A minissérie espanhola ‘Alguém tem que morrer‘, chegou hoje na Netflix e retrata uma sociedade conservadora e tradicional em que as aparências e os laços familiares têm muita importância.

Se você ainda não assistiu, listamos aqui, 5 motivos para começar agora:

1. A TRAMA

‘Alguém tem que morrer’ tem a coragem de abordar a época histórica da ditadura espanhola, e a forma que os homossexuais eram tratados; usando como pano de fundo o retrato visceral de uma família tradicional em uma sociedade extremamente conservadora.

2. ELENCO

O elenco por si só já chama a atenção, afinal temos rostinhos muito conhecidos de produções que já amamos, entre eles: Ester Expósito (Elite) e Alejandro Speitzer (Desejo Sombrio); além das estrelas já aclamadas Carmen Maura e Cecilia Suárez.

3. CRIADOR

A minissérie é criada por Manolo Caro, conhecido por contar muitas histórias de amor e/ou comédias, entre elas ‘A Casa das Flores’ e vê-lo contanto um suspense tão carregado de camadas é minimamente curioso e surpreendente.

4. EPISÓDIOS

Para quem gosta de séries curtinhas essa é uma excelente pedida, e um ótimo motivo, afinal ‘Alguém tem que morrer’ tem somente 3 episódios.

5. CRÍTICA

A crítica tem elogiado muito a produção, tamanho impacto histórico que ela se propõe mostrar. No IMDb a produção alcançou a média de 75% de aprovação, até o momento.

A história de ‘Alguien tiene que morir’ começa quando Gabino é chamado de volta do México pelos pais para conhecer sua futura noiva. Mas ele retorna na companhia do misterioso bailarino Lazaro e deixa todos chocados. O grupo percebe que, para estar um passo à frente do governo repressor, alguém terá de morrer.

A minissérie já está disponível na Netflix.