Mussolini quis banir macarrão da culinária italiana!

-por , em 02/10 -
Mussolini quis banir macarrão da culinária italiana!

Quando falamos em Itália, pensamos logo no lado culinário do país, afinal pizza, vinho e macarrão são algumas marcas da cultura italiana, não é mesmo? O que muita gente nem faz ideia é que o macarrão foi quase abolido do país graças a uma ideia que brotou na cabecinha maluca de Mussolini. Como você deve saber, um dos objetivos do líder fascista era fazer da Itália uma nação autossuficiente de todas as formas possíveis. Como o país dependia da importação de grãos para manter a produção de macarrão e pão, Mussolini resolveu estimular a produção desses dois tipos de produtos a partir dos grãos produzidos somente na Itália.

O Plano

A ideia parecia tão sensata aos olhos do ditador que ele chegou a escrever um poeminha a respeito. Os versos pediam para que a população comesse pão sem exagero e, claro, consumisse apenas o que era produzido na Itália. Como se não bastasse, Mussolini pedia para que os italianos deixassem de comer macarrão. Ele queria, basicamente, que os fazendeiros passassem a produzir arroz. Assim o trigo produzido na Itália seria voltado apenas ao pão.

A proposta do ditador acabou recebendo apoio, principalmente dos líderes do Movimento Futurista. Os futuristas, por sua vez, eram as pessoas que queriam modernidade extrema e que acabavam ridicularizando tudo o que pudesse representar algum tipo de “atraso cultural”, ainda que esse atraso fosse definido por eles mesmos. Como a Itália sempre teve o costume de comer macarrão, os futuristas achavam que esse era mais um atraso e, portanto, viam sensatez na proposta de Mussolini.

Apoio

O líder do Movimento Futurista, Filippo Marinetti, tentou convencer o povo italiano a excluir o macarrão de sua dieta. O discurso de Marinetti era tão absurdo quanto o de Mussolini: o cara dizia que não seria possível que um bom vencedor se alimentasse de macarrão, da mesma forma que um homem não seria viril depois de um belo prato de macarronada.

Não satisfeito em apelar para o lado da violência e da virilidade dos italianos, Marinetti usava a dieta dos outros países como explicação para o sucesso que tinham. O arroz seria, segundo ele, o alimento mais moderno e estratégico de todos. A pergunta que fica é: deu certo? Lógico que não. A população italiana não se rendeu aos poeminhas de Mussolini ou às comparações infames de Marinetti. Inúmeras petições foram assinadas para escancarar o descontentamento do povo italiano que só queria comer seu macarrão em paz. Ponto para a população.

Fonte: Knowledge Nuts

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você