Existe pelo menos dois tipos (conhecidos e unidos) de fãs de Game of Thrones: aqueles que gostam de histórias medievais e todo o seu contexto e que, por isso, se apaixonaram pela série há quatro anos e aqueles que, por modismo, passaram a assistir e só elogiam a história quando alguma coisa de muito efeito acontece. Se você é o segundo tipo descrito anteriormente, saiba que não estou falando com você. O terceiro episódio da quarta temporada de Game of Thrones foi bem no estilinho que curto, uma passagem de tempo com conteúdo político suficiente para dar ritmo à história, acontecimentos que justificam ações dos personagens lá na frente. Uma delícia de assistir e de falar aqui no post para vocês.

Arya e sua história me encantarão sempre, independente do que apareça, do tamanho de sua participação no episódio, de qualquer coisa. Seu crescimento como personagem no contexto de Westeros é muito bom para que qualquer cena seja rejeitada! Aprendam fãs do modismo, o bom personagem é constituído de momentos assim, de história, de background. Personagens prontos não tem graça alguma. A passagem dela pelo vilarejo e sua conversa com aquele senhor no meio da estrada, em que ela “acredita” estar perto das terras de sua mãe é bem interessante, a personagem é cheia de profundidade mesmo.

arya

Margaery Tyrell em uma conversa com sua avó Lady Olenna se sentiu um pouquinho, só um pouquinho, amaldiçoada, já que dois, de seus dois maridos, morreram e eram completamente loucos. Considerando a inclinação da jovem senhora a casá-la novamente, vamos torcer para que seu novo pretendente não morra também, senão vai ser difícil ela encontrar alguém que a queira nos sete reinos!

Ah, e por falar em sete reinos, muito boas as cenas em que: Tyrion conversa com seu escudeiro, Tywin conversa com Oberyn e, politicamente, o convence a ser o terceiro juiz do julgamento de seu filho e, novo membro do conselho do Rei e aquela em que Jaime Lannister coloca para fora toda a sua raiva e rancor de um leão e, finalmente, se deita com a mulher louca pela qual ele é apaixonado – Cersei. Passagens ótimas para todos os personagens.

selvagens

Nada como assistir aos Selvagens loucos de ódio de Jon Snow e sua patota de corvos indo em direção à Muralha, prontos para uma nova batalha épica! Ansiosos para o episódio da briga? Já adianto a vocês que a batalha vai ser fantástica mesmo! Louca para ver Jon e sua queridinha selvagem frente a frente. Loucos para ver aqueles caras da Muralha dando algum valor ao nosso jovem herdeiro do Norte? Aliás, o que foi aquilo que Sam fez com sua namoradinha? De deixá-la em uma taberna para ajudar a cuidar de outros nenéns? Só eu vi que vai dar tudo errado?

daenerys

Uma pausa para falar da rainha de todos os condenados e todos os escravos, da filha da Tormenta, da mãe dos dragões, da queridíssima e ‘dyva’ Daenerys Targaryen! Um aplauso de pé para toda a sua cena que nem precisou de dragão para ser poderosa. Palavras firmes, sarcasmo, sutileza e sensibilidade, é assim que se forma uma rainha, aliás, como disse o próprio Tywin, é com sabedoria que um bom rei governa seu reino. Com seus conselheiros e guerreiros a postos, Daenerys se colocou para quem quisesse ver e ouvir. Uma verdadeira Targaryen soberana! Que mais 10 mil a sigam! Que mais 10 mil a coloquem no Trono de Ferro! 😉 Rumo ao quarto episódio que será emocionante para Daenerys e Jon Snow, nossos queridinhos mais queridinhos!

Compartilhe: