Jovem e com cabelos azuis quase tão longos quanto ela, a cantora pop japonesa Hatsune Miku (sim, normalmente o sobrenome vem antes no Japão) é uma das garotas mais conhecidas no seu país de origem. Ela canta com perfeição e faz coreografias únicas em seus shows, que já atravessaram o mar e chegaram até os Estados Unidos. Ela nunca se cansa do que faz e concorda em cantar qualquer tipo de coisa. Produtores poderiam dizer que Miku é a estrela perfeita com quem se trabalhar, se não fosse um pequeno detalhe: A cantora não existe no mundo real.

Tudo começou com uma empresa da terra do sol nascente chamada Yamaha – não, não é a que você está pensando – que comprou um projeto desenvolvido em uma universidade espanhola chamado “Vocaloid”. Esse projeto era um software que trabalhava sintetizando vozes. A empresa tinha a intenção de finalizar e comercializar a ideia e foi o que fez em 2004, quando outra empresa, chamada Zero-G, associada à Yamaha, produziu para o software as primeiras vozes que foram vendidas: Lola, Leon e Mirian. A ideia vendeu razoavelmente bem, e outra parceira da Yamaha, a Crypton Future Media, começou a trabalhar no “Vocaloid” também, dessa vez fazendo as primeiras vozes em japonês. Disso, nasceram dois dos seis principais personagens para serem usados no programa: a Meiko e o Kaito!

Eles chamaram a atenção, mas ainda assim, o sucesso absoluto do software só chegou quando a Crypton lançou “Vocaloid 2” e, separadamente do programa, a voz que mudaria tudo.  Em 2007, finalmente a nossa Miku nasceu! E com ela, o projeto Vocaloid voou às alturas. Pelúcias, brinquedos, bijuterias e claro, cópias e mais cópias do software começaram a ser vendidos. O mais interessante foi como os personagens foram bem aceitos e assim, logo vieram mais, dessa vez, bem aclamados por todos. Rin e Lin Kagamine, o casal de gêmeos, chegou em 2008 e a Luka Megurine, em 2010, completando o grupo dos seis mais populares avatares já criados. Claro que muitas vozes vieram entre eles e depois, mas nunca ganharam tanto destaque.

meiko kaito

(O grupo dos seis mais populares – da esquerda para a direita, temos:  Meiko,  Len, Rin,  Kaito, Miku e  Luka)

O bacana é que antes da Miku, as vozes não eram acompanhadas obrigatoriamente de um personagem, mas depois dela, poder de fato ver alguém cantado e, se quiser, tocando e dançando aquilo que você produzia, foi a chave do sucesso. A partir de então, todos os pacotes de vozes sintetizadas passaram a vir com os seus avatares também. Isso só se alastrou para o ocidente mais tarde, mas hoje, graças aos Vocaloids, uma voz sintetizada acompanhada de seu avatar é o padrão adotado mundialmente.

Ainda, o Vocaloid já tem, atualmente, vários softwares produzidos e traduzidos em diversas línguas para atender melhor ao mercado. Isso, sem contar a franquia “Project Diva” foi criada para PSP 3000, PSVita e Nintendo DS. Nesses jogos, você pode escolher o seu avatar favorito, a roupa que irá vestir e então brincar em um jogo de ritmo que é como se fosse um “Guitar Hero”: as “notas” virão e você deve apertar o botão correspondente na hora certa. Contudo, tanto a mídia física do software quanto dos jogos nunca chegaram oficialmente ao Brasil, o que é uma pena.

Mas, caso a parte, ainda há algo com que se contentar! Todo cantor faz shows, não é? A Miku também! Em parceria com a Sega, todo show vocaloid é feito com hologramas, para que você possa de fato ver a garota no palco. E o mais legal de tudo é que faz o maior sucesso! Com banda ao vivo acompanhando ou não, cada show traz uma nova surpresa e em todos eles a plateia canta e grita junto com a música. É possível conferir shows inteiros no YouTube! Se bem que… Os Vocaloids até vieram ao Brasil uma vez. Um show deles foi passado em um cinema em São Paulo, que lotou de gente e até teve cosplay! Pena que não pude ir.

Por fim, se tiver a curiosidade, deixo aqui um show completo dela do ano passado. Avance o vídeo até 00:14:00 ates de começar a assistir. São três horas de vídeo, então, se estiver sem tempo, ao menos avance para momentos aleatórios e veja vários trechinhos. Beijinhos e até a próxima!

Compartilhe: