Recebi um artigo de um amigo esta semana sobre a reciclagem de garrafas PET e fiquei indignada com o que li. Saber que um dos maiores lemas da nova geração, do novo mundo, é mais uma mentira de marketing e grandes marcas que só querem extinguir o nosso planeta da galáxia, não me surpreende. O que me surpreende é saber que, infelizmente, somos enganados em tudo, em todos os momentos e que continuamos a viver normalmente, como se nada estivesse acontecendo ao nosso redor. Até quando?

Esta semana, em uma discussão com outros amigos, chegamos a conclusão que todos os bolsa-alguma coisa e tudo o que vemos de investimentos e melhorias em nossa sociedade, não serve para absolutamente nada. Até porque, somos uma sociedade sem educação de base e sem incentivo aos bons costumes. E nem adianta você se ofender, no dia que seu vizinho (note que nem te culpei aqui) parar de colocar sacolas de lixo na porta de casa, conversaremos novamente, ok? Esta nossa falta de educação de base faz com que nos enganemos com tudo o que assistimos na televisão e lemos na internet, precisamos pesquisar mais, abrir mais nossa mente para o conhecimento.

pet

Bom, vamos ao que dizia no artigo, antes que você durma com o meu blá blá blá. No artigo de Norbert Suchanek dizia que, a famosa reciclagem de garrafa PET, aquela incentivada por diversas empresas de sucos e refrigerantes no mundo inteiro, nada faz em prol do meio ambiente. Aliás, ao invés de se tratar de um processo de reciclagem ou até mesmo sustentável, utilizar garrafas PETs para confecção de outros produtos torna-se mais agressivo ao meio ambiente do que você pode imaginar.

Bey

Isso mesmo lindos, lindas e Bey! Olhem que mágico: O uso de uma garrafa PET velha no seu quintal ou em forma de roupa, ou qualquer outra coisa, não é reciclagem e nem preserva o meio ambiente. Reciclagem é quando uma garrafa vira outra garrafa, como é feito com as garrafas de vidro. Só assim o uso da matéria prima, o petróleo, e o gasto de energia são reduzidos, causando grande impacto na economia mundial. A velha garrafa virando um outro produto, faz, na verdade, parte de um processo conhecido internacionalmente como Downcycling.

Ao contrário do vidro, a PET não pode ser reutilizada na linha de produção original e o seu processo de reciclagem é ainda caro e complicado. Por isso a indústria de embalagens prefere fazer suas garrafas com matéria prima original e inventou a propaganda da PET-Recicling. Novos mercados então foram criados com produtos feitos de PETs, o que, ao invés de tornar o consumo mais consciente, acabou criando uma nova febre de fabricação.

reciclagem

O pior é que, ao contrário do que dizem as propagandas, a produção de PET não é fácil e muito menos limpa. Além do uso de petróleo, são utilizadas e criadas várias substâncias tóxicas durante o processo. Por exemplo, a indústria está usando trióxido de antimônio – mas o antimônio é um metal pesado venenoso que, de acordo com pesquisas, podem causar o câncer. A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) classifica o trióxido de antimônio no grupo 2B – possivelmente carcinogênico para o ser humano.

A substância orgânica Bisfenol-A (BPA) é um outro grande vilão na produção de PETs e outras embalagens. Esta substância é um estrogênio sintético e pode causar também câncer e infertilidade. Já foi provado que o Bisfenol-A pode, ainda, contaminar os líquidos dentro de garrafas PETs e outros plásticos.

Quem compra garrafas de PET e as usam no seu quintal como um viveiro ou quem cria um sofá de PET ou bijuterias, também está responsável pela continuidade do uso do petróleo, pela mineração de antimônio e seus efeitos danificadores e pela contaminação do meio ambiente com substâncias tóxicas e cancerígenas.

Fonte de dados: Portal do Meio Ambiente

Compartilhe: