Desde sua primeira temporada, The Boys criou seu próprio estilo. Seja criticando elementos da cultura pop do super herói, ou lidando com assuntos ainda mais sérios, como o racismo, o seriado tem sua própria forma irônica e caricata de criticar. Com a chegada da segunda temporada, ficou o questionamento sobre o que veríamos em tela, principalmente após todo o impacto deixado pela primeira leva de episódios. Felizmente, logo no primeiro episódio percebemos que o “estilo The Boys de ser” está de volta.

O primeiro episódio lida logo no início com um dos principais destaques da primeira temporada: a morte de Translúcido. Para os fãs de Liga da Justiça, é impossível não comparar o enterro do homem invisível com o enterro do personagem de Henry Cavill. A diferença? Enquanto o primeiro foi repleto de fãs e câmeras, o segundo foi silencioso e sombrio. A morte do personagem carrega um significado ainda maior, sendo a engrenagem que faltava para tudo implodir.

Os personagens

Trem Bala ainda está no hospital e é visitado todo dia por Starlight. Ela por sua vez, está mais sexualizada do que nunca na nova temporada. A menina do interior que lutou pelo direito de usar uma roupa que mostre menos o corpo, agora se rendeu a pressão da mídia e usa apenas um collant. Até o cabelo mudou. O rabo de cavalo deu lugar ao laqué tradicional dos anos 80/90, visto em estrelas de Hollywood.

Outro herói que ganha destaque no primeiro episódio é Profundo. Seus últimos momentos na temporada anterior nos mostraram o vislumbre do surto do personagem de Chace Crawford. Cansado de ser deixado de lado, insatisfeito com seu corpo e com a pessoa que se tornou, Profundo se rende a bebida. Seu arco de cenas ganha um novo personagem, Eagle – O arqueiro. No primeiro episódio não temos a oportunidade de conhecer muito mais do novo herói, interpretado por Langston Kerman, mas sua participação ainda promete trazer revelações ao seriado.

 

Os novos

O primeiro episódio traz um enfoque maior nos heróis, mas os “vilões” também ganham espaço. Agora procurados pela polícia, precisam dar um jeito de chegar a Vought, mas não contavam com algumas novas figuras surgindo no caminho. Conhecemos um sup. que levanta um barco, um sup. com capacidade de se regenerar e ainda um sup. cego, cujas habilidades de desvios são bizarramente precisas. Esse último, inclusive, protagoniza uma das melhores cenas do primeiro episódio ao lado de Pátria.

Não há como falar do primeiro episódio sem trazer novamente o “estilo The Boys”. Em uma das cenas mais bizarras e mais adequadas da série possível, Pátria encontra sua forma peculiar de sofrer pela morte de Madeleine. A chegada de Stormfront, a nova heroína escolhida para substituir Translúcido certamente o pega de surpresa e temos um novo conceito criado na série. O trio de mulheres heroínas não era o que Pátria esperava, principalmente quando Stormfront traz seu jeito irônico e debochado. Apenas no primeiro episódio já temos uma heroína com todo o potencial para ser, finalmente, uma heroína.

Por fim, já podemos concluir que todo primeiro episódio de The Boys precisa ter uma pessoa explodindo. Depois de Robyn, outra personagem secundária tem seu destino indo, literalmente, pelos ares. A cena é forte, mas já estamos acostumados com as surpresas de The Boys. Ainda no episódio, um detalhe chama a atenção: o personagem de Jensen Ackles na terceira temporada é mencionado na história. Mesmo que não retorne, já é a introdução que tanto aguardávamos.

The Boys retorna semanalmente ao Amazon Prime Video.