Parece que nosso amigo Rick resolveu mesmo vestir a camisa de maluco. Não sei se somente eu senti isso depois deste quarto episódio da quarta temporada. O cara simplesmente resolveu dar uma de bonzinho e esquecer que está  vivendo em um apocalipse zumbi? Cade todo aquele alarde sobre ter que sobreviver, custe o que custar, faça o que fizer? Esqueceu? Não to curtindo essa nova fase anti-herói não…

 

Pois é, depois de dar ataque de piriri com quase todo mundo na última temporada, a bola da vez agora é Carol que está sendo recriminada pelo pseudo-líder só porque matou duas pessoas que morreriam de qualquer jeito da tal doença-gripe que assolou a prisão. Bom, não estou dizendo que a indiferença seja a solução para todos os problemas deles, mas as vezes ajuda a tomar certas decisões sim, ainda mais as mais difíceis. Neste episódio Rick teve que conviver mais de perto com a indiferença de uma mulher que, assim como ele, perdeu pessoas que mais amava. Carol perdeu seu marido (quem nem era tanto amor assim) e perdeu sua filha Sophia, ou seja, a mulher mudou e muito depois desses tapas na cara que a vida lhe deu.

 

the walking dead carol e rick

 

Com a demora do retorno do grupo de Daryl, Rick e Carol resolveram sair em uma expedição ao bairro mais próximo da prisão para tentar adiantar alguns medicamentos e primeiros socorros. Bom, eles encontraram casas quase totalmente saqueadas e uma casa que estava parecendo até arrumadinha demais. Claro que tomamos um susto com uma zumbi maluca descendo pelas escadas e, claro, dois sobreviventes novinhos em folha e dispostos a ajudar tiverem que aparecer neste episódio para morrer, porque sempre tem que morrer alguém.

 

Só sei que, para Rick, Carol novamente mandou os dois sobreviventes para a morte, novamente demonstrou indiferença e novamente lhe provou não ser mais digna de viver ao lado das pessoas da prisão e de seus filhos Judith e Carl. Bom, o resultado dessa história foi que  Rick acabou mandando Carol embora, procurar seu rumo, encontrar pessoas que aceitem esse jeito indiferente de ser dela. E ela foi. É mole? Não sei o que ele vai dizer ao Daryl, mas olha, se a gente perder o Daryl por causa disso novamente eu entro naquele seriado e… (ops).

 

the walking dead grupo

 

Enquanto isso, do outro lado da história, Daryl precisa lidar com um cara (que eu ainda não sei o nome) com passado alcoólatra e com um Tyresse suicida. Bom, tudo isso além de uma Michonne esquisita e cheia de tara por matar o Governador custe o que custar. Nesse passeio-terapia com o Tio Daryl, os três aprenderam uma lição. O mocinho alcoólatra aprendeu que perto do Tio Daryl e das crianças da prisão não se deve beber ou ter vícios que não tenham sido aprovado na prisão em que Daryl esteve (amo o Daryl, mas hipocrisia não né?), Michonne aprendeu que está procurando pelo governador já sem motivo aparente, considerando que sua raiva já passou. Esta última lição aprendida acabou por ensinar uma lição para o Tyresse que estava com raiva sobre a morte de sua namorada e amigo – bom, raiva não leva ninguém a lugar algum!

 

the walking dead daryl

 

Daryl e seu grupo conseguiram finalmente chegar a universidade para pegar os medicamentos anti gripais. Eles passaram muito de nível já porque olha, essa universidade escura e cheia de zumbi teria matado o grupo todo (menos Daryl, claro) na primeira temporada. Mas pelo menos eles agarraram tudo o que puderem e descobriram um caminho legal (ou quase, considerando a horda) de pegar medicamentos. Estou ansiosa somente pelo que acontecerá entre Daryl e Rick no próximo episódio, alguém precisa bater muito nesse Rick,  mas muito mesmo, mas muito muito mesmo… Só eu acho isso?

 

Agora vamos curtir o teaser do quinto episódio de The Walking Dead intitulado “Internment”:

 

 

Perfil Coxinha

Coxinha Nerd

Só eu vejo que vai rolar m** nos próximos episódios?
A favor dos nerds e contra a tirania dos Kibes.
Facebook | Twitter

 

Compartilhe: