O oitavo episódio de Lovecraft Country, série original HBO, foi de longe o mais assustador de toda a temporada, até o momento.

Neste, Dee após fugir do funeral de seu melhor amigo Bobo [Emmet Till], é abordada por dois policiais envolvidos com magia, que buscam informações sobre sua mãe Hippolyta. Quando ela diz desconhecer, é amaldiçoada pelos homens, e a partir dai começa a ser perseguida por duas gêmeas incrivelmente assustadoras que parecem ter saído de muitas das histórias de terror que conhecemos.

Muito de Topsy e Bopsy, nos lembra Lupita Nyong’o em ‘Nós’, em meio a sua aterrorizante coreografia ao perseguir Dee pelas ruas.

E a sensação de referências de histórias que já assistimos não é a toa, afinal Misha Green, uma das criadoras do show mencionou em uma entrevista que haveria um episódio inspirado em ‘A Nightmare on Elm Street‘, de Wes Craven: “Você verá que usamos Nightmare on Elm Street e Freddy Krueger para dizer como é ser uma jovem negra na América.”

Mas existe sim, uma história por trás das gêmeas Topsy e Bopsy, que contaremos aqui:

As meninas são uma referência direta a um livro chamado ‘A Cabana do Tio Tom‘ de Harriet Beecher Stowe.  Descrito como “um romance anti escravidão” publicado em 1852, foi, anos depois, extremamente criticado por tornar popular diversos arquétipos racistas.

As gêmeas representavam Eva e Topsy. Ambas viviam juntas, mas eram completamente opostas. Eva era uma menina retratada como “loira e angelical”, enquanto Topsy era retratada como “uma escrava travessa” que envolvia Eva em suas travessuras.

É possível perceber tal descrição nas meninas da série, onde a gêmea “branca”, tende a repetir as atitudes da gêmea “negra”.

No livro, Topsy é “Comprada” aos 8 anos, justificando o ato como forma de cuidado: “Ela pertencia a algumas pessoas que eram terrivelmente cruéis e batiam nela. Não suportava ouvi-la gritar todos os dias”

A descrição que o autor faz de Topsy é quase que idêntica a das gêmeas que Dee vê: Ela era bastante negra. Seus olhos redondos e brilhantes brilhavam como contas de vidro. Seu cabelo lanoso estava trançado em pequenas caudas que se projetavam em todas as direções. Suas roupas estavam sujas e esfarrapadas.

O público, na época que o livro foi lançado, tinha dificuldade em compreender a realidade da história de Topsy, mas o autor não colaborou muito ao retrata-la sempre como mentirosa, ladra ou problemática. Sendo mais fácil ao leitor, ignorar tudo de ruim que aconteceu com a menina.

Posteriormente o livro  ‘A Cabana do Tio Tom’ foi adaptado para o teatro e se tornou em um espetáculo racista. Nessas apresentações de menestréis, a menina Topsy foi retratada como “feliz e alegre” que se deleitou com sua escravidão. Suas roupas sujas, cabelo crespo e mau uso do inglês foram transformados em adereços cômicos com o objetivo de desumanizá-la ainda mais.

As representações racistas acabaram chegando aos desenhos animados, censurados anos depois; e Dee, na série certamente estava ciente disso, afinal a menina é uma artista/quadrinista.

Mas o que essas meninas representam na trajetória de Dee, dentro de Lovecraft Country?

Para a história, as gêmeas representam para Dee, a forma que a américa branca a vê dentro da sociedade: como uma piada. E não sabemos o motivo pelo qual o policial usou nela este feitiço, mas tendemos a acreditar que seja exatamente essa a explicação.

E traçando um paralelo, Topsy era uma criança de 8 anos que sofria e teve sua vida transformada em uma piada pelos brancos; enquanto Dee está devastada com a perda de seu melhor amigo e sem saber onde estão seus pais. Quando Dee confronta aos homens brancos que a amaldiçoaram e os monstros é como se gritasse para o mundo a dor de todas as crianças negras desvalorizadas pela América.

Para reforçar tal paralelo, trazemos o teaser do penúltimo episódio, onde podemos ver que Dee agora está se transformando em uma das gêmeas.

 

A série é produzida por Jordan Peele e J.J. Abrams e o elenco conta com Jonathan MajorsJurnee Smollett-BellCourtney B. Vanc e Michael Kenneth Williams.

A série é exibida aos domingo às 22h na HBO.

LEIA MAIS SOBRE SÉRIES