“Frank… se ainda estiver perto o bastante para me ouvir… eu te amei… muito. Você foi o meu primeiro amor.” – Claire Randall Fraser”

É difícil ter surpresas quando uma série de TV é baseada em uma saga de livros de sucesso. A adaptação de Outlander, principalmente a 1ª temporada, foi bastante fiel aos livros, mas neste último domingo fomos surpreendidos com uma mudança e isso foi muito bom. Ron Moore presenteou os fãs com a ótima surpresa de que Murtagh sobreviveu à Culloden. Sim, eu desde a minha primeira review desta temporada já havia preconizado, “se não há corpo, eu acredito que ele não morreu”, e assim foi Mumu o meu mau humorado preferido está vivo. O querido padrinho de Jamie – spoiler para quem ainda não leu o quarto livro da saga – e parece ter tomado o lugar de Duncan Innes que será um personagem que se tornará o braço direito de Jamie durante as suas aventuras.

Ainda no século XVIII, na prisão de Ardsmuir onde o novo diretor, Lorde John Grey (David Berry), assume o posto e o antigo diretor fala sobre a rotina da prisão, sobre a história do ouro do francês e como encontrá-lo faria com que a Coroa Inglesa o visse com bons olhos. Fala também sobre o prisioneiro mais famoso de lá James Fraser, James o Ruivo, que é um líder respeitado pelos prisioneiros e chamado por eles de Mc Dubh, ele comenta que tem o hábito de jantar uma vez por semana com Jamie.

John vê e reconhece Jamie que é o único prisioneiro que está acorrentado, como o escocês que o enganou e o humilhou anos atrás. Dias depois um homem é encontrado vagando pela área de fora da prisão, muito doente e delirando em francês e gaélico sobre o ouro do francês. John faz um acordo com Jamie que se ele traduzir o que o homem tem a dizer sobre o ouro vai tirar as correntes dele. O homem conta sobre o tesouro, fala sobre Colum, Dougal e a mãe dele Ellen Mackenzie, e também sobre a feiticeira branca que está à espera de um homem corajoso. Jamie não revela tudo a John e pensa que a feiticeira branca possa ser Claire.

John chama Jamie para jantar com ele onde ele torna-se o representante das necessidades dos prisioneiros. Jamie foge para investigar a história que o homem contou. Depois de três dias ele volta e confronta John, onde revela que ele lembra do encontro deles antes de Prestonpans, sobre o irmão dele ter salvado a sua vida em Culloden. Jamie explica o motivo da sua fuga e diz que não encontrou o ouro que o Rei da França teria enviado ao seu primo Príncipe Charles, mas apenas uma caixa vazia com uma safira azul que entrega a John como prova.

Há um avanço na amizade de Jamie e John, ambos são cavalheiros, cultos, gostam e jogam xadrez, há muitos pontos de sintonia entre eles. Essa amizade torna-se uma válvula de escape para Jamie durante a sua jornada na prisão e também é uma distração para os seus companheiros de cela quando Jamie descreve tudo o que ele comeu durante o jantar. Os amigos compartilham sentimentos verdadeiros como o amor e a dor que Jamie sente por Claire, assim como John também confessa os seus sentimentos por um amigo há muito perdido.

Jamie agradece a John pela coragem dele em ter defendido a honra de Claire naquele episódio anos atrás. É nítida a admiração de ambos e também Sam Heughan e David Berry demonstram um entrosamento em cena que faz com que seja bom vê-los juntos em cena. John não consegue mais esconder os sentimentos que tem por Jamie, toca e faz carinho em sua mão, mas depois de toda a violência que Jamie sofreu nas mãos de Black Jack Randall, ele não admite qualquer aproximação e pede para que ele tire a mão, ou então o matará.

Apesar do mal estar, quando a prisão é fechada e os prisioneiros são enviados para a colônia na América para trabalharem por 14 anos para depois serem libertados, John arranja para que Jamie vá trabalhar em Helwater em vez de mudar para outra prisão, fala que virá uma vez por mês para cuidar do bem estar dele e diz que o melhor é que ninguém saiba que ele é um prisioneiro famoso e que mude de nome. Jamie pergunta por que ele está fazendo isso se ele não concedeu o que John quis. John diz que aquilo foi um ato de fraqueza e que todas as dívidas estavam pagas, assim que Jamie aproveitasse a sua vida.

Já na década de 50 vemos um Frank preparando um café da manhã e Claire sugerindo um cineminha mais tarde, dá a opção de dois filmes, mas Frank admite que ele já viu os dois. Depois Claire está recebendo em sua casa os seus colegas para comemorar a sua formatura, Frank a toda hora pergunta o horário da reserva do jantar dela e dos amigos, mas diz que não pode ir porque tem trabalho a fazer. Nisso a campainha toca e o “trabalho” de Frank chega com Claire abrindo a porta e dando de cara com a colega de linguística dele.

Todos percebem o mal estar entre eles e saem para jantar. Mais tarde Frank retorna alegrinho com uns goles a mais e Claire o confronta sobre o ocorrido. Eles têm uma briga terrível onde muitas coisas são ditas, Claire pede o divórcio, mas Frank nega-se e fala que não pode viver sem a filha. Claire fala que jamais separaria ele de Brianna, mas ele diz que ela já deixou de cumprir acordos antes.

Brianna (Sophie Skelton) conclui a escola secundária. Claire e Frank têm uma conversa final onde ele informa para ela que quer o divórcio, vai para a Inglaterra onde foi oferecido um novo emprego, vai casar e retomar a sua vida e levar a sua filha com ele porque agora ela tem 18 anos, pode decidir sozinha e não precisa da aprovação de Claire para isso.

Claire se revolta e fala que ele planejou tudo isso esperou que ela tivesse 18 anos para tirá-la dela, mas que podia pedir o divórcio, só que jamais alegar adultério da parte dela, mas se ele fizesse isso ela admitiria que houve sim adultério, afinal Brianna era filha dela e de Jamie. Frank pergunta se por acaso Brianna não fosse tão parecida com Jamie, ela o teria esquecido. Claire responde com uma sinceridade crua que jamais esqueceria Jamie. Frank sai de carro e Claire é chamada para atender um paciente.

No hospital, o seu amigo Joe Abernathy (Wil Johnson) avisa para ela que Frank sofreu um acidente de carro. Claire encontra Frank já morto e tem uma despedida emocionante.

Foi triste ver a ruína em que se transformou a relação entre Claire e Frank. Quando Jamie aparecia acorrentado na prisão era um sensação sufocante e angustiante e foi essa mesma sensação que eu senti na prisão sem paredes que Claire vivia em seu casamento. A autora Diana Gabaldon por muitas vezes falou que nunca temos certeza se Frank realmente trai Claire, porque Claire é uma narradora não confiável.

Eu li os livros e não concordo com ela, nos livros Frank trai sim Claire e o Frank dos livros não é esse tão bonzinho apresentado na série. Sim Frank é um homem honrado e que foi muito apaixonado por uma mulher que não conseguiu esquecer o homem que amava mesmo com séculos de distância. Matt Roberts que escreveu o episódio assumiu uma posição clara, Frank traiu Claire e não agiu assim de forma tão correta, ele trai, ela pede discrição, ele se vinga dela ao não ir no jantar de comemoração de sua esposa e ainda recebe a amante na casa deles. Os dois cometeram erros por amarem demais e insistirem em um acordo que não tinha como ser cumprido.

O Frank que eu vi neste episódio foi o Frank dos livros, ele foi cruel, mas será que eu posso realmente culpá-lo? Não sei como seria viver em uma relação com uma pessoa que amo tanto e que essa pessoa não consegue amar de volta. Mas confesso que fiquei com o coração partido de vê-lo morto ali naquela maca de hospital e foi triste ver a despedida tardia de Claire, um fim muito triste para uma relação que um dia já teve amor. Caitriona Balfe e Tobias Menzies são atores fabulosos, cada sentimento estava presente em cada olhar, gesto, fala e lágrima deles. Sentirei falta desse embate maravilhoso deles em Outlander.

Seja bem-vindo David Berry com o seu querido John Grey, adorei ver todas as emoções em seu olhar e também aquela única lágrima em seu belo rosto. Quero muito vê-lo de novo em Outlander. Eu considerei este o melhor episódio até agora. E John, Jamie, Claire e Frank me mostraram que nem todas as prisões possuem quatro paredes, as paredes invisíveis da alma nos acorrentam e machucam mais. Respirar e aguardar pelo próximo episódio e o que Helwater trará, será que finalmente Claire decidirá voltar para Jamie? Semana que vem eu saberei e contarei.

OUT¹: – Fale antes que eu morra de velhice. – Murtagh FitzGibbons Fraser (saudades desse humor ácido e bem feliz com a sua volta Mumu).

OUT²: O que foi Tobias Menzies do lar mostrando suas qualidades de chef, ele de óculos e mesmo bêbado ele é muito charmoso. E nem havia citado o momento toalha no episódio anterior.

OUT³: Se olhar para os cabelos, gestos e rosto de sua filha traz a memória de Jamie para Claire, para Jamie lembrar das ervas e para que serviam, o cheiro delas faz com que Claire esteja viva para ele. E tanto para um como para o outro isso dói demais, que venha esse reencontro porque é muito amor e sofrimento demais!

Texto: Mari Barros

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter Instagram

Convencido a dar uma chance para Outlander? Aproveite veja nosso último vídeo sobre a série!

Veja mais sobre Séries e Outlander