No último dia 7 de janeiro, chegou na Netflix, uma das principais apostas à corrida do Oscar, ‘Pieces of a Woman‘.

O drama cru que acompanha os traumas da perda de um bebê, pode não agradar 100% do público, mas certamente foi pensado para brilhar na academia.

Estrelado por Vanessa Kirby e Shia LaBeouf, o longa entrega em seus primeiros 30 minutos a maior potência da produção, quando somos apresentados à este casal apaixonado que aguarda a chegada, mais do que esperada de sua menininha. O desejo? Que o parto seja feito em casa, com uma parteira. No entanto, o bebê entra em sofrimento ao nascer e acaba vindo a óbito minutos após seu nascimentos.

Posterior a esse momento, vemos uma mãe que tenta a todo custo apagar as memórias dessa criança, um pai desesperado que entende que a vida precisa seguir seu curso, e uma família pressionando para incriminar a parteira pela morte da criança.

Primeiramente é preciso enaltecer e muito as atuações, tanto de Kirby, quanto a de LaBeouf, que trazem para a tela sentimentos impactantes e dignos da obra. Enquanto Kirby, se deteriora ao tentar se remontar de forma lenta; LaBeouf é pura explosão e lida com tudo com raiva e vícios.

No entanto, não é muito difícil para o expectador nutrir sentimentos contraditórios para com ‘Pieces of a Woman’, isso porque a narrativa lenta e reflexiva em 75% do longa pode torna-lo desinteressante. Existem momentos que são quase esmagadores. O problema é que existem muitos outros momentos. 

Entre intrigas familiares, adultérios, doenças degenerativas, e abusos verbais, somos conduzidos por mais de 2hrs em uma produção que culmina em uma catarse pessoal, onde o expectador terá de tirar suas próprias conclusões, onde para cada um haverá um diferente significado, cabendo reflexão.

A verdade é que este filme trás a tona muitos questionamentos, e o principal deles é a maneira que cada pessoa vive seu luto e como os que estão a sua volta reagem e/ou compreendem.  ‘Qual é a sensação de lamentar algo que nunca existiu?’ Mas, não existiu para quem? A Mãe carregou o bebê por 9 meses, a presença sempre esteva ali. Então por isso digo, as camadas de ‘Pieces of a Woman’ são mais complexas do que se imagina em um primeiro olhar.

O título do filme ‘Pieces of a Woman’ representa exatamente o que nos quer dizer, uma mulher que lidar com sua dor e juntar os pedaços estilhaçados de sua vida. Só assistam.

O filme já está disponível na Netflix.