Os passos para o pódio: do futebol para negócios!

-por , em 19/06 -
Os passos para o pódio: do futebol para negócios!

Quando as pessoas pensam em quem desfruta de um verdadeiro sucesso em sua carreira, dificilmente se questionam de que forma esta pessoa alcançou a vitória. De acordo com o livro “Vivendo e Aprendendo a Jogar”, de Jamil Albuquerque, “não olhamos os longos anos de preparo necessário para que, somente mais tarde, ela pudesse colher os frutos de seus esforços”. No entanto, sem dúvidas, ela utilizou um método para chegar até lá. No livro, ele explica que o método dos doze passos é um modelo consagrado pelo mundo inteiro para alcançar o êxito. Para ele, este é um dos métodos mais eficientes para a construção de alta performance humana. Sua inspiração veio de Napoleon Hill, “importante pensador norte-americano que passou a vida estudando o clube dos bem sucedidos”.

O primeiro passo é definir aonde se quer chegar. O autor utiliza o exemplo do jogador Ronaldinho Gaúcho, que tinha talento e habilidades para o futebol, mas também a certeza de onde queria chegar. No futebol, na vida e nos negócios, é necessário saber exatamente aonde se quer chegar e, toda manhã, se certificar se a rota está correta.

O segundo passo para o sucesso é a fé aplicada. Quando se exala o estado otimista, as coisas boas começam a acontecer. O autor fala sobre o jogador de futebol Rivaldo. Ele fez de tudo para ser um grande jogador de futebol e conseguiu. Ele também utilizava a fé aplicada quando reunia os jogadores no vestiário antes de uma partida para fazer uma oração. “A fé faz o ser humano acreditar em milagres”.

O terceiro passo para o êxito é o conhecimento especializado. O autor diz que “quem tem conhecimento tem vantagem competitiva e estratégica”. No entanto, apenas o conhecimento não basta. Deve-se saber o que fazer com ele. Rogério Ceni, o maior goleiro goleador do mundo, tem um grande talento, mas também investiu em conhecimento. “Ele não é o melhor por acaso, é o melhor porque se preparou para isso”, ressalta o Jamil Albuquerque.

futebol

O quarto passo é a imaginação, “a oficina onde são formados todos os planos criados pelo homem”. Costuma-se dizer que o homem pode criar tudo aquilo que pode imaginar. “No trabalho, pense constantemente nas maneiras como suas tarefas podem ser feitas melhor”. René Higuita, um ex-jogador colombiano, utilizou a imaginação para criar a jogada considerada mais bonita de todos os tempos. Segundo o jogador, ele conseguiu realizar a jogada depois de imagina-la, sendo aplaudido de pé pelos espectadores e sentido o calor da torcida dentro de seus pensamentos.

O quinto passo está na decisão. “Toda pessoa bem-sucedida é definida pela capacidade de decidir”. O jogador Neymar ilustra exatamente isso. Poderia ter aceitado ir para o exterior ainda na adolescência, mas decidiu ficar no Brasil, visando ser um grande ídolo nacional, posto que, desde a morte de Ayrton Senna, estava vazio. Ficando no país, daria o primeiro passo.

O sexto passo é a persistência. Manter-se na luta é o que diferencia o sucesso do fracasso. Exemplo disso é o Ronaldo Fenômeno, que desde sua má performance no campo na final da Copa do Mundo da França, em 1998, passou por diversas lesões e muitos apostariam que ele acabaria sua carreira. Mas não foi o que aconteceu. Ronaldo continuou com reabilitações, fisioterapias, treinos e, em 2002, comandou a vitória da seleção brasileira. Ronaldo foi uma das inspirações do governo brasileiro para a campanha “sou brasileiro e não desisto nunca”.

O sétimo passo é sobre o poder das mentes aliadas. “A diferença entre andar sozinho e andar por alianças é o que altera o rumo de uma vida”. No livro, Jamil Albuquerque cita o Cafu, que gritou o nome da esposa e homenageou a comunidade de onde veio quando levantou a taça do mundo de 2002. “Ninguém é capaz de projetar sua influência no mundo sem a cooperação amistosa de outras pessoas”.

futebol

O oitavo passo é a parceria intramuros. Aquela famosa frase que “por trás de um grande homem, existe uma grande mulher” é muito ilustrativa. “Quando as coisas ficam difíceis – e você pode crer que elas ficam -, pode ser abandonado pelos que pensava serem amigos. Mas, se você tem um bom cônjuge, nunca vai estar sozinho”, diz o autor. Zico, que tem irmãos e pai jogadores de futebol, construiu uma grande parceria dentro de casa em que jamais se sentiria abandonado. “Construa uma boa sustentação de laços familiares”.

O nono passo é a força de vontade, “a espada que nos faz ganhar a guerra”. Para exemplificar, o autor utiliza o jogador argentino Lionel Messi, que começou a jogar aos sete anos de idade. Aos onze anos, foi detectado um problema hormonal que afetaria seu crescimento. Como sua força de vontade era muito contagiante, um olheiro do Barcelona decidiu investir no menino, que hoje é um dos melhores jogadores do mundo.

O décimo passo é a mente subconsciente. “Você possui, em seu cérebro, a mais maravilhosa, miraculosa e poderosa força que o mundo jamais conheceu”, diz Jamil Albuquerque no livro. Para utilizar a mente subconsciente, é necessário manter dentro dela a imagem clara do objetivo alcançado. “Você sabe o que quer. Defina isso claramente. Então projete-o em sua mente. Mantenha-o. Visualize-se fazendo coisas e tendo coisas que conseguirá quando seu objetivo for alcançado”. Ao fazer este processo, o subconsciente indica o caminho mais lógico para chegar ao que se deseja.

O último passo está no sexto sentido, “aquele por meio do qual a inteligência infinita se expressa voluntariamente sem qualquer esforço ou demanda do indivíduo”. Este é, segundo Jamil, o ápice da filosofia de Napoleon Hill e poderá ser aplicado apenas após os onze passos anteriores serem entendidos e sido dominados.

Este artigo é baseado no livro “Vivendo e Aprendendo a Jogar”, uma série de textos voltados a mostrar as muitas semelhanças entre o mundo dos negócios e do futebol. Para saber um pouco mais sobre o autor, livro ou matérias publicadas curta a fanpage .

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você