Eu não sei vocês, mas esse episódio foi revelador. Um dos episódios mais lineares até agora, sem muitas reviravoltas, mas um episódio necessário para que as peças comecem a se encaixar nesse quebra-cabeça que é Lovecraft Country.

A History of Violence leva nossos protagonistas, Leti e Tic, agora com Montrose novamente para a estrada, a fim de obter respostas acerca das páginas perdidas do famigerado livro dos nomes, mencionado no segundo episódio e ao que tudo indica as aventuras terão esse tema como fio condutor.

Confesso que esse episódio para mim, foi extremamente nostálgico por mostrar passagens secretas e túneis com armadilhas no melhor estilo Indiana Jones de ser. Impossível não captar a referência!

O clima está tenso entre Leti e Tic, ela está magoada pois sabia que Cristina tinha comprado a casa de leti e não contou, mas o pior… Ele pretendia ir embora sem falar nada. Contudo, tudo isso precisa ficar para trás pois a busca por respostas de Titus Braithwhite é mais importante.

Nesse meio tempo descobrimos mais sobre Cristina, principalmente sobre o desejo de ascenção na ordem – o que já imaginávamos- e o fato dela ter usado Tic para matar seu pai, ainda no segundo episódio. Cristina também está em busca do planetário de Hiram Epsteim, antigo dono do atual lar de Leti, o que ela não sabe é que este está com Hippolyta.

Sentiu falta de alguma crítica social? Pois bem, a cena na qual Cristina é levada por oficiais, também participantes da Ordem, personafica o machismo da sociedade e deixa claro que o desejo da personagem é mostrar que uma mulher, pode sim ascender no poder. Perceba que nesta cena, temos também um sutil aceno para uma possível narrativa de viagem no tempo. queremos!

Enquanto Leti e Tic tentam incansavelmente descobrir, Montrose parece saber claramente onde está, afinal passou muito tempo pesquisando sobre. Mas a pergunta é: Por que ele não quer falar? Ainda não sabemos!

Mas um detalhe descobrimos neste episódio, existem 34 lojas/casas da ordem do amanhecer o que pode sugerir novas temporadas da série. Ou não.

A jornada de busca na estrada os leva à Boston, e nesse ponto temos uma das primeiras viradas do episódio. Através de um guia, conhecemos sobre Tittius Braithwhite. O guia afirma que suas viagens à África e à América do Sul foram agradáveis, onde outros povos, simplesmente o presenteavam com artefatos que preenchem os espaços da ala do museu em sua homenagem. Obviamente que a verdade é outra, como qualquer outro colonizador, Tittus tirou de outras culturas sem perguntar e explorou quem cruzou seu caminho.

Atticus, Leti e Montrose decidem voltar a noite ao museu, e encontram um túnel abaixo de uma estátua repleto de armadilhas e que a cada momento vai se enchendo de água tornando tudo ainda mais complicado.

O Trio finalmente encontra o cofre, e ele requer sangue, e tudo indica que sangue de algum descendente de Tittus. O caminho então os leva para o navio que o explorador usou para fazer sua última viagem. Centenas de corpos mumificados ali se encontravam, mas um os chamava a atenção: Yahima.

Quando ticam nas páginas que Yahima segura, a mesma volta a vida e explica através de uma linguagem nunca ouvida mas que Atticus compreende perfeitamente que, Tittius os enganou para traduzir páginas do Livro dos Nomes antes de amaldiçoá-los.

Sentiu falta da Hippolyta? Pois bem, além de descobrirmos que ela é uma eximia astrônoma. No final percebemos a personagem com uma pulga atrás da orelha, afinal, como eles teriam voltado tão rápido de Boston? E agora com antigo mapa de George, ela viaja com Dee a caminho de Ardhan!

Mas o que parecia ser final linear, nos últimos segundos vemos Montrose cortando o pescoço de Yahima, aquela que parecia ser a única capaz de desvendar as páginas.

O que esperar dos próximoas episódios? 

A série é exibida aos domingo às 22h na HBO.

LEIA MAIS SOBRE SÉRIES