Sim, você não leu errado! Michael Jackson voltou!!! Ok, não foi em carne e osso, foi em luz e pixels, mas voltou! Graças a tecnologia de holografia, como outros antes dele, Michael voltou aos palcos durante a edição deste ano do Billboard Music Awards, realizado no domingo 18 de maio de 2014. Foi uma apresentação marcante, que emocionou os fãs presentes. Mas venha comigo, que eu vou contar um pouco mais a respeito para você de como foi a apresentação e das maravilhas que o uso de hologramas pode fazer!

Michael faleceu em 2009, mas sua recriação digital surgiu no palco, cercada de bailarinos, e cantou “Slave to the Rhythm”, música que faz parte de seu mais novo álbum póstumo,“XSCAPE”, lançado recentemente. Durante  a performance, Michael realizou uma coreografia cheia de detalhes que ele mesmo teria escolhido, como alguns dos seu s clássicos gritos, passo leve s e fluidos e, até mesmo, um Moonwalk! O “Rei do Pop” reinou novamente, absoluto, nesta noite.

michael

Eu colocarei aqui para vocês um vídeo da apresentação, a qualidade, especialmente no inicio, não está muito boa, mas isso se deve as dificuldades sendo criadas pelo YouTube, que está retirando as cópias do ar, sob alegação de direitos autorais.

A tecnologia de hologramas já tem algum tempo, hoje ela é usada em atrações como os parques temáticos de Harry Potter (nessas atrações, dentro da escola de magia de Hogwarts, você encontra os famosos personagens dessa forma, completando o ambiente) e tem sido cada vez mais aplicada em shows. Um primeiro exemplo a se citar é a cantora Hatsune Miku, a cantora inexistente. Ela é um Vocalóid, personagem de um jogo musical surgido no Japão, mas que hoje faz tanto sucesso que tem shows de grande porte, graças a tecnologia da holografia.

Um outro exemplo é o rapper Tupac Shakur. Assassinado em 1996, foi recriado em holograma e acompanhou Snoop Dog e Dr.Dre  no palco, em uma performance memorável!

E, para completar, as terras tupiniquins também tentaram utilizar a tecnologia e recriar nosso saudoso Renato Russo para uma apresentação no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Mas, por falhas técnicas e falta de organização, os fãs ficaram decepcionados e declararam achar a imagem mal construída.

renato

Será que este será o futuro dos shows? Fico imaginando, quantos bons artistas que já não estão presentes poderão voltar assim? Ou se algum artista não usará isso para não ir fisicamente a uma localidade distante, mandando seu sósia holográfico…