A história do Batman já teve seus momentos de glória e trevas, nos quadrinhos, nas animações e, claro, no cinema também. Sua história já foi modificada, incrementada e completamente estragada por diversos roteiristas, ao longo da linha do tempo da DC Comics que conhecemos tão bem. Pensando nisso o Looper selecionou alguns dos momentos mais loucos da história do Homem Morcego!  Ficou bem engraçada a seleção!

Se você é fã do Batman e não concorda/enlouquece com listas com essas, faça sua parte e complemente esse post! Comente lá embaixo sua opinião sobre a vida e a história do Homem Morcego!

1939: A Origem

O Batman apareceu, pela primeira vez, em Detective Comics #27, como um cara que simplesmente lutava contra os criminosos. Ele usava armas leves, era um homem bem normalzinho e tinha umas luvas roxas bem esquisitas. Criado por dois caras de 20 e poucos anos e com traços bem medíocres, Batman alcançou o sucesso do Superman e acabou sendo um dos mais duradouros personagens de quadrinhos de todos os tempos. Em Batman’s Crime Alley, alguns de seus crimes são revelados para todos e, sinceramente, para a quantidade de besteira que ele fez, testemunhar o assassinato de seus pais acaba não sendo a justificativa mais perfeita não…

1940: O Palhaço e o Menino

Não demorou muito, nos quadrinhos, até que um jovem se uniu ao Batman na luta contra o crime de um dos vilões mais insanos da história. O personagem já foi uma verdadeira incógnita para os leitores mas acabou dando uma normalizada naquela vida bem esquisitona que o Batman levava. O Coringa, por sua vez, foi realmente o vilão mais louco das histórias do Batman, não ficando para trás de nenhum outro famoso no universo dos quadrinhos, como a Mulher Gato e o Senhor do Crime.

Batman e Coringa

1954: Seduction of the Innocent

Frederic Wertham publicou Seduction of the Innocent, onde critica a relação não-tradicional do Batman com seu ajudante mais jovem. Para evitar censura e outros problemas com as histórias do Batman, as editoras criaram o Comics Code Authority para responder às acusações descontroladas e deturpadas de Wertham. Muitos fãs acreditam que, esse momento foi determinante para a criação da Era de Prata – que é, exatamente, quando as coisas ficam mais estranhas ainda…

1958: Zur-En-Arrh

Ao invés de combater criminosos, o Batman começa a ter suas aventuras espaciais, tridimensionais e cheias de viagens estranhas. Em Batman #113, ele é visitado por um esfarrapado e multicolorido Batman do planeta Zur-En-Arrh – ele precisa da ajuda do Batman da Terra para lutar contra robôs controlados por alienígenas do mal. Como se já não fosse loucura suficiente, Grant Morrison reconectou essa história, tempos depois, como se a aventura fosse uma viagem “imaginária” do nosso Batman.

BAT-MITE

1959: Bat-Mite

Em Detective Comics #267, o Batman recebe uma visita, diretamente da quinta dimensão, do Bat-Mite, um ser completamente apaixonado pelo Homem Morcego que, para ver seu herói em ação, coloca diversos problemas e desafios em sua vida. Naturalmente, Batman se irrita com essa situação e por ter um mini-ele apaixonado rondando sua vida.

1962: Bebê Batman

O Batman passou por diversas transformações estranhas durante a Era de Prata – incluindo seu traje arco-íris, seu momento macaco, os flertes incomuns e o pensamento em suicídio. Nenhuma dessas mudanças foi tão esquisita quanto a transformação do Batman em um bebê em Batman #147. Ao invés de tirar uma folga do trabalho árduo de super-herói, o Batman prefere vestir uns suspensórios e continuar a luta contra o crime daquele jeito mesmo. Ninguém merece um Batman bebê super violento.

BATMAN E ROBIN

1964: O Renascimento

Em meados dos anos 1960, as vendas das HQs do Batman haviam caído demais e, em um esforço para aumentar sua popularidade e atrair novos públicos, a DC Comics resolveu trazer o Homem Morcego para sua origem. De volta à Terra e com os seus tradicionais vilões, o Batman voltou a ter seu caráter ajustado e um traje digno de um super-herói sombrio – é aquele com o logotipo oval amarelinho que amamos! Esse momento marcou a volta do Batman ao sucesso dos quadrinhos.

1970: A Terra Dois do Batman

A reformulação da história do Batman não foi suficiente e a DC decide justificar o não envelhecimento de alguns personagens, bem como a “ausência de referência” à diversos fatos esquisitos dos últimos anos, como se tudo tivesse rolado na Terra Dois e não na Terra principal, que é onde a história seguiria a partir de agora. Os leitores começaram, então, a desenhar diagramas super complexos para entender qual história estava ligada a qual Batman – só que tudo foi jogado fora em 1985, quando a DC publicou Crisis on Infinite Earths, quebrando todas as realidades, sobrevivendo apenas um Batman.

PIADA MORTAL

1988: A morte do Robin

Se existiu um momento em que Batman se tornou extremamente sombrio, foi em 1988. Em A Death in the Family, o Coringa sequestrou a mãe distante de Robin, bateu no menino prodígio com um pé de cabra quase até a morte e ainda explodiu uma bomba, finalizando com a morte dos dois. Os leitores não sabiam se a DC Comics deixaria Robin vivo ou morto depois dessa e, inclusive, eles foram questionados para que a decisão fosse tomada. A maioria decidiu que Robin deveria, definitivamente, morrer, e assim aconteceu.

1988: A Piada Mortal

Já que o Coringa se popularizou como uma máquina de acabar com tudo o que o Batman ama, ele também sequestra o Comissário Gordon e o mantém nu, preso em uma gaiola, como uma aberração de circo. O Coringa, então, sem limites, também sequestra a filha do Comissário, que está, nesse período, atuando como Batgirl. O pai não aguenta ver sua filha, paralisada com o soro do riso, nua, em outra gaiola, completamente em agonia. Nesse momento, o mundo do Batman começa a ruir e ele vê sua insanidade completa sendo mostrada para todos…

BATMAN VENOM

1991: Venom

Temendo não ser bom o suficiente para combater todos os crimes, Batman começa a usar uma droga que aumenta sua força – Venom. Depois de perceber que está completamente viciado e que aquela droga estava lhe fazendo mal, Batman se tranca em um quarto por alguns dias para desintoxicação. A luta é incrível, já que estamos falando de Batman e sua força de vontade.

1993: Knightfall

Dois anos depois, um criminoso da América Central, tomado pela mesma droga que viciou o Batman, acaba por estragar completamente a estrutura física do herói – mas somente depois de libertar todos os criminosos do Arkham Asylum, o levando a um esgotamento quase total. O Batman permanece paralisado por um longo tempo e, durante esse período, um outro louco, Jean-Paul Vale, assume a identidade do Homem Morcego e estraga a marca do Batman com um completo caos por Gotham.

Claro que as maluquices não param por aí, enquanto tiver história, enquanto lançarem quadrinhos, enquanto fizerem inúmeros reboots, as insanidades de roteiro continuarão… E é por isso que amamos quadrinhos, não é mesmo?

LEIA TAMBÉM:

MERGULHE NA HISTÓRIA PASSIONAL DE HARLEY QUINN

HISTÓRIA E CURIOSIDADES SOBRE A MULHER MARAVILHA

CONHEÇA AS TREINADORAS DE DIANA PRINCE, A MULHER MARAVILHA

ORIGEM E INTEGRANTES DO ESQUADRÃO SUICIDA

Compartilhe: