*SPOILER ALERT* E chega ao fim a trilogia adaptada do livro O Hobbit, de Tolkien, trazendo tristeza aos nossos corações nerds apaixonados pela Terra Média e seus habitantes ávidos por batalhas e conquistas. Na minha opinião, Peter Jackson conseguiu realizar uma proeza bem rara nos cinemas atuais, agradou fãs e não conhecedores do mundo de Tokien, difícil isso né? Claro que muitas coisas foram modificadas da história original do Hobbit, mas acho que as partes criadas para fazer a junção do roteiro do filme fizeram muito sentido, tanto que nem dá para reclamar das coisas!

O QUE ACHEI RUIM NO FILME: Acho que nada foi efetivamente ruim, eu poderia até cavar algumas reclamações, mas não seria correto, já que fiquei encantada em todas as vezes que assisti (sim, eu já assisti mais de uma vez, em situações diferentes e não me arrependo disso, rs). Tá, pensando aqui com muita calma, acho que posso reclamar que o contexto da história foi bem pequeno, já que o filme se concentrou na batalha dos cinco exércitos mesmo, mas, como o título do filme já propõe essa história da batalha, nem disso consigo reclamar. 🙂 Assista e seja feliz nerd, se por acaso tiver alguma reclamação, comente aqui embaixo e abra meus horizontes, kkkkk!

o hobbit one last time

O QUE ACHEI BOM NO FILME: No campo mediano da análise do filme, ficou a história do dragão! Quem leu o livro sabia exatamente que o dragão nem era o personagem principal do enredo, que ele seria morto por Bard logo antes da batalha, mas mesmo assim, Peter Jackson deixou uma legião de “novos fãs” (aqueles que só assistiram o filme), aguardando ansiosamente mais de um ano para ver o dragão e sua raiva pela Cidade do Lago. Só que essa parte durou menos de cinco minutos no começo do filme, tanto que, depois que o dragão morre, a cena vai direto para a montanha e é aí que aparece o nome do terceiro filme. Vi algumas pessoas bem perdidas com relação à função do dragão na história e, como pensar nos “não aficionados por Tolkien” é uma forma diferente de ver e compreender o filme, achei que rolou uma falha. Essa cena inicial, da morte do dragão, poderia tranquilamente ter terminado o segundo filme! Não precisava ter sido deixado para o terceiro.

trilogia hobbit

O QUE ACHEI ÓTIMO NO FILME: Tudo! kkkkkk Fã maluco é assim, assiste quinhentas vezes o mesmo filme, em menos de dois dias, tem trocentas coisas para observar, mas continua achando que foi uma das melhores experiências de sua vida! Tolkien é sempre Tolkien e, adaptado para os cinemas pelas mãos do Peter Jackson, é mais encantador ainda. A fotografia da Nova Zelândia torna o contexto mais incrível, a tecnologia utilizada por Peter Jackson para filmar, surpreende qualquer um (ainda mais quando se assiste em IMAX, experiência inenarrável), os atores se entregam de uma forma que, na nossa mente, eles são verdadeiramente aqueles personagens e, as batalhas – gente, que batalhas.

No resumo da ópera, dou muitas estrelas douradas para O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos, achei de uma leveza impressionante, ainda mais por se tratar de um filme com batalhas do começo ao fim. Nos deixou mais apaixonados ainda por Tolkien e seu mundo, o Condado é sempre o Condado, quando Bilbo chega em casa, acho que nos sentimos chegando junto com ele. Sabe? Como se também fosse nosso lar? Aliás, queremos mais Tolkien nos cinemas! Assista assim que estrear porque vale muito a pena, em breve teremos mais posts aqui para vocês! Beijos!