Olá meu povo! Em meio a tantos posts com besteiras e piadinhas na internet sobre a série mais famosa atualmente – Game of Thrones -, eis que encontrei um que me chamou demais a atenção, ao ponto de eu ter que reproduzi-lo aqui para vocês. Eu sei que a internet é ampla e que todo mundo passa por tantos lugares ao mesmo tempo, mas tenho certeza que vai ter alguém que não viu isso aqui!!

 

O artigo em questão foi lido por mim no site Mises e o nome e link do artigo originais, vocês podem encontrar aqui: As lições econômicas de Game of Thrones. Uma verdadeira aula que todo nerd deveria ler, afinal, dominaremos o mundo e precisamos estar preparados. Né não? De acordo com  o autor do artigo, “os personagens complexos e moralmente ambíguos têm atraído muitos analistas e comentaristas políticos e literários, há também importantes lições econômicas a serem aprendidas dos livros”.

 

A trama de Martin se refere a uma variedade de assuntos econômicos — desde as implicações do fato de não existir sequer um sistema econômico até os problemas da moeda e das finanças estatais. Em outro artigo (e numa entrevista), o site discute tais problemas e explica como os governantes do continente de Westeros recorrem aos métodos tradicionais do financiamento estatal: tributação, endividamento e inflação.

 

politica e economia

 

No artigo eles discorrem sobre algumas das outras implicações econômicas da série, especialmente acerca das ideias a respeito da ordem social e acerca do papel que a cooperação pacífica, o comércio e a moeda desempenham na organização da sociedade. Franz Oppenheimer famosamente realizou a distinção entre o “meio político” e o “meio econômico” de organização social. O primeiro implica a coerciva redistribuição de riqueza; a riqueza, entretanto, é criada apenas por aqueles que estão envolvidos no meio econômico de organização, o qual se baseia na produção pacífica, no comércio e na troca. (1926, pp. 24-27.) == Leia mais sobre o tema aqui.

 

moeda e sociedade

 

Além de discutir a essência do governo, a série contém outras ideias econômicas também. Um proeminente exemplo é o forte entendimento da narrativa sobre o papel que a moeda desempenha na sociedade. Em particular, o desdobramento da história fornece exemplos de diferentes estágios de desenvolvimento econômico; e tais estágios estão intrinsecamente ligados às diversas percepções culturais sobre atividade econômica e moeda. == Leia mais sobre o tema aqui.

 

Para concluir, é importante assinalar que a obra As Crônicas de Gelo e Fogo se baseia extensamente na história medieval, a qual vivenciou mais do que a sua quota de guerras e destruição econômica. História ou fantasia, a guerra dos tronos — o uso do meio político — impede a propagação e a difusão de ideias econômicas saudáveis, sendo afastadas, assim, as boas políticas econômicas. Graças aos Sete Reinos e ao seu vício pela guerra dos tronos, quando ocorrem a paz e a prosperidade em Westeros, a única coisa da qual podemos estar certos é: O Inverno Está Chegando. 

 

Super indico o site Mises.org.br aos curiosos de plantão, eles tem vários posts bem dinâmicos, diferentes e divertidos – na verdade, formas completamente “descontraídas” de explicar determinados assuntos polêmicos, tensos e sérios demais. Adoro do começo ao fim e super recomendo aos nerds curiosos e estudiosos de plantão. Fica a dica <3

 

Você vai gostar também de:

 

cartaz manifestação 5 true blood s06e02 brasil fifa mais-coxinha-instagram

 

Perfil Coxinha

Coxinha Nerd

Ótima dica de leitura para as horas vagas!
A favor dos nerds e contra a tirania dos Kibes.
Facebook | Twitter

Compartilhe: