Mais uma rodada de cinco bandas para você conhecer e viciar! A frase do anúncio é meio pretensiosa, porque você já pode conhecer algumas ou todas as bandas, até mesmo odiá-las, mas o foco aqui é quem tá de paraquedas no assunto. A ideia é simples: coloquei as bandas que estão no meu smartphone agora. Se você gostou da ideia e deseja compartilhar a sua playlist, sugerir, reclamar, ou bater um papo, meu face(ou feice) e twitter tão lá embaixo ou manda e-mail para contato@coxinhanerd.com.br e eu dou sinal de vida.

 

A primeira banda de hoje é, com certeza, a maior revelação do metal nacional em anos. O Hibria começou com o ótimo “Defyng  the rules” e apontava para um som mais puxado pro melódico.

 

 

O álbum agradou muita gente, mas a banda apontava a ser mais uma de “power”  metal no meio de tantas que já existem em nossas terras e que não demonstra nada de novo. Porém o grupo oriundo de Porto Alegre nos presenteou com  “The skull Collectors”, para min  melhor trabalho deles.

 

 

O conjunto deixou um pouco de lado a pegada “power” e puxou o lado mais “heavy” com forte influência do Judas Priest. Foi aí que eles se destacaram e foram convidados para tocar no festival “Loud Park” no Japão, país onde são idolatrados muito mais que aqui. A banda também lançou “Blind Ride”, talvez o ponto mais baixo da carreira. O álbum não é ruim, muito pelo contrário, mas perto dos outros… alias, eles acabaram de lançar “Silent Revenge”   que inclusive está fazendo o blogueiro mudar de ideia em relação ao melhor cd…

 

 

Saindo do Heavy Metal nacional e pulando para o hard rock alemão, venho apresentar o Pink Cream 69. Bebendo mais da fonte do Hard americano e menos do estilo alemão de ser, o PC69 logo conquistou fãs com as duas primeiras bolachas, o auto-intutilado” Pink Cream 69 “(1989) e “ One Size Fits All”.  A banda tem como destaque nos primeiros registros o vocalista Andi Deris, o que credenciou o loiro a entrar no gigante Helloween. Na minha opinião, os melhores cd´s são o “Thunderdome” :

 

 

E o mais recente, “ceremonial”:

 

 

O PC69 conseguiu sobreviver todos esses anos porque executa um hard de origem, porém sempre se atualizando, se renovando. Contribui para qualidade da banda o entrosamento, já que são raras as trocas de músicos no conjunto. Só ocorreu a já citada saída de Andi Deris, e consequentemente, a entrada de David Readman. Houve também a entrada do guitarrista Uwe Reitenauer . O Pink Cream 69 continua firme e forte, e fazendo um som de ótima qualidade.

 

Continuando em terras germânicas, mas deixando as coisas um pouco mais pesadas, coloco nessa lista o “Primal Fear”. Criado por Ralf Scheepers , que tinha saído do Gamma Ray, o PF executa um Heavy Metal tradicionalíssimo, geralmente com músicas que exaltam o próprio heavy, entre outros assuntos. O registro que tá no meu smartphone é a compilação “Metal is forever – The very best of Primal Fear” com o clássico absoluto :

 

 

O Primal Fear tem uma discografia extensa, e garanto, não há um trabalho ruim. Heavy de qualidade, com certeza.

 

 

Mudando radicalmente de estilo, numa onda mais leve e virtuosa, tenho o prazer de postar John Coltrane. Na minha opinião, o saxofonista que conseguiu aliar técnica com feeling da melhor forma possível, John Coltrane tem uma discografia excepcional. Perfeito para jantares ou dar aquela relaxada depois do trabalho, posto aqui seu melhor trabalho:

 

 

Para fechar com chave de ouro: Pride and Glory. Esse é o lado mais “rednecck”e tranquilo do meu ídolo e guitar hero Zack Wylde. Mr. Wylde era o guitarrista da banda de Ozzy, e quando o mesmo anunciou sua aposentadoria( que não durou muito), Zack logo formou  o Pride and Glory. Com um som extremamente influenciado pelo country e blues americano, o conjunto executava um “fusion” rock magistral. Nos registros, não vemos um Zack Wylde consagrado,e sim um Mr Wylde com “fome”, querendo aparecer ( no bom sentido) e formando uma indentidade.

 

 

O Pride and Glory mostra os talentos de Zack Wylde no piano, com músicas como “sweet Jesus”. Aconselhado para quem gosta de um Southern rock ou só quer tomar um drink escutando um boa música.

 

 

Tá aí. É uma lista bem variada, com música boa e material pra dar e vender. Geralmente dou uma variada quando passo algo pra minha playlist, para ter músicas pra todo tipo de ocasião. Espero que tenham gostado. No próximo post falaremos de baixistas!

 

Perfil Jefferson

Jefferson Montenegro

Quando digo que é músicas para todas situações, é para todas mesmo…
Facebook | Twitter

Compartilhe: