Vide as tendências atuais de livros, jornais e revistas digitalizados e comercializados neste formato, parece que as HQ´s também devem começar a passar pelo processo de “modernização”. Neste ano a Marvel lançou o Marvel Global Comics, um aplicativo de vendas de revistas em quadrinhos digitais, por enquanto, apenas compatível com o iOS e com tradução para diversos idiomas – inclusive o português.

Sobre o aplicativo e informações mais detalhadas, pretendo escrever depois sobre isso porque recentemente saiu esta matéria dizendo que num futuro muito próximo a Marvel tende a substituir (sim, SUBSTITUIR) as publicações de papel em definitivo pelas digitais. A justificativa seria a maximização dos lucros, já que não teria que se preocupar com os estoques não vendidos, além do constante aumento das vendas das versões digitais. Além disso, segundo a Marvel, a tendência é que os leitores passem a preferir as versões digitais pelo simples fato de sua praticidade – será possível comprar e ler em questão de minutos e você depois não precisa se preocupar em guardar caso não tenha mais espaço em casa.

Ok, eu concordo com tudo isso. Há cerca de um ano escrevi sobre esse dilema aqui, uma vez que disponho de pouco espaço em casa pra mais livros, revistas, HQ´s e etc. E sim, guardar esse monte de coisa em casa pode começar a ficar bastante incômodo. Mas e aquele cheiro de revista nova, onde fica? Revista nova e velha (que convenhamos, depois de um tempo começa a não ser tão agradável quanto as novas mas contém charme mesmo assim). E o prazer de folhear um gibi e ver as cores, as letras, LER AS HISTÓRIAS???

Gibis

Assim como eu disse no post dos e-readers, eu reforço que de forma alguma posso viver sem tecnologia, sem modernidade e essas coisas todas. Acho a ideia de livros e revistas digitais maravilhosa e útil. O que me assustou nestas últimas matérias – e creio que boa parte de vocês talvez tenha se chocado um pouco talvez – foi a intenção da Marvel de SUBSTITUIR as HQ´s tradicionais, de papel pelas versões digitais. Ou seja, num futuro muito próximo, não teremos mais as versões físicas disponíveis ou as teremos em quantidade muito escassa.

Entendo as intenções da Marvel e na visão de uma empresa, não podemos simplesmente condenar a sua meta de lucrar e ganhar dinheiro, afinal, são pra isso que elas servem por mais românticos que sejam seus princípios. Mas não concordo com o fato de simplesmente tornarem as revistas de papel extintas. Será que não seria possível, aceitando o argumento da editora de que as vendas online estão maiores do que as revistas físicas (coisa que eu particularmente não acredito porque o público que lê quadrinhos é extremamente fiel e tradicional e não se entregaria assim tão fácil às versões online), apenas diminuir a distribuição das revistas de papel ao invés de simplesmente acabar com elas?

Enquanto esperamos pra ver o que acontece, será que nós, fãs das revistinhas de papel de jornal conseguimos visualizar um futuro em que só será possível folhear uma HQ através de uma tela? Ou não poder sentir o cheiro das páginas (pode soar meio doentio, mas eu ADORO cheiro de gibi)? Ou não ter mais aquela emoção de ir até a banca comprar o último número daquela história preferida? Talvez quem sentiria menos os impactos seriam Stuarts da vida real (donos das lojas de HQ´s), já que apesar de não ter mais números novos seria um ponto de peregrinação dos leitores atrás de números antigos e raros que passarão a fazer parte da história da cultura pop – e mesmo assim por tempo  determinado, uma vez que deve chegar um momento em que não haverá mais revista física.

THE BIG BANG THEORY

Eu não concordo com você Marvel. Apesar de estarmos em pleno 2014, para algumas coisas a tecnologia ainda não é tudo.

Compartilhe: