Escolha uma Página

BORN IN THE USA!

Bruce Frederick Joseph Springsteen está entre os maiores cantores dos anos 70. O norte-americano já reuniu multidões ao redor do mundo e continua fazendo sucesso. Suas músicas influenciaram a vida de muitos desde o início de sua carreira em 1969. A história de um de seus fãs inspirou o filme O Poder da Música. 

Sarfraz Manzoor é um escritor, jornalista e radialista britânico. Paquistanês, viveu na Inglaterra xenofóbica de 1974. Vendo seu sonho de ser escritor correr por água abaixo, ele encontra nas letras de Bruce Springsteen um refúgio. Blinded By the Light- O Poder da Música traz todas as dificuldades e esperanças enfrentadas pelo jovem. 

O escritor

Desde os dez anos de idade, Manzoor escreveu um livro de memórias, o qual nomeou Greetings from Bury Park. No filme, o escritor é retratado pelo personagem de Javed Khan (Viveik Kalra). Sua família emigra para o Reino Unido buscando emprego, mas enfrenta a dificuldades de um país preconceituoso e intolerante. Lá, o menino estuda em uma escola predominantemente britânica, em Luton. 

Assim como o protagonista, Manzoor estudou na Universidade de Manchester. Ele queria ser escritor, mas o pai acreditava que o futuro só vinha com a economia. Anos depois, uma grande perda marca a vida do escritor, que a enxerga de melhor forma graças a música de Bruce. 

Ao lado de Gurinder Chadha e Paul Mayeda Berges, o escritor transformou sua história em um filme. Ao lado de Kalra, Mazoor assistiu ao lançamento sentado perto do próprio Bruce Springsteen. Após a passagem da produção, o cantor cantou alguns dos clássicos que inspiraram Manzoor. O filme foi um sucesso e chega ao Brasil essa semana.  

 

O poder da música

Luton vivia um período de agitação racial e econômica quando a família de Javed se mudou para o local. Lá, ele recorre ao poder da música e das palavras para fugir do pai repressor. Graças ao apoio de sua professora, vivida por Hayley Atwell, ele se entrega a poesia. Com isso, consegue enfrentar seus medos e o preconceito intrínseco na sociedade. 

Ao passo que as músicas vão sendo tocadas, letras surgem na tela e na cabeça do protagonista. Não pensem, porém, que O Poder da Música é um filme feliz, pois não é. A segregação enfrentada pelo escritor permeia até os dias de hoje e somos expostos a uma realidade não muito abordada no cinema. 

O pai de Javed é o retrato perfeito do ser humano intolerante. Ver uma cultura diferente tocando em sua casa, principalmente a norte-americana, é inaceitável. Ele tenta proibir a música de Springsteen a todo custo. Mas não consegue. 

Você é paquistanês. Você jamais será britânico. 

O Poder da Música é uma grande produção, com um conteúdo denso e necessário. Através da poesia da música, a história do escritor é contada nas telas. Em tempos de intolerância e xenofobia como os dias atuais, presenciar tal trama é de aquecer o coração. É um assunto que precisa ser falado e está sendo. 

O Poder da Música chega aos cinemas essa semana!