Com a chegada do live-action de Mulan ao Disney+, muitos começaram a apontar as diferenças entre a nova versão e o desenho original. A razão por isso é simples, o live-action não é apenas um reboot do desenho, mas sim uma adaptação da lenda chinesa de Mulan. A personagem existe na mitologia do país há anos e é sobre ela que o filme fala.

A história

Enquanto lavava roupa, Mulan fica sabendo que o exército imperial está recrutando soldados e um homem de cada família precisa ser enviado ao campo de batalha. Como seu pai já é idoso e doente e Mulan é filha única, ela se oferece para ir em seu lugar. O mundo não estava preparado para uma mulher guerreira, então ela precisa ir escondida de sua família, fingindo ser um homem. As origens de Hua Mulan (flor  – Huā e magnólia – Mùlán) não são exatas, mas a primeira vez que o  nome da guerreira aparece em documentos varia entre os séculos 4 d.C ou 5 d.C. O nome de Mulan surgiu em uma música chamada A Balada de Mulan, durante a Dinastia Wei do Norte (386 d.C – 557 d.C). O documento em questão não existe mais.

Com o passar dos anos, a história de Mulan foi contada em poemas, músicas e peças de teatro. No século 17, por exemplo, um romance publicado por Chu Renhuo se baseou na música e a lenda da guerreira chinesa continuou viva.  

As diferenças

Uma semelhança entre as versões da Disney e do live-action é o final feliz que Mulan tem. Na história, porém, a trama não é tão feliz como a dos contos de fadas. A lenda de Mulan diz que ela lutou entre 10 e 12 anos na guerra e foi reconhecida com alto mérito por suas conquistas. A jovem chegou a ser promovida a general. Em seus anos na guerra, Mulan se apaixonou por um oficial, Jin Yong, que ao descobrir se tratar de uma mulher, se apaixonou por ela. O casal chegou a fazer planos para se casar e seguir uma vida juntos. 

Ao retornar para casa, o imperador queria condecorar Mulan, mas tudo o que ela lhe pediu foi um cavalo. Ela queria voltar para casa e reencontrar sua família, mas ao chegar lá, descobriu que seu pai havia morrido. Mulan não conseguiu lidar com a perda e começou a se sentir cu lpada. Ela continuou a ser perseguida pelas memórias da guerra e a perda do pai só catalisou tudo. Ao fim, a menina decidiu tirar a própria vida.

 

Mulan chega ao Brasil no fim de 2020.