Depois de muitos dias em silêncio profundo e muita observação, Michonne finalmente agiu como Michonne. Já vou começar direto resumindo tudo o que achei de mais interessante e chamativo no quinto episódio da terceira temporada de The Walking Dead – Say The Word. Michonne invadiu a casa do Governador e com toda a sua determinação e paciência samurai (ou pseudo-samurai), roubou sua Katana. Claro, toda a cena do roubo da Katana ficou em segundo plano com o surgimento de uma filha do Governador – Penny, a menininha zumbi.

 

Michonne descobriu sobre a existência de Penny, mas não faz idéia de que é a filha do Governador, ela acha que é apenas mais uma periguete de plantão. As vezes eu acho a Michonne meio imatura, tudo bem que sendo mulher e super guerreira, suas atitudes, muitas vezes, precisam ser precipitadas porque nenhum homem no poder respeita mesmo, mas acho que o papinho que ela levou com o Governador não acrescentou muito não.

 

 

A imagem acima representa a melhor cena da Michonne nessa cidadela, pelo menos uma das melhores, porque sua saída de Woodburry foi apoteótica também. Matar zumbis fica na alma, Michonne possui uma grande semelhança com o grupo de Rick, sua vida não pode ser perfeita demais, ela não aguenta mais fingir que nada está acontecendo no mundo, matar zumbis virou missão de vida!

 

Em contrapartida Andrea está ficando de lenga lenga com o Governador e realmente acreditava que a sua vidinha ali seria perfeita, até ter a chance de ver a arena de gladiadores que o maluco do Governador monta para a sua “cidade” se divertir e aprender a não ter medo de zumbis. É mole? O cara é insano, penteia cabelo de filha zumbi, finge que zumbis são inofensivos para sua cidade, acho que a Andréa realmente fez um péssimo negócio escolhendo ficar por ali, e agora já é meio tarde para correr atrás de Michonne – até porque ela não tem muita competência para sobreviver sozinha né?

 

 

Do outro lado da história, Daryl e Maggie correm de moto pelos arredores do presídio para buscar leite em pó para o neném de Lori. Eles (convenientemente) encontram uma creche abandonada e nela, muitos acessórios que a neném vai precisar. Daryl e Maggie trabalham muito bem juntos e acho que são o ponto alto do grupo de Rick agora. Ao retornar para a prisão, Daryl mostra seu lado humano-mimimi pela primeira vez para o grupo e pega a neném no colo para amamentá-la (com a mamadeira, rss). A cena faz todos relaxarem por alguns minutos, menos Rick, é claro, que continua louco alucinado correndo pela prisão matando zumbis adoidadamente.

 

Aliás, Rick é o melhor né? O cara acorda no hospital no meio do apocalipse zumbi, não sabe nada do que está acontecendo no mundo, quase morre, sai andando de cavalo em busca de sua esposa e filho, encontra, faz seu filho levar um tiro, faz Sophia sumir, encontra uma fazenda, cria alianças, mata Sophia zumbi, descobre que sua esposa está grávida, descobre que sua esposa andava transando com seu melhor amigo, mata seu melhor amigo, sai da fazenda, despreza sua esposa, abole a democracia, encontra uma prisão, faz chacina de zumbis, despreza sua esposa, treina seu filho para a guerra, faz chacina de zumbis, perde a esposa, percebe que seu filho guerreiro matou sua esposa e ganha o filho da traição da mulher com o melhor amigo. Fica maluco e termina atendendo o telefone. [Sem mais para o Rick].

 

 

Estou torcendo e muito para: A Andrea se ferrar com esse papo de confiar no Governador, a Michonne encontrar o grupo do Rick e ser a boladona que dá boas novas, Rick continuar maluco porque ele precisa relaxar um pouquinho, Daryl assumir as decisões do grupo, o roteirista mostrar o que realmente aconteceu com a Carol, porque eu não consigo acreditar que esta mulher morreu.

 


Leia mais posts sobre The Walking Dead:

 

   

Compartilhe: