Escolha uma Página

As panteras, desde o clássico dos anos 70, tem como foco mostrar a força feminina, sempre moldado ao que a sociedade pregava na época.

Desde os primórdios, as mulheres eram subestimadas e rotuladas como sexo frágil, e a produção/ Franquia vem para Desmistificar isso, mostrando -sempre- as “Angels” como mulheres cuja habilidades, iam além de cuidar da casa e família (se tivesse).

A série, ganhou uma versão cinematográfica nos anos 2000 com Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu, onde ficava evidente e sexualização das personagens e não nas habilidades que iam além de seus decotes.

Contudo, em pleno 2019 uma nova versão era anunciada, e de cara chamou a atenção, afinal, o que poderia ser feito de diferente do que já era conhecido? E eu te respondo, TUDO!

Repleto de nostalgia e referências “As Panteras” apresenta Kristen Stewart como Sabina, simplesmente divertida e sem filtro (Como nunca vi a atriz antes), Ella Balinska como Jane, uma ex agente acostumada afazer tudo sozinha, e uma das mais fortes (Esta foi uma grata surpresa, extremamente talentosa e expressiva), já Naomi Scott é Elena (Simples, sutil, hilária)funcionária de uma empresa de Tecnologia, que passa a ser alvo. Todas elas passam a ser lideradas por Elizabeth Banks, após aposentadoria do antigo Bosley.

A química entre as atrizes é uma das melhores que já vi em filmes desse gênero, passaria mais algum tempo as assistindo tranquilamente, tamanho envolvimento com a história, mesmo pecando no desenvolvimento acelerado de alguns personagens, ainda assim vale a pena.

Banks dirige e roteiriza essa nova versão das Angels, e talvez por isso vemos com tanta intensidade a mudança nos padrões já ditos como comuns dos filmes de espiãs, este definitivamente, fica na trama e na construção dos personagens. Há sensualidade, sim… mas agora como arma para seus adversários.

Desde o início o Girl Power fica evidente, seja por só mostrarem meninas na abertura, ou até os estereotipados personagens masculinos. Mas tudo é aprendizado, e a lição é mostrar que poder não é só independência ou beleza ou inteligencia e sim a união, isso sim faz a diferença.

As panteras foi realmente uma grata surpresa, seja pelo seu elenco, seus convidados especiais, suas referências que com certeza te deixará feliz ao sair do cinema.

O Longa chega dia 14 de novembro aos cinemas