Acho engraçado como temos visto essa frase do título bombando mais do que tudo nas redes sociais. É só surgir um assunto polêmico que pronto, alguns se colocam contra, outros se colocam a favor e uma boa parte fica repetindo para todos os ventos que a internet torna as pessoas mais chatas. Vou te contar um segredo: as pessoas sempre foram chatas, você que não convivia com elas o dia inteiro como convive hoje através do seu Facebook.

Isso é realmente uma coisa muito bizarra, com a utilização massiva de redes sociais e a postagem compulsiva de tudo o que acontece em nossas vidas, nos tornamos pessoas sem limites. Alguém diz que foi assaltado em sua timeline, uns comentam que sentem muito, outros ficam preocupados e perguntam onde foi e como aconteceu, mas sempre tem aquele que vê que o status atualizado tem 10 curtidas e começa a pagar esporro em todo mundo dizendo que esse tipo de postagem não se curte.

bitch please

O mais interessante é que o motivo de existir um botão curtir no facebook não é tão literal como a maioria das pessoas pensa. Da mesma forma que o retuíte não é tão explícito em seu motivo de existir quanto a maioria dos usuários acredita ser. Essas são ferramentes que demonstram (para a rede social, acredite) o que nos interessa mais em nossa timeline. Você deve ter reparado que há uns três anos, no seu Facebook, você tinha acesso a tudo que todos os seus amigos postavam, o tempo todo. Isso irritava muitos usuários que até gostariam de ter uns conhecidos em sua rede social, mas não suportavam o quão chatos eles eram e sempre bloqueavam suas postagens – confesso, sou uma dessas.

O que nossa master inteligência em social media fez? Adaptou as redes sociais (principalmente o Facebook, claro) a nos mostrar apenas aquele conteúdo que sempre curtimos, comentamos, compartilhamos e afins. Porque? Simples também. Porque isso diz ao Facebook que gostamos daquele conteúdo, nos interessamos por ele, perdemos tempo lendo, comentando e compartilhando. Nada mais do que isso. O que para a empresa Facebook é ferramenta de medição, para o restante da humanidade, está se tornando motivo de guerra!

palhaçada

Ah! Existe também a polícia de monitoramento da sua timeline. Não se esqueça dela. Vou explicar quem são: Sabe aquela pessoa que leu, curtiu e comentou o que você disse mês passado sobre seu orgulho em ser gordinho? Então, se você resolver, esse mês, fazer dieta e mudar seus hábitos todos de vida, preocupe-se! Esta pessoa, conhecida também como policial de monitoramento de sua timeline, te cobrará coerência em seus pensamentos e comentários. Afinal de contas, quem é você para mudar de ideia com relação ao que você pensa? Não não queridos, vocês não tem esse direito. Se você diz que é a favor de alguma coisa e posta isso no seu Facebook, você nunca, em hipótese alguma, em nenhum momento, independente do argumento, das provas e de tudo mais, poderá se tornar contra essa mesma coisa. Senão? Eles estarão te vigiando:

facebook police

Agora uma coisa que não me sai da cabeça: imagine se na época da segunda guerra mundial, nós tivéssemos Facebook. Estaríamos aqui, em nossa confortável situação de país de apoio, lendo tudo o que se passa lá pelas bandas da Europa, curtindo e comentando conteúdos que simplesmente são colocamos em tempo real na web. Legal né? Pois é… Mas assim, será que conseguiríamos mudar ideais, fazer e acontecer, só gritando com todo mundo no Facebook? Xingando Hitler e seus amiguinhos? Criticando todos os nazistas e curtindo e compartilhando imagens de apoio aos judeus?

Pense nisso humanidade, pense nisso. E pense mais ainda: Pense naquele seu amigo que sempre prefere não entrar em brigas e polêmicas no Facebook, que preferiu fazer uma piadinha tosca porque cansou de ver todo mundo brigando na vida real e na vida virtual. Você diria que ele é um incapaz intelectualmente que não consegue ver o absurdo que está acontecendo no mundo e que é necessário postar sim tudo o que pensamos, fazemos, concordamos e discordamos? Ah ta, entendi.

Minha bisavó era apaixonada por Getúlio Vargas, ela o idolatrava, tinha um busto dele em casa, contava histórias fantásticas de como ele abriu o mercado de trabalho aqui no Brasil, como foi bonito ver todo mundo tirando suas carteiras de trabalho, as mulheres indo com força total para o mundo além do fogão… E quando eu conto isso para algum revolucionário que é completamente contra tudo o que o “tirano Getúlio” fez em nosso país, eu ouço que minha bisa estava equivocada, não tinha informação, conhecimento suficiente, a pessoa briga comigo pelo que eu conto. E o mais interessante é que geralmente essas pessoas não são novinhas e nem tem Facebook, ou seja, elas falam mesmo, não digitam. Aí eu só consigo pensar: Sei que a internet deixa as pessoas chatas, sei…. Antes de olhar a timeline do Facebook, olha para o espelho. Depois você loga.

Compartilhe: