Ao longo dos anos, inúmeras versões das lendas arturianas foram contadas. As mais famosas, contadas muitas vezes no cinema, atribuiam o protagonismo a Artur, cujo principal feito foi retirar a Excalibur de dentro da pedra. As histórias foram escritas por diversos autores e uma das mais conhecidas veio pelas mãos de Marion Zimmer. As Brumas de Avalon são, até hoje, um marco dentro da literatura fantástica.

A Netflix resolveu contar sua própria versão das lendas arturianas e trouxe Cursed – Lenda do Lago, inspirada na trama de Frank Miller. A história aqui não é voltada para Artur, mas sim para Nimue, personagem interpretada por Katherine Langford. Embora não tenha sido chamada pelo codinome famoso das histórias, Nimue vem a se tornar a Dama do Lago. É ela que entrega a Excalibur para Artur nas histórias…mas não falaremos delas aqui.

A série

A trama de Cursed gira ao redor de Nimue, uma jovem feérica escolhida pelos Ocultos como a nova conjuradora da Espada. Após a perda da mãe, ela recebe a difícil missão de entregar a arma a Merlim, um mago misterioso que faz parte da corte de Uther Pendragon. O que a menina não imaginava, porém, era que sua jornada até Merlim seria tão complicada.

De um lado temos os Feéricos, seres fantásticos que acreditam no poder da magia. Fadas, elfos e druidas vivem em harmonia na floresta, seguindo seus próprios costumes e crenças. Do outro, os Paladinos Vermelhos da igreja, que buscam cristianizar todo e qualquer indivíduo, mesmo que precisem recorrer a tortura, sequestros e mortes. Nimue defende os feéricos, mas as florestas estão infestadas pelo Paladinos e chegar a Merlim não vai ser fácil.

Referências

Os caminhos da menina cruzam com o de Artur, o mesmo das histórias que mencionamos antes. Ele tem suas próprias questões para resolver, mas compra a causa de Nimue e a série logo entrega que um casal vai ser formado ali. Mesmo sem ter química, Cursed força a dupla na história e temos de aceitar, o que não prejudica. Nimue tem sua própria trama e a presença de Artur se torna uma referência aos contos de Avalon.

E por falar em referências, os fãs da história original iram entender muitos nomes de personagens. Nimue, Gawain, Igraine e Morgana são apenas alguns exemplos de menções que irão abraçar o coração de quem já leu os contos de Avalon. O que não podemos esquecer, porém, é que estamos falando de uma adaptação e não de uma cópia.

Cursed – Lenda do Lago

É impossível falar de Cursed sem mencionar a fotografia. O cenário escolhido (País de Gales) é belíssimo, com um colorido digno do povo feérico. O contraste do verde com o vermelho dos paladinos resulta em uma paleta de cores perfeita para a trama, que vagueia o tempo todo entre o “bem e o mal”. O toque sutil trazido pela trilha sonora cria o ambiente perfeito que a série precisa: algo mágico e medieval, porém complexo e violento.

Os pontos negativos precisam ser comentados, embora sejam poucos. Os cinco primeiros episódios assumem um ar adolescente, principalmente pela escolha de Langford para o papel. Ela foi escolhida como a protagonista, mas entrega algo bem longe disso. Katherine traz uma atuação fraca e levemente infantil, diferente da personagem empoderada que esperávamos ver. Nos cinco episódios finais há um amadurecimento, principalmente pela história, mas a escolha da atriz certamente não foi uma boa opção.

Por fim, Cursed – Lenda do Lago tenta a todo tempo fugir da história do Rei Artur, mas peca na falta de explicações. Muitas informações importantes são jogadas e não ganham uma devida explicação, além do final ter sido deixado em aberto. Ainda não temos uma segunda temporada confirmada, mas certamente há muito para ser abordado. Pontas ficaram soltas e mesmo que não prejudiquem a trama com um todo, deixam o público confuso em relação ao que acabamos de assistir.

Cursed – Lenda do Lago já está disponível na Netflix.

LEIA MAIS SOBRE SÉRIES