Escolha uma Página

IT é uma das obras mais aclamadas de Stephen king. Em 90 ganhou uma versão de 3hrs e durante muitos anos um Remake foi especulado, mas IT é realmente um livro difícil de ser adaptado, acredito ser pela linha tênue entre a história e a “bizarrice” (Sim, It é muito bizarro e o filme não tem nem 10% do que o livro é!). Contudo em 2017, quando Andy Muschietii teve a coragem de levar novamente essa obra para as telas, sabíamos que seria incrível.

O Capítulo 1 de 2017, nos apresenta os Losers, Pennywise e toda maldição que Derry representa. Por mais que pareça leve à alguns olhos, o terror está no psicológico, em saber que “aquilo” vive no lugar, nos sonhos e nos medos de cada um.

O Capítulo 2, nos apresenta os Losers adultos, 27 anos após os eventos do longa de 2017. Eles precisam honrar o juramento que fizeram, afinal “a coisa” retornou e clama por eles… Mas nem todos aguentarão as lembranças do que deixaram pra trás… Eles nem lembravam mais de Derry, até Mike ligar, convocando-os. Cicatrizes (literalmente), lembranças… Tudo vem à tona!

Com 2h45 o longa pode soar cansativo, longo (literalmente) e Bizarro… mas esse é o ponto: IT É ASSIM! Minimamente é necessário conhecer a essência da obra para ententer as nuances do filme,  que dessa vez, trabalha os traumas vividos 27 anos antes e suas consequências.

O elenco adulto, escolhido é perfeito (salvo exceção). É dificil ver tamanha igualdade em trejeitos e semelhanças entre os adultos e as crianças quando vemos um mesmo filme ou alguma sequência como a retratada neste . E difícil destacar alguém, mas é impossível não falar de Bill Harder (Ritchie), a paixão por estar nesse filme é visível e a entrega dele para com o personagem é brilhante.  James Ransone como Eddie é um show a parte e assim como Jack Dylan, acaba por ser o alívio cômico (se é que podemos ter isso nesse filme).  James McAvoy, Jay Ryan e Isaiah Mustafa Complementam, sendo fundamentais na condução da trama. Jessica Chastain é OK, sendo o elo dos Losers, não consegue passar a emoção necessária, sendo (para mim) uma das escolhas menos acertivas do elenco.

A fotografia e a trilha sonora complementam a proposta, apresentando tons pastéis quando passado e cores vivas e elétricas que demosntram bem algum tipo de alucinação ou confusão mental (que acreditam estar passando) quando atual.

Ainda mais assustador, ainda mais sangrento, Ainda mais emocional, It Capítulo 2, é um misto de agressividade e nostalgia e Andy consegue transitar com maestria entre ambos captando a real essência do que o livro propôe: o verdadeiro sentido da amizade.

IT CAPÍTULO 2 estreia dia 5 de setembro nos cinemas.