O vício das Redes Sociais

-por , em 19/07 -
Não há dúvidas de que as Redes Sociais chegaram para ficar! Se você não é membro de uma das mais famosas ~ Twitter, Facebook, Orkut (Sério?) ~ pelo menos você já ouviu falar nelas.
Há quem diga que as Redes Sociais fazem parte de seu dia-a-dia, como um microondas ou TV, por exemplo, e que não são viciantes, e sim complementos de suas relações sociais.
Não sei se vocês se recordam, mas quando aconteceu o ‘boom’ da internet, todos se preocupavam com o ‘vício da internet’, as ‘consequencias psico-sociais’ que poderiam gerar e o quão distantes uns dos outros estávamos ficando. As Redes Sociais se transformaram em janelas virtuais, onde qualquer um pode entrar e ver o que você está fazendo em sua vida, onde você está, o que você está comendo, com quem você está, como está seu humor e quais são seus planos para ‘mais tarde’. Não vejo a mesma preocupação de antes…
Expor suas idéias, fotos, vídeos, características e pensamentos virou um verdadeiro vício, muitas vezes comprometido pela habilidade alheia de ‘procurar saber sobre a vida de todos’ sem ter mais a preocupação de ser chamado de ‘fofoqueiro’.
A disponibilidade pra as Redes Sociais gira em torno de 24/7 (24 horas durante os 7 dias da semana), isso porque a oferta de distrações é infinita. Você pode interagir com amigos (ou não) sobre tudo e qualquer coisa a qualquer hora do dia. Sempre terá alguém disposto a trocar meia dúzia de palavras sobre o ‘clima’, por exemplo.
O mais interessante é que com a ‘onda de acessos à redes sociais’, quase ninguém está percebendo o tempo que está sendo dedicado à este tipo de atividade. É comum hoje em dia encontrar mesas de bar em que os amigos conversam e interagem virtualmente, mesmo estando frente a frente. Existe algo mais estranho do que isso? (Carinha de culpada escrevendo isso, rsss)
É cientificamente comprovada a importância que o Twitter e o Facebook têm em nossas vidas. A televisão, invenção que sempre dominou o tempo livre das pessoas já se utiliza de artifícios para continuar presente em nossas vidas, através das redes sociais. É comum ao final dos programas populares ver mensagens como ‘Continue conosco através do nosso perfil no Twitter ou Facebook’. Não têm mais como fugir, estamos todos conectados 24 horas por dia, onde quer que estejamos.
Temos que tomar muito cuidado porque as redes sociais foram criadas para ‘agarrar’ seus usuários. As redes se entrelaçam de uma tal forma, que nos tornamos compulsivos e quanto mais perfis virtuais possuímos, mais sociáveis somos (em nossa mente). Essa virou a classificação real de nossas relações sociais. Não importa mais quantos amigos te procuram na porta de casa para te chamar para sair. O que importa é quantos amigos você tem online diariamente, quantos RT você teve em seus pensamentos do Twitter ou quantas pessoas curtiram ou comentaram suas publicações no Facebook.
Vejam abaixo algumas declarações de pessoas que identificaram em suas vidas problemas gerados pela utilização de redes sociais:
“Eu acho que é realmente um grande problema para mim, porque quando eu reservo um tempo para um período de pausa ele parece crescer por causa do Facebook. Faço uma pausa e fico absorvida nele, por isso a minha pausa de 15 minutos se transforma numa hora, e é aí que se torna um problema.”
“O Facebook definitivamente interfere com o meu trabalho da escola. Se eu vejo que há uma festa programada vou ver quem vai e quem respondeu ao convite. E se alguém alguém escreveu no mural da minha namorada, eu vou verificar quem são aquelas pessoas.”
“É tudo sobre quem tem os mais posts no mural, algumas pessoas têm mais de 2000 posts no mural. Eles falam sobre coisas que não são importantes e que não precisam ser ditas lá, mas faz parecer como se tivessem uma vida.”
Acho que na verdade, cabe a cada um de nós avaliar a quantidade de tempo que dedicamos às redes sociais e perceber se este tempo está realmente acrescentando valor à nossas vidas. O uso de rede sociais deve ser razoável, de forma que não prejudique nossas atividades normais e usuais.

Você conhece os 27 sinais de dependência do Twitter? Veja abaixo:

Você pode estar ou ficar viciado no Twitter, quando sete ou mais dos seguintes sinais acontecem simultaneamente com você:

 

  • Ficar muito excitado quando alguém o segue no twitter;

 

  • Sentir como se fosse o fim do mundo quando o twitter fica inativo;

 

  • Enviar tweets e retwets por e-mail para os amigos;

 

  • Pedir aos leitores do seu blog para o seguirem no twitter, depois pede aos seus seguidores do twitter para fazer retweet do tweet;

 

  • Colocar mais tweets que artigos no blog, e passa de blogueiro a tweeter;

 

  • Passar grande parte do seu dia no twitter, desculpando-se (mentalmente pelo tempo dedicado a esta atividade) e acreditando que está fazendo um ótimo serviço para os seus seguidores;

 

  • Twittar e saber que está prejudicando o seu trabalho ou emprego;

 

  • Sentir-se na lua ou no topo do mundo quando alguém faz retweets no seu tweet;

 

  • Fazer pesquisas em tempo real no seu nome de Twitter e nos seus tweets;

 

  • Fazer continuamente refreshing na sua página de twitter à procura de novos tweets;

 

  • Incluir o seu perfil de Twitter na sua assinatura do gmail ou hotmail, ao invés do seu blog;

 

  • Imprimir o seu Id do Twitter nos seus cartões de visita;

 

  • Ter o twitter definido como homepage do seu browser;

 

  • Adicionar um aviso na frente da porta do escritório – “Estou no Twitter, Não perturbe”;

 

  • Usar mais de 5 contas de Twitter;

 

  • Adicionar seu nome no Twitter de alertas do Google para saber o que os outros estão falando sobre você;

 

  • Blogar muito sobre aplicações para o twitter;

 

  • Colocar na sua mensagem de estado do msn: “Siga-me no twitter”

 

  • Usar o Twoogle para procurar no Google e Twitter;

 

  • Incitar constantemente os seus familiares e amigos a terem uma conta no Twitter;

 

  • Seguir muitas pessoas no Twitter;

 

  • Apresentar-se a novas pessoas mais como Tweeter do que como Blogueiro, pessoa de negócios ou estudante;

 

  • Ficar louco sobre o Twitter e anunciar em jornais, anúncios e em tudo quanto é lugar para que lhe sigam no Twitter;

 

  • Colocar o seu Id do Twitter na porta da sua casa;

 

  • Enviar muitos SMS para todos seus amigos para que lhe sigam no Twitter;

 

  • Forçar a sua esposa/namorada a ter uma conta no Twitter e seguir você, ou então coloca a relação em cheque;

 

  • Só usar roupa com logotipos do Twitter.

 

A pergunta é: O que as redes sociais nos oferecem? Porque dedicamos tanto tempo de nossas vidas a estes aplicativos?
Os últimos estudos da Retro Gadgetology questionaram os usuários das redes sociais sobre: quando, onde, e quanto tempo passavam em sites e serviços como o Facebook e Twitter.
Os resultados são surpreendentes (ou não), veja um dos exemplos de perguntas:

Você verifica/atualiza o Facebook ou Twitter depois de ir para a cama?

48% sim, durante a noite ou assim que acorda.
< de 25 anos (19%) e > de 25 anos (11%). Sim, a qualquer hora que acorde durante a noite
< de 25 anos (27%) e > de 25 anos (20%). Sim, algumas das vezes quando acordo durante a noite.
< de 25 anos (32%) e > de 25 anos (21%). Sim, logo que acordo pela manhã.
Serão os usuários do iPhone mais adeptos das redes sociais?
Você tem de concordar que os usuários do iPhone comportam-se de forma diferente. Não se sabe se a causa tem a ver com as características de facilidade de utilização nas redes sociais no aparelho, ou se tem a ver com a personalidade dos usuários do iPhone. O que se sabe é que de acordo com o estudo, estes estão mais envolvidos com as redes sociais. Utilizam o Facebook e Twitter mais vezes e em mais lugares.
Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você