Fronteiras do Universo

-por , em 27/09 -
 
Fronteiras do Universo (His Dark Materials) é uma trilogia composta pelos livros A Bússola de Ouro (Northern Lights), A Faca Sutil (The Subtie Knife) e A Luneta Âmbar (The Amber Spyglass) do autor Philip Pullman.
A série conta a história de Lyra Belacqua e Will Parry, dois amigos que viajam pelos universos paralelos que compõem o Multiverso enfrentando eventos épicos que ameaçam a própria existência de todos os universos. A literatura de Philip Pullman não é muito conhecida/divulgada na América e  na Europa, sua fama se concentra mais no Reno Unido.
No primeiro livro, A Bússola Dourada, Lyra está com 12 anos e sua história começa na tranquila cidade universitária de Oxford, na Inglaterra onde era criada por Catedráticos. Algumas crianças começam a desaparecer misteriosamente, sequestradas por pessoas chamadas de gobblers. Lyra deixa a universidade para viver com uma mulher rica e influente chamada Sra. Coulter. Este é apenas o começo de uma aventura que envolverá Gípcios, Ursos de Armadura, Bruxas, Aeróstatas, Exploradores e Crianças sendo usadas em experimentos maléficos através das geladas terras do Pólo Norte.
O segundo livro, A Faca Sutil, mostra um pouquinho mais da história de Will Parry, que também possui 12 anos e que por enfrentar problemas familiares, vive sozinho em Oxford em busca de seu desaparecido pai. No decorrer da história Will encontra uma “janela no ar” capaz de lhe transportar para outro mundo, onde conhece Lyra. Juntos eles começam a procurar pistas do paradeiro do pai de Will e buscam respostas para a pergunta gerada no primeiro livro: O que é o Pó?
 
No terceiro livro, A Luneta Âmbar, revelações são feitas, provações e anjos são envolvidos na história e Will têm a chance de encontrar a resposta de vários mistérios.
Philip Pullman já escreveu outros dois livros “coadjuvantes” da série Fronteiras do Universo. O primeiro foi lançado em 2003 e se chama Lyra’s Oxford (A Oxford de Lyra) e o segundo, lançado em 2008 chamado Once Upon a Time in the North (Era uma vez no Norte), ainda não disponível em Português.
Philip enfrenta problemas, principalmente no núcleo cristão, com a publicação de seus livros e adaptações para o cinema. Alguns de seus personagens criticam a religião institucionalizada, como as feiticeiras que dizem para Lyra “Na história [As Igrejas]…tentam suprimir e controlar todos os impulsos naturais. E quando não podem controlá-los, elas os cortavam…”.
Cynthia Grenier, da cultura católica, disse: “No mundo de Pullman, o próprio Deus (a Autoridade) é um implacável tirano, sua igreja é um instrumento de opressão e o verdadeiro heroísmo consiste em derrubar os dois.”.
Pullman encontrou apoio de alguns outros cristãos que afirmam que os ataques de Pullman incidem sobre as limitações e os perigos do dogmatismo e do uso da religião para oprimir, e não no cristianismo em si.
Nota da Coxinha: Eu já li esta trilogia mais de três vezes e posso garantir aos que ainda não tiveram a oportunidade de ler que é uma chance única de ser transportado para outros mundos junto com Lyra e Will, enfrentar medos e tabus construídos pela nossa sociedade e entender conceitos que raramente são discutidos de forma livre. Alguns pontos, como a descrição da Aurora Boreal por Philip Pullman demonstram como o autor consegue captar a energia de um momento único. Você consegue realmente ver a Aurora Boreal em sua mente através das descrições do autor. Vale a pena ler, recomendo muitíssimo..
Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você