Escolha uma Página

FRASE DE INÍCIO DE POST

No dia 22 de setembro, o Condado celebrava o aniversário de Bilbo Bolseiro. Não muito tempo depois, um novo aniversário chegava a pequena cidade dos Hobbits. Frodo nasceu no mesmo dia do tio, eternizando a data. A partir de 1978, o dia de hoje ficou conhecido como Hobbit Day e a semana é chamada de Tolkien Week (ou Semana de Tolkien, em português).

Para os fãs de O Senhor dos Anéis, o dia é celebrado com homenagens e lembranças das histórias de Tolkien. Pensando nisso, separamos algumas da cenas mais memoráveis dos filmes de ambas as franquias.

Gandalf x Necromancer

Vamos começar com o pé direito, falando de um dos mais épicos conflitos da Terra Média. Em um de seus muitos embates, Gandalf vai a Dol Guldur descobrir a identidade do Necromancer. Suas suspeitas se confirmam e o próprio Senhor das Sombras aparece. O duelo entre Sauron e Gandalf traz uma série de magia, energia e poder. Sem esquecer a lendária cena de Sauron emergindo do olho que conjurava. 

O conselho de Elrond

É provável que você tenha chorado nesta cena, ou ao menos coçado o olho. A formação do Conselho de Elrond, em Valfenda, reuniu boa parte de nossos heróis favoritos. Lá estavam Elrond, Glóin e Gimli, Glorfindel e Arwen, Legolas,  Aragorn, Boromir , Gandalf e Bilbo. Escondidos, mas prestes a se juntar ao grupo, estavam Samwise, Meriadoc e Peregrin.

Após muito se discutir, ficou decidido o grupo que levaria o anel para Mordor, buscando destruí-lo. Mal sabíamos que começaria ali a grande jornada de O Senhor dos Anéis. 

O ataque dos Nazgul

Não podemos esquecer o terror de Peter Jackson nos filmes. E ele fica bem claro durante o ataque dos Nazgul em meio a jornada do grupo rumo a Mordor. Frodo, Sam, Pippin e Merry são surpreendidos pelas sombras e quase perdem a vida. Em uma das entradas mais triunfais e memoráveis da franquia, Aragorn salva o dia e evita uma tragédia. 

Não podemos esquecer que Frodo é esfaqueado por uma lâmina envenenada. O hobbit fica entre a vida e a morte, mas a determinação do herdeiro de Isildur salva sua vida (mais uma vez). 

Bilbo e Smaug

O gigantesco dragão que dá nome ao segundo filme da trilogia O Hobbit marcou presença com a voz de Benedict Cumberbatch. A criatura enigmática habitava a Montanha Solitária, cuidando do ouro dos anões. Erebor se tornou um reino abandonado e amaldiçoado graças a presença da criatura. 

Em meio a sua jornada com os anões, Bilbo acaba frente a frente com Smaug. Mas ao invés de sair cuspindo fogo, o dragão resolve conversar e a voz icônica de Cumberbatch reverbera. O diálogo inteligente estabelecido, compõe uma das melhores cenas de O Hobbit. Quando Bilbo resolve usar o poder do anel para fincar invisível, começa a disputa que culmina na libertação do dragão. 

Gandalf e o Balrog

Mais uma cena de molhar os olhos e acelerar o coração. Ficou difícil acreditar que seria o fim de Gandalf após a última luz do chicote apagar.

Enquanto caminhavam pelas minas de Moria, o grupo de hobbits se deparou com a criatura das sombras. Todos os Balrogs foram destruídos no final da Primeira Era, mas um sobreviveu. Perseguindo o grupo e prestes a destruí-los, a criatura chega a uma ponte onde é confrontado por Gandalf. O mago se sacrifica para que a Sociedade do Anel consiga escapar. Momentos depois ele seria trago de volta a vida pelos Valar, mas até então não sabíamos. 

O desespero de Frodo, Pippin e Mery foi de cortar o coração, além da tristeza nos olhos de Aragorn. 

As mortes de Thorin e Boromir

Separadas por anos, as mortes de Thorin Escudo de Carvalho e Boromir chocaram a todos. Os heróis, por assim dizer, sacrificaram suas vidas em suas jornadas pessoais. Ambos os personagens pereceram nas mãos de criaturas seguidoras das trevas. 

Thorin tinha como objetivo pessoal derrotar Azog, o Profano. O orc pálido destruiu inúmeras vidas ao longo da história e encontrou seu destino nas mãos de Thorin. Antes de ir, porém, cessou a vida do Hobbit. Bilbo chega para salvá-lo, mas os ferimentos são graves demais. 

A obsessão de Boromir pelo anel foi crescendo exponencialmente. O irmão de Faramir foi sendo consumido pelas trevas e sua morte veio pelas mãos de Uruk-hai. A flecha deu fim a vida de um dos membros da Sociedade do Anel. 

A queda de Isengard

Uma das cenas que dá vontade de aplaudir de pé sempre que a vemos. Em meio a Batalha do Anel, os aliados de Sauron ressurgem das terras escuras. Liderados por Saruman, as criaturas circundavam a torre de Isengard, partindo dali para derrotar o mundo. O que o mago não contava, porém, era com a reação do povo que habitava as florestas da região. 

Os gigantescos Ents, cansados de perder sua família, decidem se unir contra Saruman. Metade homens, metade árvores, os guardiões da floresta tiram forças do chão e marcham rumo a Isengard. Carregando Pippin e Merry nos ombros, os Ents derrubam a fortaleza e o exército de Saruman.

A morte de Smaug

Após a cena épica entre Bilbo e Smaug, o dragão se liberta das minas e parte rumo ao vilarejo. Antes de escapar, porém, Bilbo percebe uma falha em sua armadura impenetrável. Quem a também percebe é Bard, morador da Cidade do Lago de Esgaroth. Quando a mesma é quase destruída pelos Orcs, a chegada de Smaug desperta o herói de dentro do Capitão. 

Após destruir inúmeras casas, sem ser ferido graças a armadura, Smaug encontra seu fim por um arpão lançado por Bard. A Flecha Negra, herdada de sua família, o transforma na pessoa capaz de, enfim, derrotar o dragão.

Sam e Frodo em Mordor

Não há cena mais bonita do que a o encerramento da trajetória entre Sam e Frodo. Após percorrerem um longo caminho, eles chegam a Montanha da Perdição. Em um último desafio, Frodo sente a dificuldade de entregar o anel. Mais uma vez temos o heroísmo de Sam, que impede a morte do amigo.

Antes de embarcar no momento final, há um breve discurso entre os dois. Nele, Frodo menciona ser o fim de tudo, o que realmente é.

  

A coroação de Aragorn

Sabemos que ainda há muito o que falar sobre as franquias de Tolkien, mas se mencionássemos todos os momentos, não haveria fim! E nada melhor do que encerrar essa lista com o fim de tudo.

Muito foi feito, perdido e construído com a peregrinação da Sociedade do Anel. Com a derrota de Sauron, a tranquilidade enfim reinou na Terra Média. O rei escolhido foi Aragorn, que pela primeira vez desde Isildur, unificou os reinos. Em sua coroação, liderada por Gandalf, ele entoou o que ficaria conhecida como a canção de Aragorn. 

Neste momento, todo o reino se curva perante os quatro Hobbits, incluindo o novo rei. É uma maneira belíssima de encerrar o fim de uma era.