desde cedo, o Palco Sunset trouxe o som de Charlie Brown e Detonautas. As bandas brasileiras esquentaram os fãs para o que viria a seguir, ali no mesmo no Sunset. O palco foi o cenário para uma verdadeira história de música! Os caras do Titãs, juntos desde 82, relembraram os sucessos de seus mais de 30 anos de carreira.

Não satisfeitos, trouxeram três convidados inusitados e bem diferentes. Edi Rock, um dos fundadores do Racionais, subiu ao palco com Ana Cañas e Erika Martins. Juntos, deram um show do rock’n roll na Cidade do Rock.

Pouco tempo depois, outros veteranos subiram no Palco Sunset. Formada em 78, o Whitesnake mostrou o porquê de ser uma das maiores bandas de rock dos anos 80. David Coverdale também deixou bem claro, que aos 68 anos, está longe de parar com a música. A voz rouca performou clássicos da banda, assim como os clichês bem escolhidos para o festival. Não havia uma única pessoa parada no gramado molhado quando Coverdale e o Whitesnake cantavam!

Palco Mundo

CPM 22 e Raimundos

Os sucessos no Palco Mundo começaram com os brasileiros CPM 22 e os veteranos do Raimundos. As duas bandas estão entre as principais do rock brasileiro, tendo feito parte de toda a geração 90/2000. Não poderiam estar em um dia melhor no Rock in Rio. Quem já estava na Cidade do Rock foi agraciado com um dos melhores shows da noite.

Trazendo clássicos como Dias Atrás e Um Minuto para o Fim do Mundo, o CPM 22 estava em sincronia perfeita com o Raimundos. Eles, por sua vez, começaram o show com Mulher de Fases, levanto o Rock in Rio ao delírio. Clássicos como Me Lambe e Puteiro em João Pessoa foram alguns dos muitos sucessos da noite. Uma excelente maneira de começar o segundo dia.

Tenacious D 

Jack Black ganhou o mundo com seus icônicos papéis no cinema. O ator norte-americano não parou durante um minuto enquanto esteve no palco com o Tenacious D. Formada em 1994 pelos comediantes, Black e Kyle Grass deixaram claro o quão felizes estavam de estar ali. E a maior prova disso veio com Júnior Bass Groovador. O baixista nordestino subiu ao palco e performou ao lado da banda.

Os fãs brasileiros foram a loucura e a energia transmitida para o público foi insana. Trazendo clássicos do rock’n roll, como Smell Like Teen Spirit, do Nirvana, inauguraram as atrações internacionais com estilo.

Weezer

Os californianos do Weezer chegaram como os azarões da noite. Pouco conhecidos pelos fãs brasileiros, trouxeram um público pequeno a São Paulo dias antes, deixando todos na Cidade do Rock apreensivos. Mas não precisou. A banda fez uma apresentação simplesmente sensacional. Surpreenderam a todos, trazendo um dos setlists mais bem organizados do festival até agora. Tocaram canções próprias, como Island in the Sun e Hash Pipe, que ecoaram no festival.

Para levantar ainda mais a multidão, Lithium do Nirvana, Take on Me do A-há, foram alguns dos covers escolhidos. Se eram azarões antes, certamente acabaram a noite como um dos favoritos. Que show!

Foo Fighters

E o que dizer da melhor apresentação da noite? Não à toa que foram escolhidos como headline do dia, afinal, são anos de história do Foo Fighters. Reunindo uma multidão apaixonada trajando camisas com o tradicional símbolo da banda estadunidense. Dave Grohl estava insano, berrando a plenos pulmões e guiando o público ali presente. A garoa não atrapalhou em nada o show que acabou perto das 3 horas da manhã.

A banda se mostrou verdadeiramente a vontade no palco do Rock in Rio. Eles estavam em casa e foram ótimos anfitriões. O repertório reuniu clássicos como Learn to Fly, Pretender e Walk, encerrando com a balada Everlong. Não havia uma única voz calada na Cidade do Rock, mas não era por menos. A energia que vinha do baterista Taylor Hawkins parecia de outro mundo. O músico sorriu do início ao fim da apresentação e foi recompensado. Hawkins foi ovacionado pelo público, o que foi mais do que merecido.

Muito Rock’ n Roll

As emoções do Foo Fighters foram aumentadas com um pedido de casamento no palco. Abençoados por Dave Grohl, o casal ficou noivo em um palco repleto de história. O cantor trouxe seus tradicionais gritos, que ecoaram em cada centímetro do gramado. Esbanjando simpatia e presença de palco, o vocalista proporcionou uma experiência memorável do rock’n roll dos anos 90. A banda fez questão de performar canções de todos os álbuns, com Times Like These, All My Life e Best of Me.

Os quase 25 anos de carreira do Foo Fighter não são à toa. A banda segue como uma das principais bandas de rock do mundo e certamente encerraram a segunda noite da melhor forma possível. Que noite.

Foi apenas o 2º dia, mas 28/09 já está entre os  melhores do festival!