MÚSICA | Prévia do álbum de estreia da dupla Gus&Vic!

GUS&VIC TE DEIXA POR DENTRO DO ÁLBUM DE ESTREIA!

Prestes a lançar seu álbum de estreia, a dupla carioca Gus&Vic respondeu algumas perguntinhas para o CoxinhaNerd falando sobre o conceito. Intitulado Savana, o álbum será lançado amanhã (06) e contará com 12 músicas, entre inéditas e singles já lançados. Confira o nosso bate-papo!

BATE-PAPO:

Coxinha Nerd: Começando do começo, lhes pergunto: Qual a história por trás do nome Savana?
Gus&Vic: Nossas canções são diversas e compõem um quadro que imprime muitas características. O ambiente da SAVANA também traz um equilíbrio importante de vida e renascimento, ainda que estampe uma ideia inóspita ou pouco fértil. Na Savana do mundo das ideias é que encontramos nosso norte e sul. Na folha em branco, no descampado. É ali que encontramos espaço para florescer.

CN: E, para completar, qual a história do álbum?
G&V: Nosso processo de gravação e seleção das faixas houve uma impressão muito forte do tempo e das circunstâncias em que estávamos inseridos. Acreditamos que Savana conversa com quem éramos em 2016, quem fomos em 2017 e quem seremos em 2018. É uma aposta no que acreditamos, com sonoridades originais e elementos coesos – para a nossa natureza.

CN: Quantas faixas serão? Ouviremos os singles já lançados neste álbum ou a vibe já é outra?
G&V: Serão 12 faixas e as canções que já lançamos também integram a obra. Savana é a consolidação de tudo que criamos e de nossas expectativas.

CN: Vocês podem explicar faixa a faixa do que se trata ou qual a inspiração para elas (letra, vibemelodia, etc.)?

G&V: Te encaminho em anexo! Em breve faremos vídeos explicando mais a fundo também! Vamos fazer
esse vídeo pro canal do Coxinhaaa gente pfvr seria demais! CLARO!!!!! Anota na agenda aí!

CN: Existe alguma faixa que vocês pensaram “nossa, como essa música é incrível, minha favorita” ou todas são especiais para vocês?
Vic: Pra mim, talvez Follow The Sky, uma inédita, seja a mais bacana. Gosto do que ela traz à tona. Não é uma sonoridade frequente na música pop ou mesmo indie.

CN: Alguma música nova será single ou terá um clipe?
G&V: Sim! Follow the Sky será a música de trabalho do álbum por enquanto e terá clipe.

CN: Desde que eu conheci a dupla vocês prometem um álbum, estão felizes de finalmente lançá-lo? Se sentem prontos e preparados para a repercussão?
G&V:Finalmente mesmoooo! Sempre que mais um single era lançado, ressurgia a pergunta corrente entre os jornalistas: quando sairia e como seria o álbum. Estamos muito felizes por finalmente apresentarmos nosso trabalho com início, meio e início – todo final é outro começo.

PRÉVIA DO ÁLBUM:

Para responder uma das perguntas, a dupla me enviou em anexo um resumo sobre a sonoridade do álbum, e você confere abaixo.

São 12 músicas tão inventivas e diversificadas em gêneros e referências que não caberia como uma obra de um conjunto
formado tradicionalmente, na linha de eu toco guitarra, você canta, ele toca baixo e ela, bateria.

I Promise I Won’t Shoot abre como um trip hop concebido na fronteira do Texas com México e se compusesse a trilha sonora de um western do Tarantino, faria bonito. Só que não satisfeitos com a receita, ainda adoçam com uma pegada funk dos anos 70 e arranjos vocais à Jazz From Hell, de Frank Zappa.

We Know inicia como se fosse uma balada de violão, só que ganha camadas de arranjo climáticas, as duas vozes se entrelaçam em arranjos à Decemberists e esbarra tanto em pop quanto em rock no arremate.

Another You segue como pop oitentista, com guitarra limpa, como bem ensinou Nile Rodgers (Chic) na época e o protagonismo vocal é de Vic.

Ela também dá o tom em Follow the Sky, junto a arranjos de metal e o clima Tex Mex da abertura do álbum. E olha que estamos no primeiro terço do disco.

Follow the Sky é a favorita da Vic!

Noite é uma das duas músicas em português, cantada por Vic em levada nova MPB meets indie rock. Na exata metade da canção, faz uma curva 180 o qual os Mutantes costumavam manobrar no final dos 60.

Gus assume a primeira voz em Juliana Icons, um indie rock que soa Magnetic Fields e depois converge para um hard rock e finaliza como rock’n’roll clássico dos anos 50.

Tem balada pop quase hip hop na voz de Vic em Sixteen, alt.country de violão e bateria que faz nova guinada em 180 o trocando a faixa por uma new wave B52’s School e mistura de guitarra distorcida com efeitos eletrônicos no vocal de Gus em Lonely Night.

Tempo para respiro, no interlúdio belíssimo com o instrumento Erhu com sampler de som de chuva e trem, em Savana Fleur, que foi tocado no GarageBand do iPhone em apenas um take ao vivo.

Open Door tem a voz de Vic em compressor, piano delicado, arranjo de cordas, de metais, bateria e confluência de sons à Sgt. Peppers/Pet Sounds, até arrematar no bandolim.

O disco fecha com Aldebarã, que seria a canção mais tradicional do repertório, um jazz/MPB no piano, cordas, baixo elétrico, até os últimos segundos mesclarem a composição nua, conforme foi concebida, no violão do pai de Vic, Fred Cosato, em registro lo-fi da fita demo original, gravada no começo dos anos 80.

Ficha técnica do álbum:

Composições: Gustavo Scanferla, Victoria Cosato, Fred Cosato (Aldebarã)
Produção Musical: Gustavo Scanferla
Co-produção: Rafael Casqueira (Noite), Diogo Strausz (Sixteen, Open Door)
Músicos: Sidão Santos, Fernando Vidal, Adriano Trindade, Rodrigo Tavares, Marllon Sette, Altair
Martins, Zé Bigorna, Daniel Guedes, Vanderlei Silva, Pedro Bergman Fonte, Alberto Continentino,
Bruno Lopes, João Erbetta, Thomás Jagoda, Felipe Pacheco, Rafael Casqueira.
Engenheiro de Som: Ronaldo Lima Valentim, Renato Godoy (Open Door e Sixteen)
Mixagem: Ronaldo Lima Valentim (Sixteen, We Know, Follow the Sky, I Promise I Won't Shoot),
Mario Caldato (Open Door), Gustavo Scanferla (Lonely Night, School, Noite, Juliana Icons, Another
You, Savana Fleur)
Masterização: Gustavo Scanferla, Carlos Freitas, Ricardo Garcia.

O álbum sairá à 00h01 desta sexta-feira (06) nas plataformas digitais. Fique ligado!

APROVEITE PARA CONHECER NOSSO CANAL DO YOUTUBE:

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ:

GAME OF THRONES | Perguntas que a série não respondeu

Mas e agora?  Game of Thrones acabou. Após quase 10 anos no ar, uma das maiores séries de todos os tempos encontrou seu desfecho no último domingo. Entregando um final que desagradou boa parte dos fãs, o seriado realmente teve um final agridoce. Enquanto uns...

Compartilhe:

Quem escreveu?

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Receba todas as notícias do mundo nerd em primeira mão!

Receba todas as notícias do mundo nerd em primeira mão!

Inscreva-se na newsletter do Coxinha!

Por favor, cheque seu email para confirmar a inscrição!