NIALL HORAN LANÇOU UM BOM ÁLBUM NESTA SEXTA-FEIRA!

Olá, coxinhos e coxinhas! O ex-One Direction Niall Horan finalmente lançou seu álbum de estreia. Depois de alguns singles de bastante sucesso, This Town, Slow Hands e Too Much To Ask, o irlandês apresentou Flicker.

O álbum é inteiro de um pop country/pop tradicional diferente do que o cantor fazia na One Direction. É diferente também do que os seus ex-companheiros, Harry StylesLouis TomlinsonLiam Payne, estão apresentando ao público. Enquanto os três exploram o lado pop de cada um com uma mistura de rock e eletrônica, Niall tenta uma carreira em uma indústria não tão aclamada hoje em dia, mas com muito potencial.

Abaixo trago as minhas impressões sobre cada uma das músicas do Flicker, exceto os singles.

  • On The Loose:

O álbum começa com uma balada meio vintage.riff do começo da canção lembra Two Door Cinema Club e o arranjo da música lembra muito canções dos anos 80. Um diferencial no álbum logo de início.

“She loves when everybody’s watching
She knows the way her body moves
She loves the way they all crawl back when she says
She loves nobody else but you”

  • Seeing Blind:

Uma graça de música, virou uma das favoritas. A única parceria do álbum, Seeing Blind conta com a participação da cantora Maren Morris.

“Oh, my, my, you just took me by surprise
And I can’t believe my eyes
Oh, I must be seeing blind
Oh, no I, you’re too good to be all mine
Now I’m looking in your eyes
Oh, I must be seeing blind
Oh, no”

  • Paper Houses:

Paper Houses tem potencial para ser o próximo single, afinal segue a pegada de Too Much To Ask. O desabafo em forma de baladinha romântica conta com guitarra, pandeiro e uma voz mais grave de Niall Horan. Gostei muito.

“And our paper houses reach the stars
‘Til we break and scatter worlds apart
Yeah, I paid the price and own the scars
Why did we climb and fall so far?”

  • Since We’re Alone:

Delícia de música, Since We’re Alone destaca a voz de Niall enquanto uma melodia mais feliz embala a letra.

“Since we’re alone
Yeah, you can show me your heart
If you put it all in my hand
No, I swear
No, I won’t break it apart
Since we’re alone
Show me all that you are
And if you get lost in the light
It’s okay, I can see in the dark”

  • Flicker:

A canção que dá nome ao álbum é calma e traz apenas o som de violão, quase como acústica. Parece muito com aquelas músicas feitas para filmes românticos. Já quero numa trilha sonora de alguma adaptação do Nicholas Sparks!

“Then I think of the start
And it echoes a spark
And I remember the magic electricity
Then I look in my heart
There’s a light in the dark
Still a flicker of hope that you first gave to me
That I wanna keep
Please don’t leave
Please don’t leave”

  • Fire Away:

Fire Away lembra as músicas do Jason Mraz, e isto não é uma crítica. A voz de Niall combina bem com canções calmas e com instrumentos calmos em sua melodia. O legal é que não cansa, porém explora tons da voz dele que ele não explorava na One Direction.

“Darling, you don’t have to hold it
You don’t have to be afraid
You can go ahead and unload it
‘Cause you know it’ll be okay
Fire away, hm”

  • You And Me:

You And Me tem uma pegada mais forte, mas continua destacando a voz suave de Niall.

“Time has never been on our side
So would you wait for me?
I lead a selfish life
‘Cause that’s what I need
What do I have to do
To make you believe?
It’s all for you and me”

  • On My Own:

É a mais “pesada” das músicas do álbum e lembra bastante indie folk de Jake Bugg. Coincidentemente, ou não, lembra a pegada do álbum On My One do artista britânico. Gostei!

“Long came the devil, caught my eye
She’s kind of my type
Chelsea baby, drives me crazy
Oh, but there’s one thing on my mind”

  • Mirrors:

Mirrors é mais uma baladinha empolgante. As batidas se adaptam à voz de Niall, que se agrava na mesma medida que suaviza. Realmente uma aula de tons neste álbum!

“I need love
To hold me closer in the night
Just enough to feel my body come alive
When my bones starts breaking, my heart starts shaking
I need love, need love”

  • The Tide:

The Tide é o mais próximo das músicas tradicionais do que seria um debut no mundo pop. Tem potencial para ser single também.

“Don’t let the tide come and wash us away
Don’t let the tide come and take me
I just want a safe place to hide us away
So don’t let the tide come and take me
Don’t let the tide come and wash us away
Don’t let the tide come and take me
Far from with you, where I wanna stay
So don’t let the tide come and take me”

Ouça abaixo:

E aí, galera, qual música vocês mais curtiram? Particularmente, eu gosto muito de Too Much To Ask e creio que seja a melhor do álbum. Me conta aí nos comentários!

Niall Horan recentemente trouxe a Flicker Sessions Tour para o Brasil, mas voltará ano que vem para continuar promovendo o seu álbum e sua carreira solo.

Veja mais sobre Música.

Compartilhe: