Hoje eu quero voltar sozinho

-por , em 20/04 -
Hoje eu quero voltar sozinho

Olá, coxinhos!!! Querem aproveitar este restinho de feriado, mas ainda não sabem como? Uma boa pedida é o cinema! E eu tenho um filme para indicar para vocês. Assisti este o filme no sábado, mas gostei tanto do filme, que achei legal indicar para vocês!!! Pessoas lindas do meu coração! Já ouviram falar do “Hoje eu quero voltar sozinho”? Não?! Então vem comigo, que eu vou contar um pouco mais dele para vocês, e é claro, sem spoilers, afinal de contas, não posso tirar a graça do filme de vocês!

Este é o um filme brasileiro, dirigido por Daniel Ribeiro, um diretor relativamente novo, mas já muito premiado, e estrelado por três adolescentes: Tess Amorim,  Ghilherme Lobo e Fábio Audi. Aqui no Brasil, o filme estreou no dia 10 de abril, mas sua primeira exibição foi em fevereiro, no Festival de Berlim, que escolheu este e mais outro filme, para representar o Brasil no festival e também o longa fora vencedor do prêmio Fipresci concedido pela Federação dos Críticos de Cinema. É… Não é fraco, não! Além de ser uma continuação de um curta lançado em 2010 com o título de “Eu não quero voltar sozinho”, do mesmo diretor.

Mas, apesar de todos os prêmios e especificações citadas, por que eu indicaria este filme? Porque, simplesmente, é a coisa mais fofa que eu já vi! Sabe aquele tipo de filme que você sai do cinema pensando “quando será que vai sair DVD/Blu-ray porque eu quero comprar”? Foi assim que saí do cinema. O longa (e o curta) retrata a vida cotidiana de Giovana (Tess Amorim) e Léo (Ghilherme Lobo), que é cego, e como ela é abalada com a chegada de Gabriel (Fábio Audi). É a descoberta do valor das relações de amizade, da descoberta do amor, da sexualidade, de ser adolescente, enfim…

Pelo curta, dá para perceber que a história aborda homossexualidade, mas esta abordagem é feita de uma maneira tão singela, que não tem como não ter outra sensação que não seja estar diante de uma coisa bonita, tamanho é o “carinho” com que é retratado tudo. Desde o início, o reconhecimento, a percepção e a aceitação. Foi tão bacana a experiência de assistir ao filme que, ao decorrer da trama, uma moça se emocionou e até falou alto “Ai que lindo! Acho que vou chorar!”, arrancando risadas de todo cinema.

Além dos conflitos de ser adolescente e cego, Léo também tem que aguentar a barra de uma mãe super protetora que, de certa forma o sufoca, tamanho são os cuidados dispendidos ao garoto. Não é nada fácil aguentar tudo isso. Mas nada como uma pequena ajuda de seus amigos, para superar tudo isso.

Com atuações muito bem feitas pelo trio (admito que me encantei completamente pela Giovana), o trio nos conquistas com seus sabores e dissabores do ser adolescente. E, em se tratando de atuação, claro que ponto fortíssimo para atuação de Ghilherme Lobo, que executou muito bem seu papel e o Fábio Audi que deu o suporte necessário para que transparecesse a doçura que foi a descoberta de ambos.

Gabriel, Giovana e Léo - Hoje eu quero voltar sozinho

Ficou curioso (a)?! Aproveite o seu restinho de feriado e vá conferir “Hoje eu quero voltar sozinho” e se encante com a doçura que foi esse filme! Recomendadíssimo!!! Até mais, pessoas!!!

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você