Certamente você já foi pego de surpresa com seu show favorito sendo cancelado pela Netflix, não é mesmo?

Inúmeras séries foram interrompidas de maneira prematura, onde suas histórias nem ao menos foram contadas, ‘The OA‘ é um desses exemplos.

Só em 2020, foram quase 30 produções canceladas; dentre elas, 80% só tiveram uma única temporada exibida. No entanto, precisamos levar em consideração o quão atípico é o momento que estamos vivendo e como isso justificaria o encerramento das produções. A questão é que, essa onda já vem ocorrendo ao longo dos anos e pegando muitos espectadores de surpresa, pois muitas dessas séries são aclamadas pelo público. Então, o que levaria a gigante do streaming a promover tantos cancelamentos?

Decidimos então trazer aqui, uma reflexão acerca dessa temática.

Primeiramente é preciso lembrar que a Netflix é uma empresa. Ela não tem a intenção de “acabar com sua vida” ao cancelar uma produção. Por mais que ela nos traga entretenimento e diversão, ela precisa analisar de maneira estratégica o que é benéfico para si.

Vocês já pararam para pensar que o cancelamento de uma série também gera Buzz para a empresa? ‘Anne with an E’, ‘The OA’, e mais recentemente ‘O mundo sombrio de Sabrina’ e ‘The Society’, movimentaram as redes sociais com inúmeras petições, com a esperança de que a Netflix voltasse atrás em sua decisão, assim como aconteceu com ‘Sense8’. E todo esse barulho, acaba deixando-a também em grande evidência.

O fato da Netflix se manter quase que constantemente em silêncio sobre seus números de visualizações, é parte da estratégia. Durante muitos anos, uma série de TV era considerada boa com base no tempo em que ela se mantinha no ar. A Netflix pode estar trazendo consigo novas regras e noções de negócio com produções de duas ou três produções no máximo. Então não se assuste se sua série favorita não se estender muito, esse é realmente o escopo proposto a priori.

Rumores dizem que muitas das produções canceladas ao longo dos anos, se deu devido seu alto custo. Mas será?

A Netflix é conhecida por dar aos escritores e produtores liberdade criativa no seu primeiro ano, e ao longo do tempo, costuma afunilar seus critérios para uma possível renovação. Aqui é impossível não lembrar -novamente- de ‘The OA’, onde foi sugerida uma opção para a conclusão da série, diferente da idealizada pelos criadores, que obviamente não foi aceita.

A plataforma visa variedade, e cada mês surgem novos projetos para os todos gostos; e por mais que o objetivo seja o de curtas temporadas, existem exceções: ‘Stranger Things’, ‘Orange is the New Black’ são exemplos; o que deixa claro que, ao menos que as séries sejam grandes sucessos de fato, ou sejam “notadas” nas temporadas de premiações, ela será cancelada ou terá no máximo 3 anos, somente… Ou até mesmo, nem passará da primeira leva de episódios.

Os cancelamentos excessivos deixaram realmente os espectadores confusos em 2020, já que muitos dos títulos fizeram barulho em suas estreias. Contudo, o fator “sucesso” / “visualização”, pode gerar para a plataforma a diminuição da diversidade na programação a longo prazo, tornando ativo de maneira constante somente títulos de buzz ou até mesmo blockbusters. Mas e os demais nichos? Será que podem ser afetados posteriormente? Cabe a nós a reflexão.

Ao mesmo tempo que a Netflix mostre coragem em trazer títulos que dialoguem com o cenário atual, com o momento onde vozes precisam ser ouvidas e histórias fortes contadas, me assusta a velocidade com que estas caem no esquecimento, ou não são continuadas.

Em suma, não há é uma explicação definitiva sobre real motivo, para que a Netflix cancele tantas séries, só realmente o fato de ser uma empresa que precisa se adequar aos problemas financeiros sociais, e ao mesmo tempo equilibrar na balança a necessidade de trazer histórias significativas para nós.

Enquanto isso, ficamos na torcida para que os nossos show favoritos permaneçam no ar.