Imagine a sociedade evoluindo ao seu ápice mais produtivo, a educação e a verdade comandando a raça humana. Tenho que confessar que não estava muito afim de assistir O Doador de Memórias (The Giver), minhas expectativas estavam em baixa e eu jurava que seria mais um filme tentando fazer estilo Harry Potter ou Crepúsculo! E convenhamos, esse tipo de imitação já deu! Então, nós fomos convidados a assistir o filme para dizer, para vocês, se vale a pena ou não essa nova produção!

Primeiramente, todas as sinopses que eu li sobre esse filme não ajudam em nada na divulgação. No meu ponto de vista, The Giver, não é sobre um menino “escolhido” que deve salvar a raça humana. O filme é sobre ver a vida de forma bela e acaba nos fazendo refletir sobre como esses nossos “extremos-sociais” podem nos prejudicar no futuro. Mas como assim? Pra começar, nessa sociedade não se mente, e isso já é bizarro.

Todas as pessoas seguem as regras e vivem o necessário para suprir seu papel. A vida se torna tão automática que as emoções deixam de ter sentido. Quando eu vi isso, pensei: “nós já vivemos isso”! Você não concorda? Então me responda… Alguma vez você já escreveu no Whatsapp, ou no Facebook um “KKKKKK” ou “HAHAHAHA”, mas na verdade você não riu? Todo mundo faz isso o tempo todo… Estamos robotizando nossas emoções e sentimentos.

doador de memórias

Mas vamos voltar ao filme, Jonas e seus dois melhores amigos estão completando 16 anos e, nessa sociedade “perfeita”, essa é a idade em que todos assumem uma profissão na qual trabalhará por toda sua vida. Essa profissão é escolhida de acordo com suas habilidades, todos meio que sentem o que vão fazer, menos Jonas que vê a vida de forma diferente. E é assim que Jonas é apresentado a sua nova profissão O Recebedor de Memórias.

A verdade é que o passado da raça humana foi todo apagado, o que me lembrou muito o livro 1984 de George Orwell, e controlado pelos sábios anciões. Porém, toda essa história só pode ser usada por uma pessoa, o conselheiro oficial dos anciões. E esse será o papel de Jonas. Para desempenhar seu papel, ele deve ser treinado (parênteses gigantes para a participação de Meryl Streep e Jeff Bridges, um verdadeiro show dos que serão consecutivamente a anciã-chefe e o doador de memórias).

Meryl Streep

O treinamento é um dos momentos mais bonitos do filme, Jonas recebe memórias das belezas da humanidade, entende o sentido das cores (o que é retratado muito bem no filme onde todos veem preto e branco). Ele conhece a beleza da música e experimenta belezas naturais e sentimentos mais simples. O mais impressionante é que a maioria das memórias que Jonas recebe, acreditem ou não, são videos do Youtube, eu reconheci alguns. Esse é o viés na vida de Jonas, um rapaz que se pega em uma sociedade que não vive e precisa compartilhar a pureza desse sentimento.

Juro que estou me esforçando ao máximo a não dar spoiler, e dizer a todos… Assistam esse filme, no cinema, o visual dele é fantástico! E se você já assistiu, me responda nos comentários… É necessário continuação, ou não? Na minha opinião, não! Enquanto isso, assista ao trailer abaixo e, dia 11 de setembro, vá ao cinema assistir ao filme! 😉