Imaginem só: Foi encontrado enterrado na Escócia um corpo (ossos de um corpo, é claro), mas que na verdade, possuía partes diferentes de seis pessoas. A explicação para esta composição de ossos inusitada ficará para sempre perdida no tempo, já que não existe nenhuma possibilidade de descobrir qual foi a intenção, mas os detalhes descobertos são praticamente um berço de sonhos para os arqueólogos desta expedição.

 

Veja o que descobriram: foram achados dois corpos, um masculino e um feminino. A mulher tinha uma mandíbula que não se encaixava no restante do crânio e assim que fizeram alguns testes de DNA, descobriram que a queixada, o braço, o crânio e a perna vieram de corpos diferentes. As pessoas não eram relacionadas geneticamente (pelo menos foi comprovado que eles não tinham a mesma mãe).

 

A datação isotópica demonstra que partes do corpo feminino são aproximadamente do mesmo período de tempo. As partes do homem, no entanto, vem de pessoas que morreram com algumas centenas de anos de diferença. A próxima pergunta é… “Como?” – Parece que os povos antigos sabiam que conservando corpos em pântanos, a quantidade de oxigênio baixa preservaria mais os materiais orgânicos. No entanto, eles deveriam ter posteriormente removido os corpos antes da alta acidez quebrar todo o material à base de cálcio – ossos.

 

Mas para que todo esse esforço? Terry Brown, professor de arqueologia biomédica da Universidade de Manchester, que estudou o DNA, acha que o raciocínio prático é que, por exemplo, se a cabeça não suportou o processo, soltou do corpo e sumiu, outra deveria ser colocada no lugar. A importância era basicamente a da imagem de uma múmia, a “manutenção da imagem da pessoa”, e não a composição dos ossos internos. Ele citou ainda as múmias Chinchorro dos Andes Chilenos que foram reforçadas com grama e gravetos.

 

Uma outra teoria é que de foi um gesto simbólico para criar um ancestral que literalmente possui traços de várias linhagens. Seja a teoria que for, o mistério persiste por que ninguém pode comprovar nada… Porque esses dois esqueletos possuem partes de ossos de várias pessoas diferentes?