CHEGOU A HORA DE CONHECER A FEITICEIRA VERMELHA

A personagem Melisandre é interpretada na série Game of Thrones pela atriz holandesa Carice Van Houten, sendo considerada uma das mais belas mulheres do enredo e detentora de uma das tramas mais misteriosas.

Nós fãs sentimos por ela um misto de ódio e amor, afinal foi por culpa dela que a pequena Shireen morreu implorando por seus pais em uma das cenas mais chocantes do seriado, assim como também foi através dela que tivemos o alivio de ver Jon Snow voltar à vida depois de um ano sofrendo sem saber se ele voltaria mesmo não.

*lembro-lhes que temos apenas cinco livros disponíveis, sendo que seu ultimo exemplar terminou justamente na morte de Jon Snow, todo o enredo da série a partir daí é baseado apenas nos roteiros que a HBO combinou com o autor G. R. R. Martin; se os mesmos fatos serão exatamente iguais nos novos livros não temos como afirmar e resta-nos aguardar.

Essa confusão de sentimentos me fez querer conhecer melhor suas ações ao longo da trama, afinal na série muito pouco foi explorado da personagem… Sendo assim, esse perfil será uma mistura de ambos os universo: livros e série.

Não se sabe quem foram os pais de Melisande, pois ela ficou órfã ainda muito pequena; na infância era chamada “Melony” a mudança veio depois de ser consagrada como sacerdotisa do fogo; sabe-se que ela foi feita escrava e vendida através de leilão ao “Templo das Sombras” ainda muito jovem. *esse templo é dedicado ao “Deus das Chamas R’hllor”;

*Em algumas passagens ela se lembra com amargura do chamado “Lote Sete”, sendo esse o provável lote ao qual ela pertencia.

CURIOSIDADE 1: a adoração ao deus “R’hllor” é uma tradição religiosa original do continente Essos, existente há muitos séculos, não se sabe ao certo quando se iniciou seu culto, porem, grandes templos foram erguidos em sua homenagem, principalmente nas cidades livres de Pentos, Lys, Bravos, Selhorys e Volantis; tem como sede central o “Templo das Sombras” na grande ilha Asshai; outros tantos templos, de pequeno porte, se espalharam rapidamente pelo restante do continente; constantemente chamado de “O Senhor da Luz”, seu símbolo é um coração em chamas; dizem que ele trás consigo o calor e a vida, teoricamente dizendo, ele seria aquele que estaria do lado do “bem” ou que protegeria os “vivos”. Seus seguidores estão a muitos anos tentando arrebanhar devotos, não apenas em Essos, mais também no continente de Westeros. 

Melisandre “A Mulher Vermelha” de Asshai não aparece mais na trama após isso, nos deixando ansiosos para saber seu fim nessa trama tão intensa e amarrada de Martim. Aguardemos…

O templo ao qual Melisandre foi destinada fica na ilha de Asshai, sendo uma região portuária no famoso “Mar de Jade” no extremo leste de Essos e esta localizada as margens do “Rio Cinzas”; também é conhecida como a “Terra das Sombras” devido a suas construções serem feitas de material negro, gorduroso ao tato, dizem que as pedras parecem beber a luz do sol, tornando a cidade escura  e faz, com que a cidade, pareça eternamente nas sombras.

CURIOSIDADE 2: o Rio Cinza tem suas águas durante o dia, no tom de negro e a noite fosforescências verdes tomam conta da água: seus peixes são deformados e cegos; sendo assim, a população de Asshai tem medo de beber sua água e como conseqüência, acabam por importar água pura do continente de Essos, assim como alimentos, possua terra é infértil. A origem da cidade de Asshai se perdeu a milhares de anos atrás e nem mesmo o seu povo, chamados Asshai’i, sabem dizem quem a fundou; seus moradores afirmam que a cidade existe desde a criação do mundo e ficara lá ate o fim dele; seu território é tão grande que muitos dizem que caberiam as cidades de: Porto Real, Volantis, Qarth e Vilavelha juntas e ainda sobraria um “cadinho” de espaço, no entanto, sua população é pequena, sendo que de cada dez casas apenas uma tem gente morando. Trata-se de uma cidade mercante que atrai muitas negociações dentro do “Mar de Jade”; tem como principal matéria prima o “âmbar” e alguns juram que o “vidro de dragão” é comumente visto sendo negociado nas ruas; na região mais ao norte da ilha se encontra as ruas de Stygai, uma região cheia de segredos e mitos que ate mesmo os “Umbromantes” (*manipuladores de sombras e do fogo) não se atreve a ir; devido a sua origem tão antiga, muitos acreditam que os conhecimentos sobre dragões, a muito perdidos por Valíria, ainda se escondem em livros antigos do templo das sombras onde seus sacerdotes os mantêm em sigilo; os praticantes de magia exercem seus poderem abertamente nas ruas da cidade; a misteriosa personagem Quaithe também é nascida em Asshai; tem como crença um deus único chamado de “R’hllor”.

Melisandre comumente é chamada de “Mulher Vermelha” devido à cor ruiva muito intensa de seus cabelos; ela é uma bela mulher, tem a pele branca e sem qualquer mancha; esguia, alta e graciosa, tem seu rosto em forma de coração, sua voz tem imponência e um leve sotaque que a deixa com um ar exótico e atraente; olhos vermelhos e seios fartos; raramente é vista dormindo ou se alimentando; não sente frio, sendo assim sempre esta trajada com leves sedarias *mesmo na Muralha onde a neve esta constantemente caindo.

Com uma personalidade forte, consegue se destacar em meio aos homens com rapidez e se faz ser ouvida mesmo diante de um mundo onde as mulheres não têm muita voz; definida como uma mulher cheia de mistérios e encantos consegue manipular homens e mulheres através de sua aparência sedutora e empoderadora.

Ela não é citada em nenhum momento do primeiro livros “A Guerra dos Tronos”, entretanto, a partir do segundo volume “A Fúria dos Reis” ela é constantemente citada através de narrativas de outros personagens; no ultimo exemplar publicado ate o momento “A Dança dos Dragões”, ela ganha um único capitulo para chamar de seu, nos dando assim uma perspectiva através de seus olhos.

Ela foi enviada a Westeros logo depois do cometa vermelho riscar o céu; sua missão era converter o máximo de pessoas a religião do “Deus Vermelho”, porém, ela começou a ter visões nas chamas durante suas orações; que lhes mostrava que a profecia do Azor Ahai iria se concretizar em breve e era sua missão encontrá-lo nesse novo continente.

Mas o que é a profecia do Azor Ahai?

Nos lendários livros de Asshai existe um registro que descreve fatos ocorridos a mais ou menos oito mil anos atrás, durante o período chamado de a “Longa Noite”; nessa época a escuridão tomou conta do mundo e o “Grande Outro”, o deus de tudo que não tem vida comandava as trevas, trazendo destruição, morte e frio por onde se passa. Em síntese essa entidade seria o “deus do frio”, aquele que busca o fim, a morte e “talvez” a destruição completa da humanidade; (os “White Walker” seriam criaturas que servem a esse deus “O Grande Outro” e é por isso que personagens como Jon Snow chama os White Walkers de “Os Outros”; eles seriam criaturas vindas do frio a serviço desse grande deus do “mau”). A personagem chamada de a “Velha Ama”, conta a Bran Stark em diversas citações que “O Grande Outro”, irá um dia retornar e trazer a “noite eterna”, condenando os vivos a escuridão e a morte.

Na profecia diz que em meio a uma imensa devastação, surgiu um herói dentro da resistência humana; um guerreiro corajoso escolhido pelo deus R’hllor para manejando a “Espada Luminífera” e assim afastar a ameaça do “Grande Outro”, seu nome era Azor Ahai.

“Conhece a lenda sobre a forja de Luminífera? Vou contá-la. Era num tempo em que a escuridão caíra pesada, sobre o mundo. Para enfrentá-la, o herói tinha de ter uma lâmina de herói, ah, como nenhuma que já tivesse existido. E assim, durante trinta dias e trinta noites, Azor Ahai trabalhou sem dormir no templo, forjando uma lâmina nas fogueiras sagradas. Aquecer, martelar e dobrar, aquecer, martelar e dobrar, ah, sim, até a espada ficar pronta. Mas, quando a mergulhou na água para temperar o aço, ela se partiu em pedaços. Como era um herói, não era do seu feitio desistir (…), recomeçou. Da segunda vez levou cinqüenta dias e cinqüenta noites, e essa espada parecia ainda melhor do que a primeira. Azor Ahai capturou um leão, para temperar a lâmina mergulhando-a no coração vermelho da fera. Mas uma vez o aço se estilhaçou e se dividiu. Grande foi sua aflição e grande foi seu desgosto, pois sabia o que tinha de fazer. Trabalhou na terceira lâmina durante cem dias e cem noites e, enquanto ela brilhava incandescente, nas fogueiras sagradas, chamou a mulher. “Nissa Nissa”, disse-lhe, pois era esse o seu nome, “Desnude o peito, e fique sabendo que a amo mais do que a qualquer outra coisa no mundo”. Ela obedeceu, não faço idéia do por que, e Azor Ahai enfiou a espada fumegante no seu coração vivo. Diz-se que o grito de angústia e êxtase que ela soltou abriu uma fenda no rosto da lua, mas seu sangue, sua alma, sua força e sua coragem penetraram no aço. Esta é a lenda sobre a forja da Luminífera, a Espada Vermelha dos Heróis.” By Salladhor Saan.

George R. R. Martin

Pág 107. Capitulo Davos., Livro dois: A Fúria dos Reis.

CURIOSIDADE 3: em cada região do mundo de Got existe uma lenda sobre um herói que renascera e salvara o mundo novamente, como por exemplo no Norte com o “Ultimo Herói” ou no Sul com o “Príncipe Prometido” dentro do continente de Westeros, já em Essos temos ainda a região Vaes Dothrak com o “Garanhão Que Montara o Mundo” e essa do “Azor Ahai”; muitos fãs acreditam que todas essas lendas falam basicamente da mesma pessoa, alguém que será o divisor entre a vida e a morte.

 “Nos livros antigos de Asshai está escrito que chegará um dia, após um longo Verão, em que as estrelas sangrarão e o bafo frio da escuridão cairá pesado, sobre o mundo. Nessa hora de terror, um guerreiro retirará do fogo uma espada em chamas. E essa espada será a Luminífera, a Espada Vermelha dos Heróis, e aquele que a pegar será Azor Ahai renascido, e a escuridão fugirá perante ele.” By Melisandre.

George R. R. Martin

Pág 103 - Capitulo Davos., Livro dois: A Fúria dos Reis.

Será nesse momento que o novo Azor Ahai ira renascer em sal e fumaça, acordara os dragões de pedra e acendera a nova espada luminífera; se ele falhar em sua missão toda a vida se extinguira do mundo.

Partindo dessa premissa, Melisandre iniciou uma busca frenética pelo “Herói” que salvara o mundo e baseada nesses relatos ela deduziu que o escolhido seria o príncipe Stannis Baratheon. * digo príncipe por ele ser o irmão do Rei Robert, senhor dos Sete Reinos; ela acreditou que por Stannis viver em um local rodeado pelo mar e num castelo chamado de “Pedra do Dragão” ele teria quase todos os itens para ser o Azor Ahai renascido; na mente dela os demais itens da profecia viriam a se manifestar com o tempo.

Não se sabe ao certo como ela se apresentou a Stannis e o que exatamente fez para ganhar a confiança de um homem tão amargurado, porem, são de nosso conhecimento que ela se tornou rapidamente a conselheira mais intima dele.

CURIOSIDADE 4: Selyse Florent, a esposa de Stannis foi a primeira a se converter para a religião de R’hllor e acredita cegamente em tudo que Melissandre prega, talvez tenha sido através dela que a sacerdotisa tenha conseguido se aproximar de Stannis, entretanto, Stannis Baratheon não é tão crente como a esposa; a sacerdotisa vermelha converteu não apenas eles, como também boa parte da corte de “Pedra do Dragão”, alguns não por fé e sim por medo de Melisandre. Como o símbolo da religião é um coração em chamas, Stannis alterou o símbolo de sua casa de: um de um cervo coroado para um coração em chamas com um cervo coroado dentro no mesmo, iniciando assim a crise de ruptura com sua casa de origem.

Melisandre se destaca na narrativa tanto dos livros como na da série devido a seus poderes proféticos que lhes dão conhecimentos parciais sobre eventos futuros, poder esse que a ajuda contra possíveis inimigos.

“A Senhora Melisandre disse-nos que às vezes R’hllor permite que seus servos fiéis vislumbrem o futuro nas chamas”.  By Sor Axell.

George R. R. Martin

pg.108. Capitulo Davos., Livro dois: A Fúria dos Rei

Um exemplo de seu poder ocorreu quando o meistre do castelo, Cressen, temendo o poder e a influência de Melissandre junto ao Senhor Stannis (*que ele ajudou a educar desde menino), tenta envenená-la em frente a todos os nobres fieis a Stannis durante um jantar, no entanto, mesmo ingerindo a maior parte da bebida os poderes de Melisandre a protegem e a mesma permanece linda e plena, em contra partida, Cressen, que compartilhou o mesmo copo de bebida envenenada com elaagoniasse e morresse ali em frente a todos.

*logo após desse ocorrido, Melisandre convence a todos a realizarem uma cerimônia na praia: queimaram todas as estatuas dos “Sete Deuses” que existiam na ilha e em meio à fumaça e o sal do mar fez Stannis tirar uma espada flamejante do fogo.

“A mulher vermelha caminhou três vezes em volta do fogo, rezando uma vez na língua de Asshai, outra em Alto Valíriano, e mais outra no Idioma Comum. Davos só compreendeu a ultima oração. – R’llor venha até nós na escuridão. – evocou a mulher. – Senhor da Luz, oferecemos-lhes esses falsos deuses, este sete que são um, e esse um é o inimigo. Receba-os e lance a sua luz sobre nós, pois a noite é escura e cheia de terrores. (…) O Rei mergulhou no fogo de dentes serrados, segurando o manto de couro a sua frente para manter as chamas afastadas. (…) agarrou a espada com a mão enluvada e a libertou da madeira ardente com um único puxão forte. Então recuou, com a espada bem erguida e chamas verde-jade a rodopiar em volta do aço cor de cereja. (…) Praguejando, o rei enterrou a ponta da espada na terra úmida e apagou as chamas (…)”. 

George R. R. Martin

pg. 101 e 103. Capitulo Davos., Livro dois: A fúria dos Reis.

No entanto foi possível perceber que a espada em questão não era a famosa “Luminífera” da profecia, pois ela queimava em fogo verde, o que lembra muito o famoso “Fogo Vivo”, fora o fato que a mesma queimava ai toque, como se fosse um aço acabado de tirar da forja e a luminífera tem um calor similar ao do corpo humano. *Stannis mesmo com uma luva especifica para altas temperaturas ficou incomodado com o calor e a apagou quase que em seguida de retirar da fogueira.

“Aquela espada não era a luminifera, meu amigo”. by Salladhor Saan.

George R. R. Martin

Pg. 106. Capitulo Davos., Livro dois: A fúria dos Reis.

Mas voltaremos ao Azor Ahai mais a frente… voltemos a sacerdotisa:

Malisandre mantém envolta de sua garganta uma gargantilha em ouro velho com um grande rubi ao centro; pedra essa que brilha com mais intensidade nos momentos em que pratica magia.

Quando Renly Baratheon se proclama herdeiro dos “Sete Reinos”, usurpando o direito de nascença de Stannis, Melisandre instiga Stannis a se fortalecer, juntando seus vassalos para tomar a coroa.

Um exemplo dessa manifestação do colar ocorre quando ela esta em transe tendo uma visão nas chamas, nesse momento o rubi brilha intensamente e em seguida ela relata que viu o irmão de Stannis, o jovem Renly Baratheon derrotando Stannis em Porto Real; dessa forma ela propõe a Stannis que ela use seus dons de “umbromante” para derrotá-lo antes que a visão se concretize e ele acaba aceitando.

O ritual que se segue é assustador: ele a “possui” deixando sua “semente” dentro dela, em seguida ela vai ate uma caverna e sobre palavras de magia seu ventre cresce rapidamente, ali ela da à luz a um “Demônio de Sombra” com uma leve similaridade ao corpo adulto de Stannis esse é enviado para matar Renly.

Um segundo demônio surge e é enviado para matar Ser Cortnay Penrose, o castelão de Ponta Tempestade que se recusa a entregar a fortaleza a Stannis. *cena essa que não entrou na série.

O personagem Davos que a acompanhou ate a caverna e presenciou os fatos, fica apavorado e posteriormente a isso, segue constantemente tentando alertar Stannis para não continuar a seguir com a ajuda da “Mulher Vermelha”, sendo sempre ignorado.

Por insistência de Sor Bryce Caron, Stannis deixa Melisandre na ilha e parte com sua frota rumo a Porto Real; em seguida ocorre a Batalha de “Água Negra”, que termina com a derrota de Stannis; *mesmo tendo matado o jovem Ranly!

Melisandre argumenta que a derrota veio por ela não estar presente nos eventos; como conseqüência ela nunca mais sai de perto de Stannis.

Nessa altura da trama, Davos conspira secretamente a morte da sacerdotisa, no entanto, ela vislumbra o perigo através de suas “Visões de Fogo” e ele acaba preso.

A partir daqui a trama entre livros e série se distancia bastante.

Melisandre tenta persuadira Stannis a realizar um sacrifício de sangueatravés da morte de seu sobrinho bastando “Edric Storm”, com a alegação que tal ato poderia despertar os dragões de pedra que existem nas estruturas do castelo de “Pedra do Dragão”; Stannis se recusa e autoriza apenas o uso de sangue do menino através da extração via sanguessugas; durante o ritual ela queima os pequenos animais no fogo e pede em prece pela derrota dos inimigos de seu herói Satannis: Jofrey Baratheon, Robb Stark e Balon Greyjoy. *Coincidência ou não todos os três nomes citados morreram em circunstâncias distintas pouco tempo depois.

*essa passagem foi feita na série com a presença de Gendry no lugar de Edric; muitas vezes a série usa desse artifício para eliminar personagens secundários sem futuro na trama, sendo assim o jovem Edric foi acumulado ao enredo de Gendry.

CURIOSIDADE 5: Na série Melisandre é muito mais cruel do que nos livros um exemplo disso é que na série ela começa a queimar vivos membros da corte de Stannis como forma de agradar seu deus e blindar o exército de Stannis.

Ela parte em viajem pelas Terras Fluviais onde acaba por encontrar a Irmandade sem Bandeira e encontra Gendry, imediatamente o reconhece como um bastardo de Robert e o leva junto com ela através de uma compra; Durante esse encontro Melisandre fica surpresa quando o Sacerdote Vermelho Thoros de Myr revela que ressuscitou o líder da Irmandade Ser Beric Dondarrion seis vezes; e vai embora duvidando do feito. *isso na série ok…

CURIOSIDADE 6: o relacionamento de Sor Davor com a princesinha Shireen é muito maior e mais encantador na série, onde vemos constantemente os dois conversando ou debatendo lendas antigas ate que a princesa ensina Davos a ler; no entanto, nos livros seus encontros são simplórios e sem muita emoção.

Algum tempo depois Davos é libertado de seu cárcere e Melisandre mesmo desgostosa com sua presença, acaba aceitando, pois sente que Stannis ira necessitar dele no futuro.

Davos mais uma vez vai contra a sacerdotisa e liberta “Edric” *livro*, o enviando para se esconder na cidade de Lys *Davos temia que o jovem acabasse sendo sacrificado em algum momento. *novamente esse enredo foi absorvido por Gendry na série. Não irei me aprofundar nos detalhes que envolvem o Gendry, pois serão abordados no perfil dele num post no futuro.

Logo em seguida eles recebem uma carta vinda da Muralha em nome de Jon Snow, avisando que os “Outros” chegaram e que necessitam de ajuda; vendo nisso uma oportunidade de enfim provar que Stannis realmente é o Azor Ahai renascido, Melisandre os acompanha em sua jornada para a Muralha, onde seus soldados esmagam os Selvagens e acaba capturado seu líder Mance Rayder, ajudando assim a “Patrulha da Noite”, no entanto o jovem Snow chama sua atenção, por ser tão destemido e ter ido de encontro com os “outros” diretamente, enquanto Stannis ficou apenas observando seu exercito lutar para manter a paz na muralha.

Stannis, se auto proclamando Rei de Westeros, ordena que Mance seja morto devido a sua deserção da patrulha, ele então é encaminhado à execução por fogo; em meio às chamas a se alastrarem pelo corpo de Mance, Melisandre vê que ele será necessário no futuro e usando seus poderes ela secretamente troca o corpo de Mance por um selvagem chamado de “O Senhor dos Ossos”, dessa forma outro queimou em seu lugar; Mance assume o lugar do Senhor dos Ossos através de uma magia de Melisandre, que altera sua aparência, ficando assim, similar ao selvagem que morreu na fogueira.

Ninguém sabe que o homem morto na fogueira era, na verdade, o Senhor dos Ossos; entretanto em um treino de espadas, Jon Snow fica chocado com a velocidade e habilidade do homem, sem saber que na realidade ele é Mance.

Algum tempo depois, quando chegar uma carta informando que Arya Stark esta em Winterfell e ira se casar com Ramsay Bolton, Melisandre propõe que o falso “Senhor dos Ossos” vai ate lá resgatá-laJon Snow imediatamente recusa, pois não confia nem um pouco no selvagem; nesse momento a sacerdotisa revela toda sua trama para salvar Mance e como Jon esta com o filho recém nascido de Mance a seus cuidados dentro do Castelo Negro, ele autoriza que o mesmo siga no plano de salvar sua jovem irmã Arya; Mance deve sua vida e a vida do bebe a Jon Snow, como a própria sacerdotisa argumenta e de fato Mance iria retribuir o favor o ajudando.

CURIOSIDADE 7: na verdade uma moça chamada Jeyne Poole esta se passando por Arya em Winterfell.  *no enredo dos livro Sansa Stark permanece no “Ninho da Águia” como tutora do jovem Robin Arryn e Arya ainda permanece em treino na “Casa do Preto e do Branco”; mais isso é conteúdo para um outro post de perfil de personagens. Outro detalhe importante a acrescentar é que na série Melisandre apenas assiste a cerimônia de morte de Mance Rayde na fogueira; ela também tenta seduzir Jon Snow, mas é rejeitada por ele. *esses fatos ocorrem apenas nos livros, na série Mance realmente esta morto.

Em seguida Stannis marcha com seu exercito para Winterfell, no entanto, Melisandre deseja ficar na Muralha, pois notou que seus poderes de vidência estão incrivelmente maiores lá.

CURIOSIDADE 8: apenas na série Melisandre se junta a Davos e Stannis em sua campanha para tomar a fortaleza de Winterfell dos Boltons. Quando uma grande tempestade de neve atrasa a marcha, Melisandre insinua que Stannis sacrifique a filha Shireen ao deus vermelho. Ele inicialmente se recusa, mas após um ataque de guerrilha de homens de Bolton que destrói seus suprimentos, ele a autoriza a queimar a própria filha viva na estaca. Após o sacrifício, o nevoeiro desaparece, no entendo, metade dos homens de Stannis, revoltados, desertam. A mulher dele, Selyse, se suicida martirizada pela culpa em ter concordado com o sacrifício da filha. Stannis e o que sobrou de seu exército são derrotados em Winterfell. Melisandre foge para Castle Black onde seu comportamento perturbado leva Davos e Jon a perceberem que Stannis e Shireen estão mortos. *nos livros ainda não consta muitos detalhes sobre seu confronto com os Boltons, então cabe a nós esperar.

Em seus aposentos na Muranha, Melisandre em preces ao deus R’hllor, clama por uma visão do Azor Ahai, pois já não acredita que Stannis realmente seja o herói renascido e as chamas lhe mostram a imagem da neve, o que seria uma alusão direta a Jon Snow;

Melisandre também visualiza adagas no escuro e em seguida vai falar com Jon que não aceita seus relatos delirantes.

Um pouco mais tarde ele é cercado e morto pelos amotinados da “Patrulha da Noite” que estavam insatisfeitos com sua liderança encerando ai a narrativa nos livros. *ate o momento o sexto livro “Ventos de Inverno” não foi lançado e não temos como saber como a narrativa prosseguirá; no entanto a série por ter ultrapassado em muito os livros, nos revelou muitos detalhes que podem a vir a constar no enredo dos livros.

Como vemos as ações finais tanto de Stannis como de Melisandre divergem em muito ao que consta nos livros para a trama da série.

Seguiremos o perfil a partir daqui apenas baseado no que a série nos entregou.

Ainda sofrendo com a derrota e morte de Stannis, Melisandre fica chocada quando Jon é assassinado por seus oficiais, já que ela tinha tido uma visão de fogo onde ele lutava em Winterfell, completamente em estado de choque e sofrendo uma crise de fé jamais sentida em sua vida ela se tranca em seus aposentos, retira toda sua roupa e deixa para retirar o seu colar por ultimo, logo em seguida nos é revelado uma velha senhora de cabelos ralos e brancos.

Triste e sem animo ela se deita e dorme.

Por insistência de Davos, que a procura em seus aposentos ela segue para a sala onde reside o corpo sem vida de Jon Snow, ela inicia um ritual comum aos mortos em sua religião chamado de “O ultimo Beijo” similar a forma como o sacerdote Thoros usou para com Beric Dondarrion varias vezes e que acabara por trazer a vida o guerreiro.

CURIOSIDADE 9: esse ritual não foi realizado passo a passo na série, nem nas cenas onde temos Thoros e Beric, muito menos na cena junto ao corpo de Jon Snow.

Abaixo segue a descrição de como seria “O Ultimo Beijo”.

“Portanto, quando seu pobre peito rasgado parou de se mover, dei-lhe o beijo do bom deus para encaminhá-lo. Enchi a boca com fogo e soprei as chamas para dentro dele, através de sua garganta, para pulmões, coração e alma. Chama-se o último beijo, e vi muitas vezes os velhos sacerdotes concedendo-o aos servos do Senhor quando estes morriam. Eu mesmo o tinha dado uma ou duas vezes, como todos os sacerdotes têm de fazer. Mas nunca antes tinha sentido um morto estremecer enquanto o fogo o enchia, nem visto seus olhos se abrirem. Não fui eu quem o convocou, senhora. Foi o Senhor. R’hllor ainda pretende algo dele. A vida é calor, e o calor é fogo, e o fogo é de Deus e só de Deus.”  by Thoros de Myr.

George R. R. Martin

Pg. 389. Capitulo Arya., Livro Três: A Tormenta de Espadas

Para surpresa da própria sacerdotisa, o procedimento é bem sucedido e Jon Snow retorna do reino dos morto.

Ela passa a crer que após morrer e retornar, Jon renasceu como Azor Ahai e entrega sua vida de serviços a ele; no entanto, Jon não se sente atraído por táticas de magia e a mantém longe de seus a fazerem ate que ele acaba, de uma vez por todas, a exilada do Norte.

CURIOSIDADE 10: acompanhado de Sir Davos, Jon decide mandá-la embora, após saber da morte da jovem Shireen, sendo que se ela voltar ao Norte será imediatamente encaminhado a morte. Triste e perdida, ela decide não usar mais seus poderes e segue ao encontro da ultima dependente da linhagem Targaryen, Daeneryes, que já havia dominado a ilha de “Pedra do Dragão” nesse tempo em que ficaram fora.

Ao chegar ela solicita uma audiência com a jovem rainha Daenerys e em sua presença ela conta sobre Jon Snow e a incentiva a chamá-lo, pois seus caminhos estão destinados a coisas “Grandes”.

Antes de partir ela tem uma ultima conversa com Varys e relata que seu próprio destino é morrer em terras estrangeiras, assim como o destino de Varys também o é; deixando-o desconfortável.

Melisandre “A Mulher Vermelha” de Asshai não aparece mais na trama após isso, nos deixando ansiosos para saber seu fim nessa trama tão intensa e amarrada de Martim. Aguardemos…

Esse perfil foi feito a pedido da amiga Priscila Lucia do “Clubinho Game of Thrones”… Obrigada Pri por sua participação\o/

*Esse clubinho trata-se de um grupo no Facebook destinado a fãs da saga que a família Coxinha Nerd dispõe… Se você ainda não conhece corre lá e solicite sua entrada no clube mais legal do Brasil!

Entre para o Clubinho Game of Thrones… bjos seus lindos o/ fui!

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: