Olá Coxinhos, como sou do Rio, vou comentar hoje um fato que anda chamando bastante atenção no dia de hoje – a ocupação de favelas cariocas. Nesse final de semana foram ocupadas as favelas de Manguinhos e Jacarezinho, de acordo com a globo.com, “É a maior área já pacificada num só dia, em tempo recorde. Nenhum tiro foi disparado. Blindados removeram barreiras de trilhos e de concreto. Nesta segunda-feira (15), será intensificada a busca por armas, drogas e bandidos.”.

 

Os fãs do Eduardo Paes receberam seu prêmio por reeleger o prefeito na última semana – se isso não é cabresto silencioso, não sei mais o que seria. Antes que me matem virtualmente, não sou contra ocupação de favela, ações policiais para prender bandidos e apreender drogas e armas, sou muito a favor até, mas desde que sejam feitas de forma coerente e organizada. Invadir uma favela e não disparar um tiro não deveria ser a principal preocupação deles – a melhor notícia seria sobre a invasão de uma favela sem deixar com que todos os bandidos mais importantes fujam para outros locais do mesmo estado. Sim, eu posso falar disso porque moro no Rio de Janeiro e minha visão sobre o caso vai muito além de noticiários globais.

 

A criminalidade aumentou muito nas cidades e nos bairros que ficam nos arredores do Grande Rio, barulhos de tiros e casos de guerra de tráfico que viviam à distância até pouco tempo, passou a ser realidade de muitas pessoas. Não acho válida uma ação política/econômica/policial que simplesmente repassa o problema para outro município, não acho digno, não acho correto e muito menos passível de aplausos. Enquanto o senhor Eduardo Paes e seus amiguinhos políticos (que, para mim, só fazem aparecer na mídia) não traçarem uma ação para limpar os lugares que eles mesmos estão sujando, não terá meu apoio em nada do que está sendo feito no Rio de Janeiro.

 

Locais como a zona Oeste da cidade, conhecida (principalmente depois do filme Tropa de Elite 2) nacionalmente por ser o antro dos milicianos, hoje, está de portas abertas para bandidos fugidos do Grande Rio. Que limpeza hein senhor Eduardo Paes? Que limpeza! Estamos vendo a realidade de muitas famílias mudando de uma tranquilidade diária para mais tensão e terrorismo do que em qualquer outro tempo.

 

Relembrem o filme Cidade de Deus e pensem que hoje, mais de 50 anos depois que toda essa miséria carioca começou, ainda estamos no mesmo ponto, a ocupação de outros municípios e bairros cariocas ainda está acontecendo. Limpar a zona sul, o centro e todos os caminhos que levam turistas para estádios e eventos, vai livrar a imagem do Eduardo Paes para a mídia internacional, que está simplesmente focada na copa do mundo e nas olimpíadas… Não para o cidadão carioca. Uma vergonha!

 

Eu realmente acredito que deva ser muito difícil traçar uma estratégia para guerrear com o tráfico carioca, já que algumas pessoas que estão no poder apoiam descaradamente toda essa sujidade da nossa cidade. Desse jeito, tendo que avaliar interesses políticos e apoios financeiros para projetos, fica realmente complicado. Bom seria se a corja que apoia a bandidagem carioca fosse limada dessa cidade antes de começar uma ocupação como essa. Para que brincar de gato e rato, se os ratos recebem apoio de alguns gatos para encontrar o caminho sem ratoeiras para fugir e reconstruir suas vidas? Dessa brincadeira, desculpe, mas não quero nem ouvir falar…

Compartilhe: