20 ANOS APÓS O PRIMEIRO LIVRO, O MUNDO MÁGICO DE HARRY POTTER ESTÁ MAIS FORTE DO QUE NUNCA!

Hoje, dia 26 de junho de 2017, comemoramos o 20º aniversário da saga Harry Potter. Exatamente no dia 26 de junho de 1997 estava sendo lançado no Reino Unido o livro Harry Potter e a Pedra Filosofal, sem nem sonhar que seria o início de um fenômeno.

A história já é conhecida entre os fãs: a autora J.K. Rowling teve a ideia de toda a história se baseando em acontecimentos de sua vida naquela época. Em 1990 a escritora se mudou para Manchester e passou uma semana buscando apartamentos na cidade, até que retornou para Londres de trem e foi lá que surgiram os primeiros personagens: Rony, Nick Quase-sem-cabeça, Hagrid e Pirraça. Foi no trem também que ela já havia decidido que a história seria dividida em sete livros.

Depois de trabalhar no primeiro livro por seis anos – o que incluiu escrever partes da história em guardanapos de papel, ver a terrível morte de sua mãe no fim de 1990 e passar por uma terrível depressão – a autora finalizou o projeto em 1996 e passou a buscar editoras para publicá-lo. Nada menos do que doze editoras rejeitaram o livro (ah se arrependimento matasse…), até que a (então) pequena e desconhecida Bloomsbury aceitou publicar o projeto graças a um pedido pessoal da filha de um editor da empresa, que ficou encantada com os capítulos iniciais enviados e quis saber como tudo terminaria. O resto é história.

Após 7 livros e 8 filmes na saga principal; uma peça de teatro e mais um livro autorizados pela autora e uma nova saga de 5 filmes se passando no mesmo universo, não há como negar: Harry Potter é um fenômeno do século XXI. Claro, nem todos gostam da história, dos personagens ou da ideia da trama, mas não há como negar que o Mundo Mágico conquistou o mundo e angariou fãs fervorosos, que até hoje se juntam para criar fanfics, vídeos, filmes independentes ou paródias das histórias. Não tem como fechar os olhos para o fato de Harry Potter ter chegado ao nível de fenômeno de O Senhor dos Anéis ou Star Wars. Mas existe um motivo para existir tantos potterheads ou foi pura sorte da J.K. (e da Warner Bros., claro)?

Existem diversos fatores que são dados como responsáveis pela sucesso tido pela saga. O principal deles talvez seja todas as coisas maravilhosas que a autora consegue ensinar para as crianças e adolescentes mesmo sem eles saberem que estão aprendendo. TODOS os livros de Harry Potter falam de uma maneira profunda e sincera sobre amizade, amores (românticos ou não), preconceito, maturidade, problemas pessoais e muito mais. Afinal, Harry é um garoto órfão constantemente maltratado pelos tios, com uma vida dura e sem esperança, mas de repente ele descobre que é um bruxo famoso e conhece novos e maravilhosos amigos, que ele passa a ter como sua família. Pode parecer um cliché de superação, mas como toda a história se desenrola em 7 livros, tudo fica BEM distante de ser cliché. As relações de Harry com o mundo são sinceras: ele não é um protagonista perfeito, irritantemente bonzinho e sem nenhuma crise. Principalmente na adolescência, Harry se torna até insuportável, sendo muitas vezes injusto com seu melhor amigo, Rony, ou seu mentor e muitas vezes figura paterna, Dumbledore. Muitas passagens nos ajudam a nos identificar muito com o personagem e suas histórias, por mais fantasiosas que elas pareçam.

Aliás, o crescimento dos personagens também é um fator muito importante para a identificação. Na grande maioria de séries de livros ou filmes que assistimos, o personagem sempre se mantém mais ou menos na mesma idade, ou mesmo os protagonistas acabam mudando. Em Harry Potter, todas as crianças da escola cresceram com quem leu os livros. E não só as crianças leitoras se identificaram com isso: quem já era adulto ao ler o primeiro livro também foi envelhecendo ao passar dos anos letivos em Hogwarts, e lembrar de como era no início sempre é muito nostálgico e edificante. Isso se tornou ainda mais forte com os filmes, onde os atores cresceram na mesma proporção dos personagens e criamos ainda mais a sensação de veracidade em cada novo Harry Potter que víamos nos cinemas. Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint inclusive de maneira emocionada sobre isso no último dia de gravação de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2. Confira:

Além do crescimento na infância e adolescência, a saga também conta com outros temas delicados, como a morte, o bullying, o preconceito e a inveja. Nascidos-trouxa sofrem repressão por certos colegas no colégio e a vontade de Voldemort de dominar o mundo bruxo e eliminar todos os “sangues-ruim” lembra muito a ideia da raça pura do nazismo. Além disso, a morte é uma questão central em diversas passagens da trama, já começando com a morte dos pais de Harry quando ele tinha apenas um ano e passando por aliados, heróis e vilões. A maneira com que Harry e os outros personagens lidam com tudo sempre é muito honesta, trazendo no fundo lições importantes pra quem lê ou assiste a história.

É claro que tivemos muitos outros fatores que contribuíram para o sucesso de Harry Potter: a evolução de maturidade em cada livro (Pedra Filosofal é bastante lúdico e “feliz” enquanto Relíquias da Morte é extremamente pesado e complexo), o universo INCRÍVEL e muito completo criado pela autora e a adaptação bem feita dos livros para o cinema. Aliás, nas telonas o bruxo também tem marcou sua presença, popularizando o (questionável) hábito de dividir um filme final em duas partes; trazendo atores que, mesmo alguns não tendo atingido o mesmo nível de sucesso em outros projetos, foram perfeitos para seus personagens e serão lembrados pra sempre por todos os fãs; e colocando os 8 filmes da saga na lista das 50 maiores bilheterias de todos os tempos. Cada première de um novo Harry Potter tinha seus ingressos esgotados MUITO rápido, o público adorava fazer cosplay no dia da estréia e as semanas seguintes mantinham o bruxo no topo dos cinemas mundiais.

Enfim, eu posso ficar horas escrevendo sobre a maneira deliciosa de escrever da J.K., das divisões inteligentes de histórias, do fato dos livros de Harry Potter serem considerados responsáveis por incentivar as crianças e adolescentes a voltarem a ler no Reino Unido (e no mundo todo). Posso falar das trilhas sonoras magistrais dos filmes, das cenas emocionantes e bem feitas (mas como potterhead eu poderia falar também das cenas dos livros cortadas dos filmes que doem o coração). Mas uma coisa é fato: Harry Potter é um fenômeno que não tem previsão de acabar. A autora ama continuar expandindo o universo, com textos curtos inéditos no site Pottermore contando a vida dos personagens após o fim dos livros e filmes; e também escrevendo os roteiros da saga Animais Fantásticos, que já chegou abalando e promete muito mais com os próximos 4 filmes. O chamado Mundo Mágico já tem uma área incrível e enorme em diversos parques de diversão espalhados pelo mundo (o Wizarding World of Harry Potter, nos parques da Universal), um musical-paródia (A Very Potter Musical), canais no Youtube dedicados exclusivamente à esse mundo (recomendo o Observatório Potter e O Expresso de Hogwarts), diversos vídeos e textos criando versões ou adicionando itens à história, enfim. Não há hora melhor para ser fã do bruxinho. Mesmo após 20 anos, todos os livros e filmes são MUITO atuais e valem a pena serem curtidos pela 100ª vez pelos fãs ou pela 1ª vez pra quem ainda não teve a oportunidade. Eu garanto que você não irá se arrepender!

Veja mais sobre Harry Potter, Livros e Filmes