Quem aqui não gosta de uma comida bem salgadinha? Uma batata frita regada no sal, uma saladinha bem temperadinha, enfim… o sal está na vida de todo mundo, no dia a dia das refeições e nos lanches também. Mas o que nos leva ao susto extremo quando procuramos uma nutricionista é saber como esse singelo e branquinho ingrediente pode acabar com a sua vida!

 

Não, não é exagero. Não sei se vocês sabem, mas já tem um tempinho que os médicos dizem que devemos reduzir a ingestão de sal para prevenir nossos corpos de doenças do coração, principalmente doenças que afetam a pressão (hipertensão, por exemplo). Na maioria dos casos de hipertensão, somente a redução do sal na comida não é suficiente, mas é sempre um ótimo aliado na luta a favor da saúde.

 

O sal de mesa é também conhecido como cloreto de sódio e o problema está no sódio e não no cloreto. Sabe-se que o sal de mesa tem 40% de sódio, mas ele está presente também em vários produtos industrializados que consumimos diariamente, como pães, queijos, cereais, bolachas, enlatados e etc.

 

salgado

 

A elevada ingestão de cloreto de sódio (sal de cozinha) faz o organismo reter mais líquidos e aumentar de volume, podendo levar ao aumento da pressão sanguínea e causar a hipertensão, responsável por infarto e acidente vascular cerebral. O consumo excessivo de sal pode também afetar os rins. Por isso a maioria dos médicos e nutricionistas indicam que seus pacientes consumam o sal light e mesmo assim, de forma bastante reduzida. Podemos abusar de outros ingredientes mais saudáveis na hora de temperar nossos alimentos, como salsinha, cebolinha, orégano, tomilho, curry, louro e muitos outros.

 

Já que estamos falando em sal light, você sabe a diferença entre o sal normal e o sal light? Antes de mais nada, a composição dos dois produtos é completamente diferente – enquanto o sal comum de cozinha tem em sua composição 99% de cloreto de sódio, o sal light tem em sua formação 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio. Salga menos, mas é mais saudável.
Resumindo a ópera, o sal light possui um menor tempo de retenção no organismo (menos quantidade de sódio), o que é ótimo para os hipertensos e para as pessoas que têm grande facilidade de reter líquidos.

 

saleiro

 

Mas fiquem ligados: se a pessoa possui alguma doença renal, o sal light também não é recomendado por ter o potássio em sua composição!!! #FikDik – Mais uma super vantagem do sal light é o sabor mais suave que o produto tem, ele não deixa de salgar os alimentos, mas é mais sutil no sabor e no aroma. E não se esqueça: se você vai começar a substituir o sal normal pelo sal light, deve utilizar a mesma quantidade indicada nas receitas para o sal comum, não adianta tentar burlar as regras né? Mesmo sendo light, ele não deve ser utilizado em excesso… Não se esqueçam disso!

Compartilhe: