Olá coxinhos e coxinhas, para começar 2017 com o pé direito, ou melhor, com a mão direita, resolvi sugerir três livros que eu estou lendo e gostaria também de propor um desafio à vocês.

 

Para iniciar bem o novo ano, preparei cinco livros de ficção, sendo dois deles com uma pegada de romance e um de horror. Opa! Horror? Como assim? Siga a lista e descubra.

Um dos meus livros favoritos não-terminados é Toda Luz Que Não Podemos Ver (em inglês All The Light We Cannot See), antes de apresentar-lhes um resumo, quero deixar as impressões que ele me causou. Lendo este livro, eu chorei, mas a verdade é que ele causa muito mais do que uma simples reação assim.

TODA A LUZ QUE NÃO PODEMOS VER

 

Marie-Laure é uma garota francesa que vive no período da Segunda Guerra Mundial. Marie perdeu a visão aos seis anos. Seu pai é um chaveiro que trabalha em um museu, ele também é um ótimo construtor e construiu para ela uma maquete da cidade para que ela aprendesse a andar por ali. Quando a França começa a ser ocupada pelas tropas do Nazismo, ele é chamado pelo gerente do museu, que lhe entrega uma pedra que imita uma das joias mais preciosas do estabelecimento e diz a ele que a proteja como se fosse a pedra original. Então, ele e Marie se mudam para Saint-Malo procurando dar proteção à pedra na casa de um conhecido, porém, este teve sua casa completamente queimada. Eles, então, se abrigam na casa de um parente nesta mesma cidade, um sobrevivente da Primeira Guerra Mundial que lida com os traumas causados por ela. Lá, ele começa a construir uma maquete da nova cidade e por sair pelas ruas medindo-as e analisando locais para Marie-Laure, desperta atenção das pessoas e é levado a um campo de concentração. Do outro lado está Werner, um órfão alemão que gosta de desmontar e montar coisas. Ele vive em um orfanato com sua irmã Jutta e conforme os anos passam, todo menino começa fazer parte da Juventude Hitlerista, até se tornar obrigatório. Por consequencia da guerra, os dois se cruzam enquanto tentam sobreviver à Guerra.

“Pedras são apenas pedras, chuva é apenas chuva e maldições são apenas má sorte.” – Página 58

Ficha técnica:

Autor: Anthony Doerr
Gênero: Romance histórico
Editora: Intrínseca
Lançamento: 2015
Páginas: 528
Tradução: Maria Carmelita Dias

O SILÊNCIO DAS MONTANHAS

 

Assim como em A Cidade do Sol, O Silêncio das Montanhas aborda o cotidiano afegão. “Um romance épico que atravessa seis décadas, quatro países (Afeganistão, França, Grécia e Estados Unidos) e conta a história de dois irmãos, Pari e Abdullah. Separados na infância, eles passam a vida sentindo a ausência um do outro. Uma trama de amor, traição, solidariedade, egoísmo, relações familiares e sobre como as escolhas de cada um influenciam gerações.”
É um livro dividido em nove capítulos, narrados em épocas e por personagens diferentes, mas todos estão interligados de alguma forma com os irmãos, Abdullah e Pari, que têm um amor fraterno fortíssimo um pelo outro e foram separados na infância. A diferença entre este romance e os outros dois mais conhecidos publicados pelo autor (O Caçador de Pipas e A Cidade do Sol) é que ele interlaçou vários personagens de diferentes épocas e fugiu um pouco do padrão dos seus outros livros, porém, continua emocionante e incrivelmente triste, além de apresentar uma outra forma de enxergar o Afeganistão.

“O tempo é como um encantamento. A gente nunca tem o quanto imagina.” – Página 331

Ficha técnica:

No Brasil:
Autor: Khaled Hosseini
Gênero: Romance
Editora: Globo Livros
Lançamento: 2013
Páginas: 352
Tradução: Cláudio Carina

CAIXA DE PÁSSAROS – Não Abra os Olhos

 

“Algo aterrorizante que não deve ser visto. Basta uma olhadela e a pessoa é levada a cometer atos de violência mortal. Ninguém sabe o que provoca isso e de onde veio.” Tudo o que se sabe na história é o que Malorie “vê”, ou melhor, o que ela sabe sobre o lugar que vive. Ela tem dois filhos, que sempre viveram dentro de casa e nunca viram a luz do sol, mesmo quando saíam, pois tinham de usar vendas. Há mais ou menos quatro anos, a protagonista fez parte de um grupo voltado a resistência do terror oculto, na tentativa de de criar certa ordem a partir do caos. Por este motivo, ela adiou sua fuga da cidade e usou esse tempo para ensinar seus filhos a se virarem sem enxergar, apenas usando a audição. Após o surgimento de uma neblina estranha ela, então, decide sair em direção ao rio que corre atrás de sua casa e remar para bem longe daquele lugar horrorizante, porém, sem rumo e sem ter o que esperar. Já no rio, Malorie lembrou de que, à certa altura, precisaria abrir os olhos por poucos segundos e encarar o mundo que ela jamais havia visto.

“Você vai ter que abrir os olhos…” – Página 142.

Ficha técnica:

No Brasil:
Autor: Josh Malerman
Gênero: Horror
Editora: Intrínseca
Lançamento: 2015
Páginas: 268
Tradução: Carolina Selvatici

Bom, apresentados os livros, gostaria de, então, propôr o desafio: Será que você consegue ler essas três grandes histórias em 30 dias? Se conseguir, volte ao post e comente sua experiência. Se não conseguir, não desista da leitura, tenho certeza que sua forma de ver o mundo será novamente afetada por cada uma dessas obras.

Leia mais sobre Livros

Compartilhe: