O que são os Exoplanetas?

-por , em 12/03 -
O que são os Exoplanetas?

No fim de fevereiro, a Nasa anunciou que 715 novos planetas foram descobertos fora do Sistema Solar.  Através do telescóspio Kepler (que foi desenvolvido exatamente para descobrir novos planetas semelhantes à Terra), foi possível detectar estes planetas com um novo método de verificação, que permite que diversos sistemas interplanetários sejam analisados ao mesmo tempo.

Dos planetas descobertos recentemente, cerca de cinco estão na zona habitável de suas estrelas. Trata-se de mais uma descoberta de exoplanetas = um planeta existente fora do Sistema Solar, orbitando uma determinada estrela. Estas descobertas são bastante frequentes hoje em dia, mas levou-se muito tempo até que as primeiras observações especialmente desenvolvidas para que estes planetas fossem descobertos: a primeira localização de um exoplaneta se deu no ano de 1989, um grande planeta gasoso com dimensões cerca de três vezes maiores que Júpiter. De lá para cá, já foram descobertos mais de 1000 exoplanetas, que são publicados na Enciclopédia de Planetas Extrassolares.

Exoplaneta 1

Diversos aspectos são analisados nos novos planetas descobertos: suas semelhanças com a Terra como tamanho, densidade, localização com relação à estrela na qual orbita, por exemplo, são fatores de extrema importância. Presença de elementos fundamentais para alguma forma de vida também são analisadas como água, temperatura, superfície e etc. As informações geradas com base nestes dados, é possível analisar se é possível existir vida fora da Terra e do Sistema Solar.

Esta grande variedade de exoplanetas descobertos e catalogados também permite aos cientistas que analisem cada variação dos planetas encontrados e sua diversidade. Também leva à uma análise que pode responder, aos poucos, uma das maiores dúvidas da humanidade desde os primórdios: existiria vida fora da Terra?

Para manter as pesquisas em alto nível e em condições cada vez maiores de realizar novas detecções, hoje a Nasa conta com o Kepler, um telescópio desenvolvido para encontrar planetas semelhantes à Terra em outros sistemas interplanetários. O novo método adotado pela agência espacial consiste em analisar diversos sistemas ao mesmo tempo. Antigamente a análise era feita individualmente através do método de “diminuição de luminosidade”, que acontece quando um objeto transita em frente a uma estrela do ponto de vista da Terra e a luz diminui. Não se trata de um método confiável, já que diversos fatores podem interferir na luminosidade de uma estrela na visão a partir da Terra.

Exoplaneta 3

Com isso, o Kepler ajudou a tornar o processo de descoberta de exoplanetas mais rápido e eficaz, uma vez que a grande maioria foi descoberta nos últimos cinco anos – período de utilização do telescópio.

De certa forma é possível que haja alguma forma de vida fora da Terra e do nosso Sistema Solar, uma vez que existem planetas com possíveis condições habitáveis. Imagina se temos alguns vizinhos ocupando a galáxia, o Universo e tudo o mais conosco?

Maiores informações aqui e aqui.

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você