No dia 30 de setembro de 2016 estreou nos cinemas de todo o Brasil, o aguardado novo filme de Tim BurtonO Lar das Crianças Peculiares, inspirado no best seller internacional, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares de Ransom Riggs.

Como toda adaptação, o filme está sendo criticado de forma polêmica e, como todo filme de Tim Burton, está recebendo classificações e julgamentos diferenciados!

Quer saber quais são os pontos positivos do filme? Continue conferindo nossa lista!

Elenco fora do mainstream!

Os rostinhos novos foram ótimos para o filme. Em filmes de fantasia, é muito difícil o ator não ficar atrelado a vida inteira em seu personagem. Principalmente se for uma série.

Então, sendo atores que eu nunca vi anteriormente, não pude criar conexões do tipo “ah, é Fulano que faz Percy Jackson…” (exemplo).

A única conexão feita foi com o personagem principal, Asa Butterfield, que fez A Invenção de Hugo Cabret. Se ele não fosse tão maior em altura e não tivesse o rostinho de jovem-adulto, provavelmente eu teria cometido o pecado involuntário de falar “ah mas é o Hugo Cabret…”. Mas não foi o caso!

E as outras crianças, nunca vi na vida!

Pesquisando rapidamente, descobri que a mocinha fez a Malévola quando jovem. N-u-n-c-a adivinharia. Tava ótima!

[Comentário de: Gabriela Ornellas]

Eva Green maravilhosa!

Eu sei que Eva Green dispensa comentários. Ela é maravilhosa e está maravilhosa como Miss. Peregrine.

Chefe e tutora do Lar das Crianças Peculiares, é uma mistura mãe e guerreira e que nos conquista no primeiro sorriso. Seu personagem é profundo, sedutor e sutil. Ela deu vida à Miss. Peregrine de forma magistral.

E essa não é a primeira vez que ela trabalha com Tim Burton. Para quem não lembra, ela fez Sombras da Noite com Johnny Depp, onde ela era uma vampira sedutora adorável.

“Eva Green, você é incrível, quero ser você quando crescer!”

[Comentário: Camila Oka]

Despretensão!

Olha, não sou gabaritada para falar de cinema. Falo como leiga. Eu não faço ideia de como se faz um filme despretensioso. Mas digo logo: são os que conquistam mais meu coração.

Acredito que Tim Burton faz isso com todos os seus filmes que eu já vi, incluindo as animações.

É um sentimento muito gostoso de leveza nesse filme, em que é só muito agradável de assistir.

Adoro filme delicinha, em que eu gosto de todos mundo (ou quase todo mundo…), e saio com sensação boa.

[Comentário: Gabriela Ornellas]

Batalha de esqueletos!

Épico e tão Tim Burtoniano que vai te fazer se sentir em casa!

Tim Burton é aquele cara que consegue fazer um inception dentro do próprio filme.

A cena da batalha de esqueletos, além de épica, é super divertida, nos faz sentir que somos aquela criança assistindo sessão da tarde.

Se até esse momento você tinha dúvidas de que se trata de um filme de Tim Burton, essa cena é VRAU toma Tim Burton!

[Comentário: Camila Oka]

Fotografia maravilhosa!

Os lugares retratados durante o filme são maravilhosos, e muito diferentes. Acho que nunca vi um filme retratado no País de Gales.

Existe uma necessidade de criação do espaço perfeito, até para compor a narrativa da história, que conta com o espaço-perfeito-que-as-coisas-começam-a-desandar.

A grama é verde perfeita, as comidas tem cor viva, o céu é azul demais e a vista é de chorar.

Eu sei que a fotografia dá certo quando eu saio do cinema e procuro o preço de uma passagem pro lugar.

E a última vez que isso me aconteceu, que eu me lembre, foi com A Vida Secreta de Walter Mitty.

[Comentário: Gabriela Ornellas]

A história é maravilhosa demais!

Não é necessário ter lido o livro antes de assistir ao filme para ficar completamente imerso naquele mundo de fantasia e bizarrices.

Todos os personagens são extremamente cativantes e você sente até por aqueles que mal aparecem durante o filme.

A direção dos atores está igualmente incrível e, pros mais sensíveis, prepare-se para algumas lágrimas marotas no canto do olho.

[Comentário: Camila Oka]

O vilão Barron é um ponto negativo!

Não me entendam mal, o Samuel L. Jackson é um excelente ator e não foi diferente nesse filme. A atuação é ótima, mas o personagem é ruim.

Por ser um filme de fantasia em que o bem enfrenta o mal, era de se esperar um vilão desprezível. Um vilão sedento por sangue, que não teria um pingo de bondade.

Mas o Barron é só um… bundão!

Ele demora a ser um personagem constante na história e são várias as piadas que ele faz. Começa engraçado. Mas no final fiquei “é isso? só isso?”.

Quem cresceu com Voldemort, Feiticeira Branca e Conde Olaf não se contenta com um vilão meia-boca. É uma fantasia, me dê puro desprezo, desgraça e caos! É muito a se pedir?

[Comentário: Gabriela Ornellas]

Filme para toda família ver!

Tem fantasia, monstros, aventuras e magia!

É uma mistura de história, fatos quase-reais e dramas gostosos de assistir.

É um filme emocionante, engraçado, inteligente e com uma trama muito cativante.

Você pode até ir ao cinema pelo seu filho, sobrinho ou afilhado, mas vai acabar saindo apaixonado no fim do filme!

[Comentário: Camila Oka]

Sensação de prazer ao terminar o filme!

Sabe aquela sensação de que foi um dinheiro muito bem investido? Então, essa sensação é tão forte que dá vontade de ir de novo!

Então o que está esperando? Corre pro cinema!

Pra quem leu o livro, a dica é enxergar o filme pelo filme (sempre).

Ah, e esse filme tá tão incrível, que é surpreendente que Johnny Depp não está nele, ou está? Fica aí o mistério.

O que posso adiantar é que tem easter eggs, fiquem atentos!

[Comentário: Camila Oka]

Leia mais sobre CinemaTim Burton

Compartilhe: