Mulan, a animação, foi lançada em 1998. No próximo mês (março), veremos o próximo da leva de live-action da Disney.

Talvez os fãs mais fervorosos da animação fiquem ainda mais decepcionados do que ficaram com a ausência de Mushu. Isso por que o comandante e também “interesse” amoroso de Mulan, Li Shang não fará parte desta versão.

Ao ser questionado sobre o motivo dessas mudanças, o produtor Jason Reed ao Collider explicou:

“Acho que, particularmente na época do movimento #MeToo, ter um oficial comandante que também é o interesse sexual era muito desconfortável e não achamos apropriado.”

No entanto, Reed garantiu aos fãs que o personagem ainda será representado, em dois novos personagens.

“Um se tornou o comandante Tung, que serve como seu pai substituto e mentor no decorrer do filme. O outro é Honghui, que é igual a [Mulan] no esquadrão.” – Contou Reed.

No elenco temos: Liu Yifei, Donnie Yen e Jet Li.

O filme acompanha Hua Mulan (Liu Yifei), a espirituosa e determinada filha mais velha de um honrado guerreiro. Quando o Imperador da China emite um decreto que um homem de cada família deve servir no exército imperial, Mulan decide tomar o lugar de seu pai, que está doente. Assumindo a identidade de Hua Jun, ela se disfarça de homem para combater os invasores que estão atacando sua nação, provando-se uma grande guerreira.

Acreditamos que ter esse pensamento acerca do movimento #MeToo foi extremamente assertivo… Mas, caberá aos fãs conferirem se os dois personagens suprirão a ausência de Li Shang.

Mulan chega aos cinemas brasileiros em 26 de março.