Oscar 2014 – Os filmes

-por , em 01/03 -
Oscar 2014 – Os filmes

I´m back, baby! Depois de um período meio sabático, uma participação na Campus Party e outros acontecimentos aqui e ali, estou de volta às postagens do Coxinha! Por ser semana do Oscar vocês bem sabem que eu precisava me manifestar e como faço todos os anos – mas pela primeira vez aqui – assisto todos os filmes indicados, faço uma reflexão e penso quem merece ganhar e quem não merece.

Pois bem: esse ano devido a alguns obstáculos um pouco maiores que o normal não consegui ver todos, mas sim sete dos nove indicados. Por isso, pra poder escrever um post com credibilidade, contei com a little help from my friend Rafael, que quando não está fazendo vídeos de incentivo ao turismo pelas ruas de Budapeste, onde ele mora, assiste How I Met Your Mother e discute sobre filmes comigo. O Rafa assistiu três filmes: O Lobo de Wall Street, Capitão Phillips e Trapaça. Foi sobre os dois últimos que ele deu sua opinião  aqui (não tenho responsabilidade sobre as opiniões destes dois filmes, ok?) Sobre os demais podem brigar comigo mesmo.

Gravidade

Gravidade

Eu adoro a temática “Nasa” no cinema. De Apollo 13 a Armageddon, eu piro nos filmes de astronautas e afins. Curti bastante a sinopse do filme, curti o elenco e quando fui assistir… sim, eu gostei muito também.

O filme é ótimo, bastante criativo (me deu um pouco aquela sensação daquele clássico da Sessão da Tarde O Carro Desgovernado, com aquele medinho da Sandra Bullock morrer a qualquer momento) e meu deu orgulho de ser um dos mais cotados pro Oscar. É de um roteiro tão simples e fácil que merecia um prêmio especial só por isso porque em muitos filmes desse segmento se tem uma necessidade tão grande de complicar a história que dá preguiça. E não foi esse caso.

Chance de Oscar: 9. Merecia, está bem cotado e deve ganhar nas categorias técnicas às quais concorre e o prêmio de melhor diretor pro Alfonso Cuarón que já ganhou o Golden Globe. Mas vai perder o de melhor filme para…

12 Anos de Escravidão

12 anos post

E nem é o meu filme preferido pra ganhar – vocês logo saberão qual é. É a aposta mais óbvia pra ganhar o Oscar e tem razão de ser mesmo. A história do cinema e do Oscar esfrega isso na nossa cara.

12 Anos de Escravidão é pesado. Conta uma parte da história da escravidão dos negros nos EUA de uma forma mais cruel e forte. Tem cenas de violência explícita, uma história triste e um roteiro denso. E é daqueles filmes que deixam um legado, segundo essa notícia aqui. Ou seja, tem o perfil de vencedor do Oscar.

Mas tenho que dizer que o filme é bom. E é de uma fotografia maravilhosa.

Chance de Oscar: 10.

Trapaça

Trapaça

Tenho que dizer que apesar de uns erros de harmonia no filme, Trapaça me agradou principalmente pela boa relação no filme entre os personagens Irving Rosenfield (Christian Bale – Concorrendo ao prêmio de melhor ator), Richie DiMaso (Bradley Cooper – concorrendo ao prêmio de ator coadjuvante), Sydney Prosser (Amy Adams – concorrendo ao prêmio de melhor atriz) e  Rosalyn Rosenfeld (Jennifer Lawrence – concorrendo ao prêmio de melhor atriz coadjuvante). O filme ainda conta com participações de Robert De Niro (como mafioso, óbvio) e Jeremy Renner (prefeito corrupto).

A História se desenrola sobre como Irving começa a desenvolver métodos de obter dinheiro facilmente enganando as pessoas onde ele acaba por conhecer a belíssima Sydney e sua majestosa interpretação na qual se faz passar por uma nobre inglesa e ao tentarem dar um golpe em Richie, agente do FBI disfarçado os mesmos são forçados a trabalhar em conjunto com o mesmo para capturar outros impostores para que possam ter suas penas reduzidas. Entre confusões amorosas entre o trio e a bela e confusa esposa de Irving, Rosalyn,  todos participam de um grande golpe para prender políticos americanos interessados em usar dinheiro de um suposto Sheik árabe para reformar a badalada e “quebrada” Atlantic City.

Enfim, Bale não empolga e com certeza não leva o prêmio, Cooper tem atuação discreta e também não tem muitas chances, porém as mulheres se sobressaem e ambas possuem grandes chances de terminar a noite de premiação como melhores atrizes por um filme que ainda concorre pela estatueta de melhor filme, mas que não deve se sagrar vencedor pelo menos nessa categoria.

Chance de Oscar: 6

Capitão Phillips

Capitão Phillips

Há de se dizer que geralmente é uma aposta com boas chances de ganhar quando se tem no elenco nada mais nada menos do que o Sr. Tom Hanks, um dos nomes mais badalados das ultimas décadas em Hollywood… mas o problema é esperar que apenas a maestria do mesmo vá fazer com que um filme se torne um ganhador de prêmios como o Oscar.

Capitão Philips poderia ter sido melhor redigido para que apresentasse um melhor desfecho e para que se desse um pouco mais de ação, suspense e enfim Hollywood para o mesmo, pois a história que se baseia em um sequestro de um navio cargueiro americano por Piratas da Somália não da aquele tom de aventura que se espera, ainda mais quando se tem no elenco um Tom Hanks.

Há de se destacar a boa performance do pirata Abduwali Muse (Barkhad Abdi) o qual concorre para prêmio de melhor ator coadjuvante e que surpreende em um filme que não surpreende e não empolga em nada. Diga-se de passagem que a forma como é feita a abordagem dos Marines norte americanos para interceptar o bote onde os piratas mantém Philips como refém é realizada de uma maneira pouco comum ao normal visto em filmes Hollywoodianos onde tudo parece ser muito calmo (novamente falando, falta emoção ao filme).

Chance de Oscar: 2

O Lobo de Wall Street

O Lobo

Na verdade eu ia pedir pro Rafa dar suas impressões sobre esse filme também pra que isso fosse feito por alguém imparcial. No entanto, ele ficou tão ou mais eufórico do que eu depois de assisti-lo e resolvi escrever eu mesma.

Vocês sabem que eu sou #TeamScorsese e acho lindo tudo o que ele faz. Até de Hugo, o filme em 3D – eu não gosto de filme em 3D – eu gostei. O Leonardo DiCaprio está absolutamente sensacional e eu sempre digo que a carreira dele pode ser dividida em a.S. d.S. (antes de Scorsese e depois de Scorsese). É nítida a absurda evolução dele desde Gangues de Nova York a cada filme, inclusive de outros diretores. Jonah Hill, incrível. Se existisse um Oscar de melhor participação especial, o Matthew McConaughey ganharia com louvor – e no discurso de agradecimento faria o ritual do chest beat. Mas mesmo que eu não tivesse assistido O Lobo… e não tivesse comprovado tudo com os meus próprios olhos, eu diria que ele vai ganhar disparado. É, meus amiguinhos, mas ele não vai 🙁

E não vai por uma única razão: nenhum filme que tenha entrado pro Guinness Book por ter a palavra “fuck” falada mais vezes na história do cinema (mais precisamente 506 vezes) ganhou ou vai ganhar o Oscar. Pra algumas coisas a Academia ainda é meio quadrada conservadora.

Chance de Oscar: 7. No entanto, apesar de remota, a possibilidade do Scorsese ganhar como melhor diretor é  maior.

Clube de Compras Dallas

AMF_0798 (211 of 292).NEF

Ta aí um filme que tem história de Oscar, atuações de Oscar, porte de Oscar mas não vai ganhar o Oscar. E não me perguntem por que.

Eu já sabia que o Matthew McConaughey tinha não só emagrecido, mas se transformado completamente pra dar vida ao Ron Woodroof no filme. Eu só não imaginava que TANTO. Depois que assisti, fui procurar uma foto do Ron real e achei que a semelhança física ficou espantosa. Além disso, o Jared Leto tá muito, mas muito mulher no filme. Devem ganhar por suas atuações em suas respectivas categorias e muito merecidamente. E digo com muita dor no coração porque essa era aquela hora que o Leo finalmente ganha um Oscar depois de anos sendo desprezado pela Academia, assim como aconteceu como Scorsese. Pois é amiguinhos, mas ainda não vai ser dessa vez.

O que na verdade me conforta é que a atuação do McConaughey convence o suficiente pra isso. Eu ficaria preocupada se o Christian Bale fosse favorito e eu sei que não vi Trapaça ainda pra tirar esse tipo de conclusão, mas é o Christian Bale, o Batman que eu não curti. Mas isso é uma outra história.

Chance de Oscar: 7. Não por mim, mas não tá com cara de que vai ganhar como melhor filme. Uma pena, é um dos que mais merecia.

Philomena

Philomena

Eu amo a Judi Dench, mesmo. E nem é porque ela é a M dos últimos filmes do 007, é porque ela é diva mesmo. Em Philomena ela está incrível como sempre. A história é tensa como a maioria dos indicados esse ano, já que fala de adoção, filhos perdidos, religião, imigração irlandesa, etc.

Vou confessar que: apesar da história boa e atriz melhor ainda, achei o filme um pouco arrastado e dei umas bocejadas. O roteiro é ótimo mas senti que faltou uma adrenalinazinha, uma emoção mais forte. Fiquei com aquela sensação de “gostei, mas…” . Não consegui completar essa frase.

Chance de Oscar: 5. Se ganhasse alguma coisa, seria pela Judi mesmo.

Nebraska

Nebraska

Foi filmado em preto e branco. E filme em preto e branco é muito amor. Historicamente filmes em preto e branco já entram na competição do Oscar com alguns pontos de vantagem sobre os demais.

E o filme é bem bacanudo. Confesso que a sinopse não me animou muito mas apesar de longo a história é engraçadinha. E trata essas coisas de família, dinheiro, relações e etc de uma forma bem transparente e com um leve toque de sarcasmo. Dei umas risadinhas. Além disso a atuação do Bruce Dern é fantástica – ele foi o responsável pela maior parte das risadinhas – e ainda conta com ninguém menos que Bob Odenkirk, sim! O Saul Goodman de Breaking Bad fazendo um papel sério, mas impossível não dizer mentalmente “Better call Saul” a cada vez que ele aparece.

Estou contando um pouco do enredo de Nebraska porque sei que 80% de vocês não assistiram porque tem preguiça de filme em preto e branco. E esse é bem legal mesmo, mas a história contada não é pra todo mundo porque nem todo mundo vai ter paciência pra assistir.

Chance de Oscar: 4. Apesar de ser bom e do fator preto e branco.

Ela

Ela

Deixei este por último propositalmente porque pra mim foi a melhor surpresa entre todos os indicados desse ano. Uma misturinha de Wall-E com clipe do Fatboy Slim filme hipster. Bom, na verdade tem uma hipsteragem nele porque é dirigido pelo Spike Jonze. Fim.

Mas é tudo tãããããão lindinho nesse filme que nem sei por onde começar. Eu nunca achei que iria curtir outro personagem do Joaquin Phoenix depois do Johnny Cash dele em Johnny & June  mas é impossível não se apaixonar pelo Theodore. É impossível não  se apaixonar pelo casalzinho fofo formado por ele e pela Scarlett Johansson travestida de sistema operacional – não meninos, ela não aparece no filme. Superem isso.

Eu fiquei encantada com Ela. E era o filme que eu botava menos fé de que eu iria gostar, entre todos os indicados. Já tô até me questionando porque nem Phoenix nem Jonze foram indicados. Sim, eu gosto do Spike Jonze e não é de hoje. Todo mundo tem seu lado hipster guardado em algum lugar.

Ah e quem conhece a Rooney Mara só como Lisbeth Salander de Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, acho que vocês ficarão um pouco surpresos.

Chance de Oscar: 3. Não é filme de Oscar. Mas é o filme do meu coração <3

Um fato curioso: neste ano, somente três (Ela, Nebraska Gravidade) dos indicados são ficção – os demais são baseados em histórias reais.

Depois do Oscar, falamos mais sobre isso  🙂

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você