TÍTULO: O Jogo da Mentira

AUTOR: Ruth Ware

EDITORA: Rocco

PÁGINAS: 365

ANO: 2019

GÊNERO: Romance/Thriller

COMPRE O LIVRO AQUI

SINOPSE

Regra 1: Conte uma mentira
Regra 2: Insista na sua história
Regra 3: Não deixe que descubram
Regra 4: Nunca mintam umas para as outras
Regra 5: Saiba quando parar de mentir

Quatro amigas e um jogo perigoso. Talvez uma delas tenha quebrado uma das regras.

Isa Wilde e suas três melhores amigas, Kate, Fatima e Thea, costumavam brincar de o Jogo da Mentira quando eram adolescentes em Salten House, um colégio interno no litoral da Inglaterra. Era um jogo com regras próprias, que girava em torno de inventar histórias perversas sobre professores e outras alunas. Mas a brincadeira teve consequências desastrosas, o período escolar acabou em tragédia e escândalo, e as quatro amigas foram expulsas sob circunstâncias misteriosas envolvendo o desaparecimento do pai de Kate, Ambrose, um excêntrico e querido professor de arte.

Quase duas décadas depois, um osso humano é encontrado no mesmo vilarejo litorâneo onde elas estudaram e no qual Kate ainda mora. Na manhã seguinte, Isa, Fatima e Thea, as três outras mulheres do então inseparável quarteto, recebem de Kate o recado que sempre temeram, dizendo apenas: “Preciso de vocês.”

Reunidas novamente naquele lugar onde viveram momentos inesquecíveis de sua juventude – as escapadas do campus, as belas lições de Ambrose, os encontros furtivos e as tardes passadas nadando no rio Reach –, essas quatro mulheres precisarão lidar com aquela descoberta que pode, literalmente, desenterrar um terrível segredo. Em pouco tempo, torna-se evidente que uma delas quebrou uma regra importante do jogo: Nunca mintam umas para as outras.

Quando a editora Rocco me enviou O Jogo da Mentira, de Ruth Ware, o título logo chamou a atenção. Como uma fã saudosa de Pretty Little Liars, jogos de mentira envolvendo amigas já apareceram por diversas vezes. Embora geralmente entreguem o final logo no começo, as histórias divertem e surpreendem. Com o livro de Ruth Ware não foi diferente. Faltando algumas páginas para acabar, a história sofre um plot twist e tudo passa a fazer sentido.

As amigas

Fatima, Kate, Thea e Isa são amigas desde adolescentes. Estudaram juntas no colégio interno de Salten, uma cidade no interior da Inglaterra. Buscando criar sua própria zona de conforto dentro do internato, desenvolveram um Jogo da Mentira, conhecido apenas por elas. Não demorou para que toda a escola soubesse da fama do quarteto, inclusive as professoras e professores. Juntas, se protegiam do bullying tradicional da adolescência. E quanto mais mentiam, mais próximas ficavam.

O Jogo da Mentira possui regras, descritas na sinopse. A número quatro sempre foi a base da relação entre elas, afinal, não era permitido mentir uma para outra. Mas aparentemente essa regra deixou de ser respeitada. E como todo jogo, a quebra trará um preço e ele não foi baixo. Uma tragédia assolou a adolescência das jovens e marcou para sempre a cidade de Salten. Elas se afastaram, seguiram suas vidas e nunca mais olharam uma para outra. Mas o passado está batendo na porta, pois ossos foram achados dentro do rio. E elas sabem de quem são.

Salten

Kate era filha de um dos professores do internato. Residente da cidade, a casa de Ambrose se tornou o refúgio das meninas naquela época. Passavam o dia na praia, brincando com os garotos e tendo a adolescência que sempre quiseram. Luc era o irmão adotivo de Kate e durante um tempo fez parte do grupinho das meninas. Quando acreditavam estar tudo normal, Ambrose é expulso da escola e desaparece. É o início de todo o tormento de suas vidas. Elas sabem onde ele está, mas não podem contar a ninguém.

A história permeia entre o passado e o futuro, contada sob o ponto de vista de Isa Wilde. Agora mãe da pequena Freya, casada com Owen, tudo que ela quer é esquecer o que aconteceu. O surgimento da ossada leva todas as amigas de volta para a velha casa de Salten, para as lembranças de Luc e Ambrose, para a cidade que as atormentou.

O Jogo da Mentira

O Jogo da Mentira é evidenciado desde o começo. Ruth Ware nos mostra um pouco da vida de cada amiga, sem entregar o final. Com quase 400 páginas, há momentos em que a história se arrasta e precisamos deixá-la de lado. O grande plot twist só chega no final e Ware precisa esconder a verdade do leitor. Não há nenhum indício do que vai acontecer, embora seja possível imaginar desde o início o que aconteceu com Ambrose.

O livro é pouco objetivo. Para criar a linha do tempo e os motivos necessários, a autora narra cada segundo da vida do grupo. Isa relata tudo, desde a troca de fraldas de Freya até seus sentimentos para com o irmão de Kate quando mais nova. Nos sentimos em uma espécie de novela, contada através das páginas de um livro. Não é ruim, mas não é o melhor livro do ano. Com o final surpreendente, O Jogo da Mentira entrega um material satisfatório.

Podemos dizer que o livro é um suspense morno, daqueles onde desvendar o mistério não é o foco principal. E realmente não é. Ruth Ware não quer apontar dedos, mas sim contar sua história. O desenvolvimento de cada personagem acaba revelando o mistério, de forma sucinta e delicada. Lançado no Brasil pela Editora Rocco, O Jogo da Mentira é uma boa pedida.