Monsters of Rock: Sim… Dia dos titios do Rock!

-por , em 25/10 -
Monsters of Rock: Sim… Dia dos titios do Rock!

Queridos leitores, pessoas lindas do meu coração! Decidi dividi em dois, porque ficaria um post imenso, afinal, foi sim um festival imenso!!! Dois dias do mais puro Rock ‘n’ Roll e deixei para este segundo post, o segundo dia, é claro… Mas foi o dia que mais me apeteceu… E foi o dia que eu fui!!! Sim, pessoas!! Assisti os shows maravilhosos (tudo bem que fui só para assistir Whitesnake e Aerosmith), mas, eu posso dizer!!! Os titios de ambas as bandas MANDAM MUITO!!! E isso foi uma característica que permeou neste segundo dia, a maioria das pessoas foram para ver mesmo o Whitesnake e o Aerosmith, comparado com o dia anterior, no começo dos shows, o número de pessoas era bem inferior ao dia anterior, mas mesmo assim, as bandas de domingo tiveram seu público, mesmo com o calor que fez!

 

A tarde começou com a apresentação da banda de hard rock brasileira Dr. Sin, seguido pelos integrantes de Dokken, desempenharam bem o papel de levantar o público, para a entrada do repaginado Queensrÿche, que trazia Geoff Tate nos vocais da formação original, teve que enfrentar vários problemas técnicos por conta do som mal regulado e falhas com o microfone, mas, os problemas foram solucionados, em tempo de os fãs curtirem os maiores sucessos como I don’t believe in Love e Silent Lucidity (música está que é a minha favorita da banda!).

 

Monsters-of-Rock-2013-Segundo-Dia-53

 

Logo depois, entraram os agitadíssimos integrantes do Buckcherry, banda esta que surpreendeu com uma ótima apresentação, cheia de atitude, mostrando alguns dos maiores sucessos entre os fãs, que ajudaram a conquistar novos!

 

A banda que antecedeu as principais atrações da noite, Ratt, teve que enfrentar a sensação de “estamos esperando as últimas bandas”, mas fizeram isso muito bem! Não se intimidando com este fato, os veteranos empolgaram uma pequena, e fiel, parte da plateia, com os maiores sucessos da banda, obtendo uma resposta positiva, ao questionar se os fãs queriam que eles voltassem para o Brasil… Certamente eles não decepcionaram seu dedicado público!

 

ratt01

 

Aí, vieram as estrelas da noite, aí, posso falar com as minhas próprias palavras! Whitesnake entrou arrasando, mostrando que os 62 anos de titio Coverdale, ainda preservam uma voz poderosa e dona de agudos maravilhosos. Com um desfile dos maiores sucessos da banda (e as suas músicas com algum “Love” no título), a banda veio mostrar que sim, ainda tem muito o que mostrar. Particularmente, me rendi aos encantos de David Coverdale, cantando maravilhosamente, bem, arrancando suspiros e aplausos pelas brilhantes execuções, das 14 músicas que tivemos na apresentação, ora nos embalando com as nossas “queridas lentinhas” como Is this Love ora nos levando a loucura com a agitada Bad Boys! Ponto alto do show (pra mim, hehehe), minha música favorita da banda, Here I go Again, tá, não foi só pra mim, porque muitas pessoas se empolgaram na execução da música. Ponto forte do show (e aí realmente foi do público em geral), os covers de Deep Purple, principalmente a Burn, que causou gritos de admiração, além de fazer surgir milhares de guitarras imaginárias por conta dos riffs e solos maravilhosos da banda… Mas teve um ponto fraco… A banda exagerou muito nos solos, o que tornou um pouco cansativo a apresentação, contando quase com 20 minutos de solo (sim, olhei no relógio), isso pode nos dar a entender que sim, titio Coverdale ainda manda muito bem, mas já não está rendendo tanto assim, por conta do tempo que teve para poupar a voz, mas, enquanto se apresentou, não decepcionou, nem enquanto voz, nem enquanto agudos e muito menos enquanto carisma, quesito este que ele tem de sobra!

 

 

E para fechar com chave de ouro, Aerosmith! Pessoas!!! Nunca pensei que iria gostar tanto de um show na minha vida, quanto gostei dele… Titio Tyler, com a sua extravagância ao se vestir, veio nos mostrar que, mesmo com 65 anos, ainda manda muito!! Com seus pulos, giros, voltas e agudos, mostra uma energia que não é para qualquer um não! Joe Perry, que também rouba a cena, trocando inúmeras vezes de guitarra, mostra todo o seu charme e glamour em palco, não decepcionou com os seus solos!

 

É claro que a banda não decepcionou, nem a mim (isso acho que já está mais do que evidente) e nem ao público, que com certeza cantou, gritou e vibrou ao ver diante de seus olhos e ouvidos, um desfile de seus maiores sucessos!

 

A banda apostou, na maior parte do show, com as músicas mais agitadas, como Back in the saddle, Love in the Elevator, Dude (Looks like a Lady), entre outras, que fizeram o público ir ao delírio, cantando à capella também, o começo de What it Takes e nos emocionando com Dream on (sou suspeitíssima em falar nessa música), que, com certeza, foi o ponto máximo do show!

 

 

Entre pulos, estripulias, e a fã que ganhou um beijinho de Tyler, Aerosmith fechou a noite com Sweet Emotions, que fora muito bem recebida pelo público, mesmo sendo 1 hora da manhã!

 

Perfil Natalia

Natalia Cordeiro

Pessoas, perdoem, eu sei que o post ficou gigantesco!!!
Mas, se ainda me amarem, podem me pagar mais um show do Aerosmith!!! Com certeza ficarei bem feliz!!!
Facebook

 

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você