GOD OF WAR | Por que Kratos não usa mais as Blades of Chaos?

GOD OF WAR | Por que Kratos não usa mais as Blades of Chaos?

GOD OF WAR NÃO É (SÓ) VIOLÊNCIA!

O novo God of War é com toda a certeza o game mais esperado por todos. O exclusivo de PlayStation 4 marca o retorno de Kratos, que dessa vez não estará sozinho, tendo a presença de seu filho Atreus e estará contando uma nova história em uma mitologia diferente, dessa vez situando-se na Mitologia Nórdica.

Em uma entrevista para o site Games Radar, Cory Barlog, diretor do novo God of War (que vai continuar diretamente a história vista no terceiro título da franquia), explicou porque Kratos não usa mais as Blades of Chaos, suas icônicas armas nos jogos passados.

“Nós estávamos experimentando várias armas diferentes, várias coisas diferentes. Acho que queríamos criar uma identidade porque para mim as Blades representam um tempo muito sombrio na vida de Kratos. Elas não são apenas uma arma para ele. São o símbolo de seu passado. As marcas de que alguém o traiu, que ele fez um mau negócio, que ele cometeu um erro. Poderosas, mas acho que também emocionalmente carregadas. Então acho que parte de ele querer seguir em frente é ser capaz de deixá-las para trás.”

No novo game que ainda está em desenvolvimento pela SCE Santa Monica, muitos anos se passaram desde que Kratos teve sua vingança contra os deuses do Olimpo. Com isso atrás dele, Kratos agora vive com seu filho no mundo dos deuses e monstros nórdicos.

Ele deve lutar para sobreviver e ensinar seu filho, Atreus, a fazer o mesmo. Um mentor e protetor para ele, que busca o respeito de seu pai, Kratos deve dominar a raiva que o impulsionou por muitos anos. Ele espera ensinar seu filho e reparar o seu passado. Nesta nova história, Kratos terá de enfrentar um novo panteão de criaturas, monstros e deuses.

God of War chega exclusivamente ao PlayStation 4 no início de 2018 e já está em pré-venda na PlayStation Store.

Veja mais sobre Games

Vinny Romanelli
por

Vinny Romanelli

Viciado em games, animes e action figures (NÃO-SÃO-BONECOS). Esse carioca da gema leva o Japão no coração. Quase um gibi ambulante, futuro marketeiro e chato quando chamam animes e mangás de "desenhos para crianças". See ya Space Cowboys!!!

Recomendamos para você