O Caso Rafinha Bastos x Wanessa Camargo está dando o que falar… Pelo menos aos que têm coragem para falar. Vi esta semana alguns comentários e procurei ler um pouquinho sobre o assunto, porque, confesso, não acompanho o CQC ou nenhum outro programa que segue o novo perfil do humor brasileiro. Achei uma barbárie o que o Rafinha Bastos falou, e nem ousem dizer que estou sendo tão preconceituosa quanto nosso querido humorista, porque nem fã de Wanessa Camargo ou afins eu sou. A frase dita por Rafinha no programa do dia 19 repercutiu muito mais do que ele mesmo esperava, rendeu afastamento do programa nesta semana, tristezas e declarações de muitos famosos que, acima de tudo, também são seres humanos e possuem seus valores a zelar.

Para os que, assim como eu, não estavam sabendo do problema, Rafinha disse no CQC, após uma declaração de Marcelo Tas sobre a cantora Wanessa Camargo estar “bonitinha grávida” a seguinte frase: “Eu comeria a Wanessa e o bebê junto”.
Isso mesmo, o humor chegou nesse nível aqui no Brasil. Como se não bastasse a frase infeliz do humorista,  Rafinha se manteve fiel ao seu pensamento indiscreto, machista e totalmente sem classe. Fez comentários sarcásticos sobre a indignação do povo em seu twitter e até hoje acha que a piada pode render bons frutos.
O ex-jogador Ronaldo “o fenômeno” e sua esposa Bia Antony chegaram a reclamar com a direção da Bandeirantes sobre o evento polêmico. Para os que não entendem o que os dois têm a ver com a história, Ronaldo é amigo pessoal e sócio de Marco Buaiz, marido da cantora, que, por sinal, está tentando abrir um processo judicial contra Rafinha.
Marcelo Tas e Marco Luque, parceiros de Rafinha no CQC declararam oposição ao comentário do amigo e em consequência à grande polêmica gerada, a Bandeirantes optou por afastar o humorista esta semana do programa. Durante a exibição do CQC, Rafinha postou em seu twitter “Que noite triste pra mim” com link para três fotos, em que aparece com duas mulheres de lingerie. Numa das imagens, se vê ao fundo um televisor com o CQC.
É minha gente, esse é o nível indiscreto, preconceituoso e totalmente sem graça do humor de Rafinha Bastos. Esta não é a primeira vez que Rafinha expões seus idiotas pensamentos, da última vez ele disse que “uma mulher feia estuprada deveria dar graças a Deus, por que isso, para ela, não foi um crime, e sim uma oportunidade”.
Rafinha é conhecido pelo jeito expansivo que possui, comenta verbalmente tudo o que quer, da forma que está na sua cabeça, não possui pudores e está buscando uma notoriedade muito acima da que possui atualmente. O The New York Times deu ao humorista o título de “mais influente” do Twitter. Se este é o tipo de influência que a população brasileira está tendo, sinto lhes informar que este país não terá solução realmente.
Devemos nos revoltar contra os temas que somos contrários, devemos dizer o que pensamos e buscar um mundo melhor. Se somos pessoas públicas, devemos abrir caminho para o bem comum e para a convivência através do respeito e da manutenção dos valores de nossa sociedade. E não agir de forma impulsiva e infantil como Rafinha agiu e age comumente. Suas palavras são lixos jogados em cima de nossos valores. Seus pensamentos e sua exposição ferem todos os outros humoristas que buscam trabalhar para levar sorrisos aos brasileiros.
Uma lástima o que está acontecendo em nosso país, um lástima ainda existirem pessoas com esse tipo de atitude e pensamento. Uma lástima termos Rafinha Bastos como cidadão brasileiro. Se existe uma personificação correta para o termo “vergonha alheia”, seria através da imagem de Rafinha Bastos.
Veja também – Vídeo publicado hoje por Rafinha Bastos ironizando (ainda mais) a piada que fez com Wanessa Camargo.
Compartilhe: