A terceira temporada de Homeland começa e termina em pontos bem diferentes da história. Eu demorei para terminar de assistir a terceira temporada porque surgiram alguns contratempos de séries e compromissos no meio da história, mas agora eu terminei e posso dizer que, foi bom prolongar a espera. O final da terceira temporada me deixou um tanto quanto desnorteada, Brody, Claire, Sal, todo mundo com rumos diferentes, todo mundo saiu da zona de conforto e a CIA, bom, essa nem preciso dizer do quão insatisfeita fiquei né? A CIA se prova, a cada seriado, a cada filme, a cada produção, uma das instituições mais sem escrúpulos do mundo, e o pior que as produções são americanas. Isso me deixa mais encucada ainda sobre a perfeição de suas ações ao redor do mundo.

Para completar, Claire está grávida, sua vida com a bipolaridade já não é das melhores, ainda colocaram uma gravidez de um ex-fuzileiro-matador-traidor no meio do pacote, a menina está completamente pancada nessa temporada. Além de pancada, claro, Claire começa a terceira temporada desacreditada por todos, julgada pela CIA – tudo bem que depois declara-se que tudo não passava de um super plano de Sal para aliar Javadi (um dos cabeças da força revolucionária do Teerã) – mas mesmo assim, para nós, fãs da série, foi completamente bizarro acompanhar esse plano sem saber de nada.

Homeland Brody

Achei o ponto alto da temporada quando Brody consegue realizar o plano da CIA, mas chorei, confesso, quando ele foi enforcado em praça pública a mando de Javadi. Não imaginei que Claire não ficaria com ele no final das contas, fiquei completamente decepcionada – as vezes preciso relembrar que esta não é uma série de romance e sim um drama real sobre uma situação bem “escrota” que rola entre os Estados Unidos e o Oriente. A dor da perda de Brody foi mais ou menos a dor da perda de milhões de famílias, maridos, esposas, crianças, todos morrem nessa luta sem fim e sem fundamento. A série nos faz pensar sobre o que é prioridade nessa questão de trabalho, família e religião. As coisas não deveriam se chocar, elas deveriam se unir para sermos um povo bom, feliz e tranquilo. Enfim, a terceira temporada me apresentou diversas reflexões, me deixou muito mais ansiosa para a quarta temporada e muito mais agoniada com essa guerra maldita que não acaba nunca. See you Homeland.

Compartilhe: