É tanto termo novo, mania nova e movimento novo que a maioria dos engajados do início das manifestações já se afastou das lutas nas ruas e começou a protestar apenas na internet, com as hashtags #vaitercopa e #naovaitercopa. Bom, hahstags a parte, existe, como sempre, um pessoal que se aproveita de tudo quanto é tipo de situação para prejudicar os amiguinhos. E é exatamente disso que se trata o Hackativismo, de pessoas que não tem mais o que fazer em suas vidas e ficam atrapalhando a vida das outras – ativistas ou não. Não está entendendo nada do que estou falando né? Pois então venham comigo que vou explicar o passo a passo do que estamos passando hoje em dia aqui no Brasil.

“Tudo no Brasil termina em pizza”, já diziam os pensadores de todas as eras do nosso país. Eu considero a frase vergonhosa, na verdade, tão vergonhosa que ela habita o primeiro lugar do meu podium  particular de coisas que tenho vergonha do nosso país. Para não dizer que é protecionismo, essa frase divide o primeiro lugar com uma outra bastante conhecida também: “Acho que essa lei não pega”. Sou daquelas que acredita que construímos um Brasil com trabalho e não com reclamações, portanto, acho que somos tão culpados pela situação atual quanto qualquer outro. Se tudo termina em pizza e a lei não pega, a culpa é nossa.

Está ficando bem famoso (e quando eu digo isso, acredite e confira no seu amigo Google) o termo Hackativismo e quando vocês souberem do que se trata (vocês que ainda não sabem, claro), cairão duros como eu. Não, eu não caí dura de verdade e acho que isso é ruim, já que simboliza que fiquei acostumada com as sem-vergonhices do nosso país. Voltemos ao Hackativismo. Os fraudadores brasileiros (essa classe tão famosa e conhecida), tomados pela animação e alegria de hospedar uma Copa do Mundo, resolveram fazer sua parte na fórmula imperfeita de comemorações que criamos.

Os golpistas (como também gostam de ser chamados), eufóricos e cheios de energia, começaram a enganar os consumidores brasileiros – aqueles que não acreditam em regras, que gritam #naovaitercopa e que acham que compartilhar uma imagem no Facebook é ser um cidadão melhor. Os brasileiros não se dividem em amantes de futebol e amantes de política, isso é o que a mídia está contando para diminuir a tal grande causa. Convenhamos que cada um está vendo essa fase do nosso país com os olhos que escolheu e muitos estão se aproveitando exatamente disso.

Hackativismo em sido uma forma de protesto bastante usada com objetivos políticos e pode chamar a atenção daqueles que vivem na internet, claro. Utilizando como grande causa tudo aquilo que os engajados estão defendendo, os caras (sem feminismo, podem ser machos e fêmeas neste caso), invadem redes e buscam dados pessoais de todo mundo através de e-mails bobos mas que chamam muita atenção. Você já recebeu um e-mail com promoção de ingresso para a copa do mundo 2014? Desconfie se receber algum.

O golpe é mais ou menos assim: eles te enviam o e-mail com uma super chamada sobre ingressos para a Copa e te direcionam para uma falta página de cadastro. Nessa página você colocará seu nome, CPF e dados de cartão de crédito (para recebimento do ingresso) – Não sorria, isso ainda acontece e muito com bastante gente no mundo todo, não só no Brasil. As pessoas acreditam mesmo no que leem e ainda não estão cascudas assim para o SPAM. Algumas instituições trabalham para garantir a segurança dos pagamentos que são feitos na internet, como a ACI e garanto que seria muito bom se os brasileiros aprendessem a pesquisar antes de colocar seus dados online. Se todos aprendessem a escolher melhor seus políticos, ler todas as regras do jogo e pesquisar mais, nosso país seria muito melhor. Garanto.